Novas diretrizes do ACOG para exercícios na gravidez – populações especiais

Tradução da Diretriz do ACOG (PARTE 6) – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de gestantes by Gravidez em Forma

*** Os programas Mais Vida Gestantes e Gravidez em Forma seguem as diretrizes do ACOG e outras autoridades internacionais que pesquisam e buscam a prescrição de exercícios de forma segura e direcionada para as necessidades da gravidez.

 

Número 650 – Dezembro de 2015.

Comissão de Prática Obstétrica
Este documento reflete os avanços clínicos clínicos e científicos emergentes – a data e emissão estão sujeitas a alterações. A informação não deve ser interpretada como um curso exclusivo de tratamento ou procedimento a ser seguido.

 

Populações Especiais

Atleta grávida - cuidados segundo ACOG
Atleta grávida – cuidados segundo ACOG

Várias revisões têm determinado que não há nenhuma evidência para prescrever repouso durante a gravidez, o que é mais comumente prescrito para a prevenção do trabalho de parto prematuro. O Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia e Ginecologia tem a posição “que o repouso no leito não é eficaz para a prevenção do parto prematuro e não deve ser recomendado como rotina” (51).

Pacientes (gestantes) com a prescrição de repouso prolongado ou atividade física restrita correm o risco de tromboembolismo venoso, desmineralização óssea e descondicionamento. Embora frequentemente prescritos, o repouso é raramente indicado e, na maioria dos casos, permitir deambulação deve ser considerado.

Gestantes obesas devem ser encorajados a participar na modificação do estilo de vida saudável na gravidez que inclui atividades físicas e dietas orientadas (5). As mulheres obesas devem começar com baixa intensidade, curtos períodos de exercício e aumentar gradualmente à medida que forem capazes. Em estudos recentes que examinam os efeitos do exercício entre grávidas obesas, elas tem demonstrado reduções modestas no ganho de peso e não há efeitos adversos com os exercícios designados (52).

Atletas (competitivas) exigem uma vigilância freqüente e mais próxima, porque elas tendem a manter uma programação de treinamento mais intenso durante a gravidez e no pós-parto voltam a treinar em alta intensidade mais cedo em relação aos outras mulheres. Essas atletas devem prestar particular atenção para evitar a hipertermia, manter a hidratação adequada, e manter a ingestão calórica adequada para evitar a perda de peso, o que pode afetar adversamente o crescimento fetal.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *