A gestante moderna – perfil da cliente gestante

Por Gizele Monteiro – personal gestante 

 

Capacitação Mais Vida Gestantes by Gizele Monteiro
Capacitação Mais Vida Gestantes by Gizele Monteiro

Muitos profissionais hoje tem medo de atender gestantes. É importante não só dominar toda a parte técnica e também conhecimentos das adaptações ao exercícios durante a gestação e pós-parto, mas também precisamos entender o perfil atual da nossa cliente gestante.

Será que sua academia ou você personal parou para pensar quem é a gestante moderna? Qual é o perfil da nossa cliente gestante de hoje? Quem será a gestante moderna? Será que sua academia atende a esse perfil?

A última pesquisa do IBGE constatou uma diminuição proporcional do número de mães mais jovens e um aumento no número de mães mais velhas. Para o grupo de mães acima de 30 anos, o IBGE apresentou um crescimento na participação.

Diante dessa nova tendência muita coisa muda num programa que irá atender essa mulher em sua gravidez.

Há uma grande tendência à mulher se estabilizar profissionalmente e financeiramente para depois tentar a maternidade. Isso tem acontecido com mulheres acima de 35 anos e podemos dizer que grande parte já chega nos 40 anos. As novas tecnologias permitem também isso, havendo um aumento na procura de meios de reprodução assistida.

“Com as mudanças no organismo da mulher, a chance de gravidez natural é de uma em vinte a cada mês. Seu coração pode não estar suficientemente forte para aguentar o trabalho extra exigido na gestação. Outra realidade que temos constatado, é que muitas se encontram sedentárias e acima do peso. Com todas essas mudanças, fica muito mais complicado também essa mulher voltar ao seu corpo após a gravidez”.

Diante de todas essas informações, será que sua academia ou estúdio está preparado (a) para receber essa mulher – acima de 35 anos – mais culta, estável e exigente.

Será que seus profissionais atendem a esse perfil?

Será que você personal atende esse perfil?

Temos que estar atentos também aos cuidados que devem ser redobrados, pois a mulher acima de 35 anos que está grávida deve ter cuidados diferenciados. Além do organismo da mulher se encontrar já diferente também os cuidados devem ser maiores na aplicação do exercício.

Será que seus profissionais estão capacitados para isso?

Diante de varias questões levantadas, PREPARE:

  1. sua equipe para receber e atender essa cliente
  2. seu profissional para atender essa cliente
  3. um programa adequado para receber essa cliente

 

Academia i9 especializa suas profissionais para atender mamães
Academia i9 especializa suas profissionais para atender mamães

 

Curso de capacitação referência no Brasil e exterior (programa implantado em Portugal)

Durante anos tenho desenvolvido o mercado para que profissionais se especializem para atender essa cliente em condições de conhecimento adequados às suas necessidades.

Para os que se interessarem nesse aprofundamento o Mais Vida Gestantes tem um curso online – presencial para atender essa necessidade de mercado. Desenvolvido por mim – Gizele Monteiro – referência nessa área, o curso oferece conteúdo adequado para o aprofundamento da sua equipe ou de você personal trainer.

Informe-se – http://gizelemonteiro.com.br/curso-de-exercicios-para-gestantes/

Exercícios para prevenção de inchaço na gravidez

Por Gizele Monteiro (Personal Gestante) em entrevista para o jornal Diário Catarinense

 

Participei de uma matéria muito bacana no jornal Diário Catarinense. O tema foi sobre os exercícios para a prevenção de inchaço na gravidez, tema super importante para a saúde da gestantes e ainda mais no verão.

Segue abaixo o texto completo !!!

 

Palestra Gizele Monteiro - Gravidez em Forma
Palestra Gizele Monteiro – Gravidez em Forma

“A Personal Gestante Gizele Monteiro indica exercícios para a prevenção de inchaço na gravidez. Práticas simples e corriqueira aliviam sintomas dos edemas.

O inchaço, conhecido também como edema, é mais comum a partir do final do segundo trimestre de gravidez. O verão é uma estação que contribui muito para esse desconforto. Em dias de calor o inchaço da gestante piora, devido a uma dilatação dos vasos sanguíneos. Com isso, o sangue passa a circular mais devagar, fazendo com que o corpo retenha mais líquidos que nos outros dias.

— Na fase final da gravidez é o momento onde o corpo da mamãe possui maior volume sanguíneo e de líquidos. O inchaço ocorre progressivamente ao longo do dia, intensificando-se no final da tarde e no começo da noite. Além de pés e pernas, há outros locais do corpo que também podem apresentar inchaço, como as mãos, rosto e nariz — explica a mestra em exercícios e personal gestante Gizele Monteiro.

Atenta às necessidades desse público especial Gizele apresenta dicas fundamentais e passo a passo de exercícios e ações para driblar esse problema durante a gestação.

— Algumas posturas prolongadas no dia a dia, principalmente no trabalho, fazem a circulação não acontecer de forma saudável e predispõem ao acúmulo de líquidos nas pernas — ressalta a especialista.

Posturas e posições que devem ser evitadas para prevenir o inchaço:

• Ficar de pé ou sentada por muito tempo dificulta a circulação sanguínea e dessa forma há o acúmulo de sangue e líquidos nas pernas. Evite ficar de pé ou sentada por longos períodos, realize pequenas caminhadas ou movimentos em pé para essa região.
• Se o seu trabalho exige que você fique em pé, a cada hora sente-se por alguns minutos e realize movimentos enquanto estiver sentada. Procure movimentar-se o máximo que puder para manter o sangue circulando mais adequadamente.

• Ficar sentada com os pés no chão ou pernas cruzadas também dificulta a circulação. Procure sentar-se elevando os pés e movimentando-os periodicamente ao redor dos tornozelos.

• Se o seu trabalho exige que você fique sentada, levante a cada hora e realize os procedimentos indicados acima.

• Evite sapatos de salto. Além de serem arriscados para uma torção do tornozelo, eles impedem o movimento adequado dos pés e tornozelos que funcionam como uma bomba que facilita o retorno do sangue e líquidos.
• Evite sapatos de salto. Além de serem arriscados para uma torção do tornozelo, eles impedem o movimento adequado dos pés e tornozelos que funcionam como uma bomba que facilita o retorno do sangue e líquidos.

— Exercícios e massagens são muito importantes na prevenção e redução de inchaço. O movimento de pés e pernas ajuda no retorno do sangue, diminuindo a quantidade de líquidos nas pernas e amenizando dessa forma inchaço acontecer — diz a personal gestante.

Exercícios para prevenção de inchaço na gravidez
Exercícios para prevenção de inchaço na gravidez

 

Dica de exercícios para a prevenção de inchaço na gravidez:

  • use o momento de ir ao banheiro ou beber água para realizar esses exercícios e massagens que auxiliam a amenizar o inchaço,
  • estique suas pernas em uma cadeira, deixando-as na linha do quadril. Faça movimentos para cima, para baixo e circulares com os tornozelos,
  • sente-se na ponta da cadeira e realize a elevação dos calcanhares. Realize em torno de 10 movimentos a cada hora,
  • apóie-se em uma parede e realize a elevação dos calcanhares. Realize de oito a 10 movimentos a cada hora,
  • sentada numa cadeira, com uma bolinha de tênis ou borracha, faça movimentos circulares lentos ou pequenas pressões por toda a coxa. Além de ativar a circulação da região, ajudará também a relaxar a musculatura, evitar ou melhorar o cansaço que as gestantes sentem nas pernas,
  • sentada em uma cadeira, utilize uma bolinha de tênis ou de borracha para realizar uma pressão massageando a planta dos pés. Além da pressão, a mamãe pode também deslizar a bolinha sob a planta dos pés. Passe por todo o arco do pé, calcanhares e ponta dos pés.

— Esse exercício ajuda a melhorar a circulação da região e prevenir o inchaço, e essa massagem com bolinha nos pés ajuda a relaxar a musculatura e aliviar as dores nos pés. Devido ao aumento do peso e também a alteração do centro de gravidade, os pés são bastante sobrecarregados, principalmente ao final da gestação — completa Gizele.

Ginástica para gestantes no Blog Vestida de Mãe

Por Gizele Monteiro – personal gestante

 

Durante anos tenho feito um trabalho dedicado e diferenciado no mercado, trazendo para as mamães as novidades em ciência e segurança de um programa especial para gestantes tenho vivido momentos muito importantes e marcantes na minha carreira.

Ter nosso programa referenciado em blogs e também na mídia é muito bom, pois é o reconhecimento de todo o trabalho que tem sido feito.

Entre nossas lindas e dedicadas mamães atender a blogueira super reconhecida Fernanda Floret sem dúvidas é uma grande alegria!

A personal da minha equipe Melissa Cirello assumiu essa tarefa uma vez que os horários que a Fernanda queria não conciliavam com a minha agenda de personal e mãe.

A Fernanda está contando em seu blog “Vestida de Mãe” sobre a importância da ginástica para gestantes e conta um pouco de como tem sido esse atendimento. Vale a pena conferir!

Ginástica para gestantes com a blogueira Fernanda Floret
Ginástica para gestantes com a blogueira Fernanda Floret

 

O programa tem combinado atividades aquáticas com hidrogestante e também o treinamento funcional com musculação.

Ginástica na gravidez com a blogueira Fernanda Floret
Ginástica na gravidez com a blogueira Fernanda Floret

 

Se você deseja saber mais sobre como controlar o seu peso na gravidez, acesse www.gravidezemforma.com.br e cadastre-se para ter um curso online gratuita.

 

Diário de uma corredora grávida – Diário da Jacque

Por Gizele Monteiro – personal gestante

 

Gravidez em Forma by Gizele Monteiro
Gravidez em Forma by Gizele Monteiro

A corrida é uma atividade temida por muitas gestantes. As mulheres que correm, quando engravidam sentem-se inseguras em continuar com a prática. Porém se o programa for ajustado e complementado com outras atividades que deem estrutura para o corpo da gestante, havendo a liberação do seu médico – claro !!! – ela poderá continuar. A atividade deve ser modificada no decorrer dos trimestres gestacionais.

Foi exatamente assim que encontrei a Jacque Ali, blogueira (blog www.bemoreblog.com.br) e super corredora! Praticando corrida, mas meio perdida se poderia fazer musculação para complementar o seu programa e até que ponto poderia correr. Ela com sua experiência já havia reduzido a intensidade e volume, mas mesmo assim estava sem orientação especializada nessa fase em que estava entrando … quase o terceiro trimestre.

Adaptamos sua rotina e ela recebeu sua planilha e tem mantido minha consultoria para um treinamento à distância, mas sempre supervisionado.

Bom, agora é com ela!! Ela vai contar no seu diário, um pouco dos benefícios e o que temos feito!

 

Corrida na gravidez - programa Gravidez em Forma
Corrida na gravidez – programa Gravidez em Forma

Diário da Jacque: A importância dos exercícios na Gravidez

Na semana passada eu recebi minha primeira planilha de de exercícios que a minha querida Personal Gestante, Gizele Monteiro montou especificamente para mim.

A prática de exercício físico é recomendada para todas as gestantes, pois há benefícios tanto para a mulher quanto para o bebê. Dentre eles, está a diminuição das complicações obstétricas, maior controle do ganho de peso da mãe, melhora no condicionamento físico, atuação no estado psicológico e social, e diminuição da depressão e do estresse.

Ao escolher o tipo e a intensidade dos exercícios, a gestante deverá ter a liberação do médico e o auxílio de um profissional da área, pois as atividades variam de acordo com o período da gestação. A pessoa que nunca praticou exercícios físicos deve iniciar com atividades de baixo risco, como caminhadas, natação e hidroginástica leve. Já quem está habituada poderá continuar com o programa habitual, apenas deverá modificar a intensidade e velocidade, à medida que a gravidez evoluir.

“Esta prática poderá ser contra-indicada em casos específicos, principalmente em mulheres com doenças cardíacas, trabalho de parto prematuro, gravidez múltipla, feto com crescimento inadequado, entre outras. Portanto a prática de atividade física irá depender da liberação ou não de um médico”.

 

Quer saber mais sobre a consultoria e treinamento à distância?

Entre em contato! Receba sua planilha personalizada e as atividades adaptadas às suas novas condições e necessidades.

E-mail: [email protected] / Fone – whats – 11 9 9651.8909

Suco natural – cuidados com o consumo

Texto extraído do Instagram do Dr. Victor Dimor – médico nutrólogo

 

Diariamente procuro posts que compartilham a Hashtag #projetodrvictordimor no instagram e fico muito feliz quando vejo meus seguidores incrementando hábitos saudáveis em suas vidas. Afinal, são mais de 8 mil diversificadas fotos com o mesmo denominador em comum, a saúde.

Saibam que fico muito feliz em contribuir com tão pouco e ver que muitos têm se beneficiado.

Um fato que venho presenciando em larga escala é a substituição dos refrigerantes e sucos industrializados por água e sucos de frutas frescas.

Todavia o que me chama a atenção é a quantidade e os horários em que os mesmos estão sendo consumidos.

Suco de Frutas
Suco de Frutas

 

O objetivo deste post não é redigir uma aula sobre a via de metabolização da frutose-sorbitol, deixo essa oportunidade reservada para reuniões científicas.

Pessoal, primeiramente saibam que a fruta foi feita para ser comida e não para ser triturada/batida/bebida, pois quando fazemos um suco, grande parte das fibras são totalmente destruídas e esse fato nos leva a um aumento rápido da glicemia (açúcar no sangue). Consequentemente o nosso pâncreas é forçado a produzir insulina a montante. Isso durante anos não é bom, ok? (Olá diabetes!).

Em segundo lugar: Quando você faz um suco, você facilmente ingere dúzias de frutas, evento que dificilmente ocorre apenas com a ingesta “in natura”.

Quando você come uma fruta e/ou vegetal você está ingerindo um importante carboidrato, este chama-se frutose. Nos últimos anos seu consumo tem aumentado acentuadamente em virtude do emprego dos adoçantes em produtos industrializados e também com a adesão ao modismo de dietas em redes sociais.

Diferentemente da glicose a qual pode ser utilizada imediatamente como fonte energética nos músculos ou armazenada em forma de glicogenio, a frutose é primariamente metabolizada no fígado e seu excesso sobrecarrega esse órgão da mesma maneira que o abuso de álcool. Este evento pode levar nosso organismo a resistência a insulin, síndrome metabólica, aumento de colesterol e triglicérideso, por fim a obesidade e suas consequências.

Outra variante a ser ponderada é o horário em que esses sucos estão sendo consumidos, pois além do malefício – que venho falando sobre o pico de insulina durante a noite – o ABUSO  de líquidos neste período pode desequilibrar diversos eixos neuro-hormonais (olá fadiga, olá estresse, olá insônia).

Queridos, peguem leve com vocês mesmos …

Este post não é para fazer terrorismo! Não estou dizendo para vocês viverem a base de alface. O intuito do post é apenas retratar o que de mais novo vem sendo discutido sobre medicina preventiva e integrada.

 

Vocês podem achar essa e outras informações no instagram do Dr. Victor Dimor – http://instagram.com/victordimor

Grávidas: verão sem inchaço

Por Gizele Monteiro (Personal Gestante) – matéria  para o portal suacorrida.com.br – jornalista Chris Biltoveni

 

Não tem jeito: o calor excessivo do verão traz incômodos às gestantes – principalmente cansaço e inchaço. “O inchaço ocorre progressivamente ao longo do dia, intensificando-se no final da tarde e no começo da noite”, diz Gizele Monteiro, personal gestante e autora do e-book Gravidez em Forma. “Além de pés e pernas, há outros locais do corpo que também podem apresentar inchaço, como as mãos, o rosto e o nariz”, completa. Segundo a especialista, existem, sim, maneiras de driblar o problema e aproveitar a temporada de calor numa boa. Confira!

Hidratação na gravidez
Hidratação na gravidez
  1. Faça uma alimentação balanceada todos os dias, preferindo comidas leves e saudáveis.
  2. Aproveite o tempo livre para realizar uma caminhada, de intensidade leve a moderada, sem exageros.
  3. Mantenha-se hidratada, bebendo água antes, durante e após a atividade física. Vale apostar em sucos naturais, que contêm nutrientes importantes para as gestantes.
  4. Se você estava sedentária ao engravidar, procure fracionar o tempo da caminhada, realizando pouco tempo várias vezes ao dia – de 10 a 15 minutos, duas a três vezes ao dia.
  5. Quem já realizava exercícios com freqüência antes da gestação deve manter o tempo de 20 a 30 minutos de forma contínua, podendo realizar a atividade de uma e duas vezes ao dia.
  6. Se ficar cansada, no outro dia descanse. A proposta da atividade nessa época é apenas sair do sedentarismo, para não ganhar quilos extras (o excesso de peso piora o inchaço).
  7. Use sempre protetor solar, independentemente do horário do dia. Boné ou chapéu também são adereços interessantes para reforçar a proteção.
  8. Caminhadas na areia são ótimas. Se a praia for plana, você pode usar a água como resistência. Apenas observe se a resistência da água não está sendo muito cansativo para você.
  9. Praia de tombo (com inclinação) não é a mais indicada para realizar caminhada. Isso porque a postura não é adequada para gestantes, podendo predispor a dor lombar e pélvica.

Operação – grávidas: verão sem inchaço

Exercícios que amenizam o inchaço

Exercício para amenizar o inchaço na gravidez by Gizele Monteiro - Gravidez em Forma
Exercício para amenizar o inchaço na gravidez by Gizele Monteiro – Gravidez em Forma

Gizele Monteiro explica que apostar em alguns exercícios simples e rápidos, assim como fazer massagem, é muito importante na prevenção e redução do inchaço. “O movimento de pés e pernas ajuda no retorno do sangue, diminuindo a quantidade de líquidos nas pernas e amenizando o problema”, garante. Veja alguns movimentos sugeridos pela personal gestante.

  • Sentada em uma cadeira, estenda suas pernas, deixando-as na linha do quadril. Faça movimentos com os tornozelos para cima, para baixo e circulares.
  • Ainda sentada na cadeira, utilize uma bolinha de tênis para realizar uma pressão massageando a planta dos pés. Além da pressão, você também pode deslizar a bolinha sob a planta dos pés. Passe por todo o arco do pé, calcanhares e ponta dos pés.
  • Sentada na ponta da cadeira, com os pés apoiados no chão, realize a elevação dos calcanhares. Realize em torno de 10 movimentos a cada hora.
  • Em pé, encoste as costas em uma parede e realize a elevação dos calcanhares. Realize de 8 a 10 movimentos a cada hora.

 

Exercícios na gravidez para a saúde do seu bebê

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante by Gravidez em Forma

 

Cada vez mais falada, porém precisa de maior divulgação entre papais e mamães!

A teoria dos primeiros 1000 dias do bebê mostra a importância de promover uma gravidez saudável na alimentação e também no estilo de vida materno.

Quando falamos num estilo de vida saudável faz parte do contexto a inclusão de exercícios e manter uma vida ativa.

A atividade física bem orientada durante a gestação proporciona também benefícios para o bebê.

A regulação do metabolismo materno, evitando doenças, leva também o bebê a programar seu metabolismo para consumir glicose, sem elevar muito um hormônio chamado insulina.

 

 

Exercícios para a saúde do seu bebê
Exercícios para a saúde do seu bebê

 

O aumento deste hormônio – a insulina – até a exaustão das células que o produzem está ligado ao acúmulo de gordura, intolerância a glicose, e diabetes.

Não queremos isso para nossas crianças, certo?

Tenho certeza que você também não deseja isso para o seu bebê.

Você conhece a teoria dos primeiros 1000 dias do seu bebê?

Você sabe que todos os cuidados com sua saúde e sua alimentação na gestação refletem na saúde do seu bebê ?

Os primeiros dias do seu bebê começam na gestação – 270 dias da gestação + 365 dias do primeiro ano de vida + 365 dias do segundo ano de vida – por isso o seu ganho de peso – não engordar acima do indicado, ter uma alimentação saudável e praticar exercícios podem ter grande influência na sua saúde.

O que você está fazendo para que seu bebê e você tenham saúde ?

 

Para você fazer exercícios especializados, de forma segura e saudável elaborei o programa Gravidez em Forma – clique aqui.

Cadastre-se em nosso site e saiba mais sobre o programa. Te espero lá!!!

O exercício pode secar o leite?

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

O exercício pode secar o leite?

Essa é uma pergunta que não é rara de acontecer. Muitas mamães além de terem medo disso acontecer, recebem orientações de alguns médicos para terem cuidado.

Programa Pós-parto em Forma by Gizele Monteiro
Programa Pós-parto em Forma by Gizele Monteiro

Bom o primeiro ponto a se observar é que todo retorno ao exercício no Pós-parto sempre deve ser gradativo, mas não só por uma preocupação com a amamentação. Durante o período gestacional muitas alterações corporais ocorreram e o retorno ao exercício deve sempre ser orientado por um profissional que entenda essas mudanças do organismo feminino, diferenciando assim o programa e o atendimento. Diante desse quadro, voltemos a nossa questão. Um profissional que entende o que acontece com a mulher saberá dosar o exercício numa intensidade adequada para que essa questão não seja respondida de forma positiva.

Particularmente nunca tive problemas com minhas alunas, mas também meu trabalho é sempre gradual. Também vejo muitas mamães realizarem exercícios que eu considero inadequados e também a amamentação ser mantida. Porém tudo é muito relativo e individual.

A produção de leite consome muita energia. Uma mãe em fase de amamentação produz entre 800 e 1200 ml de leite por dia e, para cada litro de leite que a mãe produz, pode haver um gasto de 700 calorias em média.

Portanto se o “exercício for intenso ou num volume elevado” e a mulher tiver uma ingestão inadequada poderá prejudicar a amamentação, pelo alto gasto energético que ocorre nesse período. Além do exercício e da ingestão alimentar inadequada, uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação. Leite é água e se você realiza exercícios e não se hidrata poderá comprometer a quantidade de leite.

Um outro ponto e esse considero o mais importante é que as pesquisas relacionadas a amamentação e exercício observam um aumento de ácido lático no leite materno. Esse aumento relaciona-se com a intensidade do exercício, isto é, quanto mais intenso mais ácido lático no leite. A grande discussão era que esse ácido lático poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do bebê ao leite após o exercício pela mudança no sabor deste.

Então concluindo: ao treinarmos, nosso organismo produz ácido lático e este ácido poderia modificar o sabor do leite, fazendo com que o bebê rejeite o “peito”. Se o bebê não mama, o organismo não tem estímulo para produzir mais leite. Não havendo mais produção, o leite realmente pode “secar”, ou melhor, deixar de ser produzido.

Alguns autores observaram essa resposta diferente nessa aceitação do leite em mães que realizaram “exercício máximo – intenso”, sendo o mesmo associado ao aumento da concentração de ácido lático. Os estudos com intensidades adequadas “não mostraram efeitos negativos” sobre a amamentação.

Cary & Quinn (2001) em revisão literária concluíram que até a data analisada, exercício (os estudos conduzem exercício em intensidades moderada) e amamentação eram atividades compatíveis, sendo que dos vários estudos analisados os mesmos não demonstram efeito prejudicial do exercício durante a lactação não afetando a composição, o volume do leite, o crescimento, o desenvolvimento infantil, ou a saúde materna. O exercício também teria um efeito muito importante na melhora da aptidão cardiovascular nas lactantes e na sensação de bem-estar quando comparara lactantes ativas com mulheres sedentárias.

O correto é que o profissional saiba organizar a sessão de treino para que as intensidades não sejam ultrapassadas, não só pelo aspecto da amamentação, mas também pelo exercício intenso ou em grande volume poder comprometer o sistema músculo-esquelético nesse período. Para isso procure um “personal gestante” que é um personal das mamães, um especialista que saberá como nortear a intensidade e também exercícios que realmente seu corpo precisa – esse é um programa pós-parto.

Cuidados: as mamas durante a gravidez ficam maiores e mais pesadas e se mantém assim no período pós-parto durante toda a fase de amamentação. Principalmente para as mulheres que realizam atividades de impacto, como corrida, certifique-se de que eles estejam bem firmes (talvez seja necessário usar dois tops ou um suporte mais adequado).

Referências Bibliográficas:

Wallace, JP, Rabin, J. Int J Sp Med. 12 (3) :328-31, 1991.The concentration of lactic acid in breast milk following maximal exercise. Int J Sports Med. 12(3):328-31, 1991.

Wallace, JP, Inbar, G, Ernsthausen, K. Infant acceptance of postexercise breast milk. Pediatrics. 89(6 Pt 2): 1245-7, 1992.

Gale B. Carey, Timothy J. Quinn, Susan E. Goodwin. Breast milk composition after exercise of different intensities. J Hum Lact. 13(2): 115-20, 1997.

Quinn, TJ, Carey, GB. Does exercise intensity or diet influence lactic accumulation in breast milk? Med Sci Sp Exerc. 31(1):105-10, 1999.

Cary GB, Quinn TJ. Exercise and lactation: are they compatible? Can Appl Physiol. 26(1):55-75, 2001.

Wright KS, Quinn TJ, Carey GB. Infant acceptance of breast milk after maternal exercise. Pediatrics. 109(4):585-9, 2002.

Su, D, Zhao, Y, Binns, C, Scott, J, Oddy, W.Breast-feeding mothers can exercise: results of a cohort study.Public Health Nutrition. 10(10):1089-1093, 2007.

Corrida na Gravidez – cuidados!

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Corrida na Gravidez – continuar ou parar?

A blogueira Jacque em seu treino de corrida na gravidez - Treino elaborado by Gizele Monteiro
A blogueira Jacque em seu treino de corrida na gravidez – Treino elaborado by Gizele Monteiro

 

Como muitas gestantes me procuram com esta dúvida, resolvi escrever sobre a Corrida na Gravidez.

O período gestacional causa mudanças em todo o organismo da mulher. Existem modificações cardiovasculares, respiratórias, metabólicas, termorregulatórias, hormonais e músculo-esqueléticas que levam a grandes alterações biomecânicas. Todas essas alterações devem ser observadas durante a prescrição de qualquer exercício nesse período.

Muitas mulheres têm dúvidas se podem continuar com a corrida na gravidez.

Pesquisadores internacionais não proíbem a corrida na gravidez, no entanto alertam para que realize essa atividade quem já estava acostumada a realizá-la. Quem nunca fez atividade física, não deve iniciar com corrida na gravidez, essas devem buscar atividades sem impacto como caminhar, pedalar ou realizar atividades com exercícios localizados, alongamentos e com objetivos posturais.

A corrida é uma atividade aeróbica e as atividades aeróbicas auxiliam no controle do ganho de peso durante a gravidez e também ajudam a manter a aptidão física, além de estar associada a prevenção de doenças nesse período.

Devido as grandes alterações cardiovasculares que ocorrem ao longo da gestação, o profissional deve conhecer muito bem a fisiologia gestacional para que saiba como adequar a intensidade, duração e o volume semanal e mensal dessa atividade, sempre de acordo com as mudanças mensais e trimestrais que irão ocorrer. Somente dessa forma o exercício será seguro para a mãe e o bebê.

Algumas mulheres conseguem permanecer com a corrida na gravidez, com as devidas mudanças, até o 8o mês de gravidez, mas isso não é uma regra. Caso a gestante sinta desconforto poderá parar ou intercalar com outra atividade de menor impacto.

Qualquer liberação para o exercício físico, seja qual for ele, sempre deverá ser feito após uma avaliação da saúde materno-fetal do seu obstetra e o acompanhamento clínico durante este período é fundamental.

Atividade Física na Gravidez – importância e benefícios

Por Gizele Monteiro – personal gestante

A diminuição dos níveis de atividade física na gravidez é comum e isso ocasiona a queda da aptidão física geral da mulher.

Esse é um dos motivos da importância da prática de atividade física na gravidez. Quando a mulher é ativa, ela se mantém mais disposta e apta para executar suas tarefas diárias, incluindo manter a sua atividade profissional com qualidade.

Atividade física na gravidez aplicada por Personal Gestante
Atividade física na gravidez aplicada por Personal Gestante

De acordo com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) a recomendação da prática de atividade física na gravidez para mulheres sem complicações obstétricas é a mesma recomendada pelo Centro de Controle de Doenças e Colégio Americano de Medicina Esportiva (CDC/ACMS), ou seja, acumular pelo menos 30 minutos de exercícios moderados todos os dias. Isso sempre colocamos para as mulheres que estavam paradas, isto é, as sedentárias. As treinadas podem continuar o seu programa, desde que também liberados por seu médico, mas com devidas alterações.

É sempre importante que a atividade física seja direcionada para as necessidades da gestante, seja a mulher sedentária ou ativa!

Há uma necessidade de alterações nos programas de atividade física na gravidez devido as mudanças endócrinas, cardiovasculares e posturais ocorridas durante o período gestacional, e para isso o acompanhamento de profissionais de Educação Física capacitados e que entendam essas mudanças, deve ser primordial. Neste momento a individualidade da mulher gestante deve ser respeitada para não colocar em risco o binômio mãe-feto.

Os benefícios da prática de atividade física na gravidez com exercícios físicos bem orientados são diversos e atingem diferentes áreas do organismo materno.

Atividade física na gravidez – benefícios:

  1. Diminui e previne as dores nas costas e quadril (lombalgia gestacional),
  2. Controla a adiposidade e o ganho de peso gestacional,
  3. Controle da pressão arterial,
  4. Diminui o inchaço,
  5. Aumenta ou melhora a aptidão física,
  6. Melhora a saúde psicológica, a auto-imagem, ansiedade, promovendo bem estar, melhora do humor e depressão pós-parto.

Vários estudos relatam a diminuição de riscos de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia em mulheres que mantêm maiores níveis de atividade física na gravidez e até antes da gestação.

Por isso a recomendação para toda gestante saudável é ter um estilo de vida ativo, pois assim além de uma gravidez saudável proporciona uma recuperação mais rápida no pós-parto.

Sobre o Gravidez em Forma by Gizele Monteiro: Se você está com dúvidas para controlar o seu peso na gravidez ou se deseja dicas e informações cadastre-se no www.gravidezemforma.com.br e receba um mini-curso online gratuito ou adquira o e-book “Gravidez em Forma”.

Referências bibliográficas:

ACOG (American College of Obstetricians and Gynecologists). Committee on Obstetric. Exercise during pregnancy and the postpartum period. Pratice Bulletin. Number 267. Am Col Obstet Gynaecol. 2002; 99:171-173.

JOINT SOGC/CSEP CLINICAL PRACTICE GUIDELINE. Exercise in pregnancy and the postpartum period. JOGC. 2003; 129:1-7.