Amamentação X Atividade física

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de mamães – programa Mães em Forma

 

Amamentação X Atividade física … elas são compatíveis?

Recebo frequentemente essas dúvidas em minhas redes sociais …

Posso correr? Correr “seca” o leite?

Quero voltar a fazer atividade física, mas tenho medo de secar o leite. Posso voltar?

O retorno a atividade física junto com a amamentação requer atenção e ajustes sim devido a amamentação e outras mudanças que ocorreram no corpo da mulher.

Exercício e amamentação
Amamentação X Atividade física

Sempre deve ser gradativo, mas não só por uma preocupação com a amamentação. Durante o período gestacional muitas alterações corporais ocorreram e o retorno ao exercício deve sempre ser orientado por um profissional que entenda essas mudanças do organismo feminino, diferenciando assim o programa e o atendimento. Diante desse quadro, voltemos a nossa questão. Um profissional que entende o que acontece com a mulher saberá dosar o exercício numa intensidade adequada para que essa questão não seja respondida de forma positiva.

Não só correr pode prejudicar a amamentação e o corpo da mulher, MAS QUALQUER EXERCÍCIO ORIENTADO DE FORMA INCORRETA.

A produção de leite consome muita energia. Uma mãe em fase de amamentação produz entre 800 e 1200 ml de leite por dia e, para cada litro de leite que a mãe produz, há um gasto entre 500 e 700 (pode ser maior para algumas) calorias em média.

Portanto se o “exercício for intenso ou num volume elevado” e a mulher tiver uma ingestão inadequada poderá prejudicar a amamentação, pelo alto gasto energético que ocorre nesse período. Além do exercício e da ingestão alimentar inadequada, uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação. Claro vamos entender … leite é água e se a mulher estiver desidratada pelo exercício ou por não beber a quantidade adequada de água, terá seu leite reduzido ..

Um outro ponto importante é a própria intensidade do exercício ! As pesquisas relacionadas a amamentação e exercício observam um aumento de ácido lático no leite materno. Esse aumento relaciona-se com a intensidade do exercício, isto é, quanto mais intenso mais ácido lático no leite. A grande discussão era que esse ácido lático poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do bebê ao leite após o exercício pela mudança no sabor deste.

Alguns autores observaram sim essa resposta! Esses estudos e autores mostraram haver uma diferença na aceitação do leite em mães que realizaram “exercício máximo”, sendo o mesmo associado ao aumento da concentração de ácido lático. Os estudos com intensidades adequadas “não mostraram efeitos negativos” sobre a amamentação.

Então concluindo: ao treinarmos, nosso organismo produz ácido lático e este ácido poderia modificar o sabor do leite, fazendo com que o bebê rejeite o “peito”. Se o bebê não mama, o organismo não tem estímulo para produzir mais leite. Não havendo mais produção, o leite realmente pode “secar”, ou melhor, deixar de ser produzido.

Exercícios bem orientado tem esse efeito que pode ser negativo? Não !

Cary & Quinn (2001) realizaram um estudo com revisão literária e concluíram que até a data analisada, que de forma geral o exercício e amamentação eram atividades compatíveis, sendo que dos vários estudos analisados os mesmos não demonstram efeito prejudicial do exercício durante a lactação não afetando a composição, o volume do leite, o crescimento, o desenvolvimento infantil, ou a saúde materna. O exercício também teria um efeito muito importante na melhora da aptidão cardiovascular nas lactantes e na sensação de bem-estar quando comparara lactantes ativas com mulheres sedentárias.

  • Procedimento correto da mamãe ao voltar ao exercício:

O correto é que a mamãe volte a prática de exercícios com um programa especializado – CLIQUE AQUI E CONHEÇA, que seja adequado nessa intensidade e “prepare o seu corpo para a volta gradativa das suas antigas atividade e intensidades”, respeitando os limites de recuperação do corpo … por ex: a barriga (core), postura e o períneo.

A sessão de treino deve ter intensidade adequada para não ultrapassar limites fisiológicos (formando muito ácido lático) e correr o risco de comprometer a amamentação, e também pelo exercício intenso ou em grande volume poder comprometer o sistema músculo-esquelético nesse período.

<< Clique aqui e conheça o programa Mães em Forma – especializado do pós-parto até anos depois da gravidez >>

  • Cuidados importante com as mamas:

As mamas durante a gravidez ficam maiores e mais pesadas e se mantém assim no período pós-parto durante toda a fase de amamentação. Principalmente para atletas que realizam atividades de impacto, como corrida, certifique-se de que eles estejam bem firmes (talvez seja necessário usar dois tops ou um suporte mais adequado).

Referências Bibliográficas sobre o tema:

Wallace, JP, Rabin, J. Int J Sp Med. 12 (3) :328-31, 1991. The concentration of lactic acid in breast milk following maximal exercise. Int J Sports Med. 12(3):328-31, 1991.

Wallace, JP, Inbar, G, Ernsthausen, K. Infant acceptance of postexercise breast milk. Pediatrics.89(6 Pt 2): 1245-7, 1992.

Gale B. Carey, Timothy J. Quinn, Susan E. Goodwin. Breast milk composition after exercise of different intensities. J Hum Lact. 13(2): 115-20, 1997.

Quinn, TJ, Carey, GB. Does exercise intensity or diet influence lactic accumulation in breast milk?Med Sci Sp Exerc. 31(1):105-10, 1999.

Cary GB, Quinn TJ. Exercise and lactation: are they compatible? Can Appl Physiol. 26(1):55-75, 2001.

Wright KS, Quinn TJ, Carey GB. Infant acceptance of breast milk after maternal exercise. Pediatrics. 109(4):585-9, 2002.

Su, D, Zhao, Y, Binns, C, Scott, J, Oddy, W. Breast-feeding mothers can exercise: results of a cohort study. Public Health Nutrition. 10(10):1089-1093, 2007.

Treino intenso depois da gravidez pode prejudicar a amamentação

Treino intenso depois da gravidez pode prejudicar a amamentação? Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de mamães – programa Mães em Forma

 

O treino intenso para emagrecer virou a nova onde e isso também está sendo aderido depois da gravidez.

Treinos como os circuitos com HIIT viraram uma febre com os personais, academias e até programas online.

Esses treinos ganharam também visibilidade na internet através de blogueiras e celebridades. E chegaram inclusive na internet com vários programas online sendo oferecidos … MAS CUIDADO !!!

A pergunta é … esses TREINOS INTENSOS PODEM PREJUDICAR A AMAMENTAÇÃO?

A resposta é SIM!

 

Retorno aos treinos depois da gravidez

O retorno ao exercício no Pós-parto requer atenção e ajustes sim devido a amamentação e outras mudanças que ocorreram no corpo da mulher.

Sempre deve ser gradativo, mas não só por uma preocupação com a amamentação. Durante o período gestacional muitas alterações corporais

Treino intenso e amamentação
Treino intenso e amamentação

ocorreram e o retorno ao exercício deve sempre ser orientado por um profissional que entenda essas mudanças do organismo feminino, diferenciando assim o programa e o atendimento. Diante desse quadro, voltemos a nossa questão. Um profissional que entende o que acontece com a mulher saberá dosar o exercício numa intensidade adequada para que essa questão não seja respondida de forma positiva.

Não só correr pode prejudicar a amamentação e o corpo da mulher, MAS QUALQUER EXERCÍCIO ORIENTADO DE FORMA INCORRETA.

A produção de leite consome muita energia. Uma mãe em fase de amamentação produz entre 800 e 1200 ml de leite por dia e, para cada litro de leite que a mãe produz, há um gasto entre 500 e 700 (pode ser maior para algumas) calorias em média.

Portanto se o “exercício for intenso ou num volume elevado” e a mulher tiver uma ingestão inadequada poderá prejudicar a amamentação, pelo alto gasto energético que ocorre nesse período. Além do exercício e da ingestão alimentar inadequada, uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação. Claro vamos entender … leite é água e se a mulher estiver desidratada pelo exercício ou por não beber a quantidade adequada de água, terá seu leite reduzido ..

 

Intensidade do exercício

Um outro ponto importante é a própria intensidade do exercício ! As pesquisas relacionadas a amamentação e exercício observam um aumento de ácido lático no leite materno. Esse aumento relaciona-se com a intensidade do exercício, isto é, quanto mais intenso mais ácido lático no leite. A grande discussão era que esse ácido lático poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do bebê ao leite após o exercício pela mudança no sabor deste.

Alguns autores observaram sim essa resposta! Esses estudos e autores mostraram haver uma diferença na aceitação do leite em mães que realizaram “exercício máximo”, sendo o mesmo associado ao aumento da concentração de ácido lático. Os estudos com intensidades adequadas “não mostraram efeitos negativos” sobre a amamentação.

Então concluindo: ao treinarmos, nosso organismo produz ácido lático e este ácido poderia modificar o sabor do leite, fazendo com que o bebê rejeite o “peito”. Se o bebê não mama, o organismo não tem estímulo para produzir mais leite. Não havendo mais produção, o leite realmente pode “secar”, ou melhor, deixar de ser produzido.

 

Exercícios bem orientado tem esse efeito que pode ser negativo? Não !

 

Cary & Quinn (2001) realizaram um estudo com revisão literária e concluíram que até a data analisada, que de forma geral o exercício e amamentação eram atividades compatíveis, sendo que dos vários estudos analisados os mesmos não demonstram efeito prejudicial do exercício durante a lactação não afetando a composição, o volume do leite, o crescimento, o desenvolvimento infantil, ou a saúde materna. O exercício também teria um efeito muito importante na melhora da aptidão cardiovascular nas lactantes e na sensação de bem-estar quando comparara lactantes ativas com mulheres sedentárias.

 

Procedimento correto da mamãe ao voltar ao exercício:

O correto é que a mamãe volte a prática de exercícios com um programa moderado e especializado – CLIQUE AQUI E CONHEÇA. E isso não quer dizer que não tenha RESULTADOS.

É um engano achar que a intensidade é que trará o resultado na volta do corpo nesse momento. Exercícios especializados TEM MAIS PODER QUE A INTENSIDADE DO EXERCÍCIO.

Também o adequado nessa intensidade é que ela “prepare o seu corpo para a volta gradativa das suas antigas atividade e intensidades”, respeitando os limites de recuperação do corpo … por ex: a barriga (core), postura e o períneo.

 

Veja esse resultado da minha aluna fazendo exercícios especializados do programa Mães em Forma …

 

Resultado do programa Pós-parto / Mães em Forma
Resultado do programa Pós-parto / Mães em Forma

 

A sessão de treino deve ter intensidade adequada para não ultrapassar limites fisiológicos (formando muito ácido lático) e correr o risco de comprometer a amamentação, e também pelo exercício intenso ou em grande volume poder comprometer o sistema músculo-esquelético nesse período.

<< Clique aqui e conheça o programa Mães em Forma – especializado do pós-parto até anos depois da gravidez >>

  • Cuidados importante com as mamas:

As mamas durante a gravidez ficam maiores e mais pesadas e se mantém assim no período pós-parto durante toda a fase de amamentação. Principalmente para atletas que realizam atividades de impacto, como corrida, certifique-se de que eles estejam bem firmes (talvez seja necessário usar dois tops ou um suporte mais adequado).

 

________________________

Referências Bibliográficas sobre o tema:

Wallace, JP, Rabin, J. Int J Sp Med. 12 (3) :328-31, 1991. The concentration of lactic acid in breast milk following maximal exercise. Int J Sports Med. 12(3):328-31, 1991.

Wallace, JP, Inbar, G, Ernsthausen, K. Infant acceptance of postexercise breast milk. Pediatrics.89(6 Pt 2): 1245-7, 1992.

Gale B. Carey, Timothy J. Quinn, Susan E. Goodwin. Breast milk composition after exercise of different intensities. J Hum Lact. 13(2): 115-20, 1997.

Quinn, TJ, Carey, GB. Does exercise intensity or diet influence lactic accumulation in breast milk?Med Sci Sp Exerc. 31(1):105-10, 1999.

Cary GB, Quinn TJ. Exercise and lactation: are they compatible? Can Appl Physiol. 26(1):55-75, 2001.

Wright KS, Quinn TJ, Carey GB. Infant acceptance of breast milk after maternal exercise. Pediatrics. 109(4):585-9, 2002.

Su, D, Zhao, Y, Binns, C, Scott, J, Oddy, W. Breast-feeding mothers can exercise: results of a cohort study. Public Health Nutrition. 10(10):1089-1093, 2007.

Problemas cardíacos na gravidez e repercussões no feto

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – programa Gravidez em Forma

Problemas cardíacos na gravidez e repercussões no feto

Todas as gestantes portadoras de quaisquer tipos de alterações cardiovasculares são consideradas Gestantes de Alto Risco, como também seu concepto, Recém Nascido de Alto Risco, devendo ser essa gestante acompanhada rigorosamente durante todo período gestacional por uma equipe multiprofissional ou seja, médico cardiologista, ginecologista, obstetra, ultrassonografista, pediatra, além de psicólogo e dentista, tudo isso com boa retaguarda hospitalar para eventuais necessidades de exames especializados ou condutas intervencionistas.

É muito importante durante o período gestacional observar a evolução da Cardiopatia materna e suas repercussões no Feto, com relação a Cardiopatia propriamente dita bem como com relação aos medicamentos usados pela gestante que poderão atingir o feto, tudo deverá ser observado, analisado e discutido cuidadosamente em equipe para que as condutas sejam decididas com cautela em benefício de ambos (mãe e filho).

 

Saúde da mamãe e bebê na Gravidez
Saúde da mamãe e bebê na Gravidez

 

Citaremos algumas prováveis causas de repercussões que podem ocorrer pelo(a):

  • Cardiopatia materna propriamente dita,
  • uso de drogas medicamentosas necessárias no controle da cardiopatia,
  • eventual manobra cirúrgica durante o período gestacional,
  • drogas anestésicas usadas durante o procedimento obstétrico,
  • intercorrências cardíacas durante a gestação ou durante o trabalho de parto,
  • ocorrência de efeitos negativos no fluxo uteroplacentário das gestantes cardiopatas podendo levar ao baixo fluxo sanguíneo na circulação placentária dificultando as trocas gasosas do Oxigênio e a passagem dos Nutrientes para o Feto.

Quaisquer uma dessas poderá causar:

  • Baixo desenvolvimento do Feto e conseqüentemente gerar Recém Nascidos de Baixo Peso, independente da idade gestacional,
  • Nascimento de Prematuros podendo até causar extrema prematuridade,
  • Recém Nascidos com dificuldades vitais cardiorespiratórias,
  • Recém Nascidos com anemia de grau moderado a grave,
  • em alguns casos raros poderá ocorrer alterações morfológicas

Todas as Gestantes portadoras de quaisquer tipos de Cardiopatia deverão ter acompanhamento rigoroso em serviços especializados com avaliações periódicas a fim de:

  • detectar alterações da própria Cardiopatia e as condutas imediatas a serem tomadas durante essa gestação, principalmente as intervencionistas, sempre com o cuidado nas repercussões no feto.
  • avaliar o desenvolvimento Fetal através de exames clínicos, laboratoriais, especiais a fim de diagnosticar precocemente as alterações materno fetais que poderão ser amenizadas, evitadas, tratadas precocemente.

Estatisticamente as principais Cardiopatias encontradas durante a Gestação são as Cardiopatias Hipertensivas, Prolapso de Válvula Mitral, Cardiopatias Reumáticas: Insuficiência da Válvula Mitral, Estenose da Válvula, Cardiopatias Congênitas, Cardiopatia Chagásica, Próteses Valvulares e outras.

Hoje temos vários Serviços Públicos de Cardiopatia e Gravidez de acesso fácil que dão atendimento a essas Gestantes as quais são acompanhadas com rigoroso cuidado tendo estatísticas altamente positivas com resultados benéficos tanto à Gestante como ao Feto, para isso basta ter um encaminhamento do profissional que inicialmente diagnosticou a alteração Cardiovascular na Gestante.

 

Texto da Dra. Elvira Rito Rodrigues
Médica Pediatra do Setor de Cardiopatia e Gravidez do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa da Sec. Municipal de Esportes.

Fonte: http://www.vitrine25demarco.com.br/coluna_detalhe.php?codeps=MzR8NTM=

Diástase depois da gravidez

Por Gizele Monteiro – Coach de Mamães – Prog. Mães em Forma

 

Você quer sua barriga de volta? Então esse post é para você!! Você pode ter ficado com uma diástase depois da gravidez!

Muitas mulheres após terem seus bebês se chocam ao se depararem com sua barriga num estado de flacidez que não esperavam.

Algumas apresentam um buraco e até algum tempo depois isso é normal, porém se você percebe que sua barriga não está voltando … há algo errado!

A estética da barriga após a gravidez está associada as grandes mudanças dos músculos abdominais. Quanto maior a barriga, mais ela será prejudicada e esse é um dos fatores que o controle de peso na gravidez é tão importante !!! O “deixa que depois eu corro atrás e recupero”… é a pior atitude que a gestante pode ter para sua saúde e para sua estética.

Além da mudança de pele, podendo essa ficar flácida, os músculos abdominais são decisivos para a volta da barriga. Durante a gravidez a abertura e o grande alongamento que ocorre nesses músculos deixa-os fracos e também distendidos no pós-parto.

A diástase além da normal e funcional (é a que não volta depois sozinha) é mais comum do que se pensa e a grande maioria a desenvolve durante a gravidez.

A definição de Diástase abdominal é a separação de seu músculo reto abdominal (na verdade são 2 – lado direito e esquerdo); um de seus músculos abdominais comumente conhecido como um dos principais do core (músculos do centro do corpo) que controlam a postura e a força do tronco). A estatística para a diástase abdominal é alta, cerca de 50% das mulheres pós-parto apresentam esta separação dos reto abdominais.

Veja os tipos e localização da diástase …

Diástase depois da gravidez
Diástase depois da gravidez

 

Saiba se você tem diástase – assista o vídeo abaixo do meu canal onde explico como fazer o teste para você descobrir se tem diástase.

 

Porque ocorre?

O aumento do útero, bebê e estruturas fetais (líquido amniótico, placenta) em crescimento provoca um estiramento e alargamento da linha alba e – que é a linha central que divide e que segura as porções direita e esquerda do músculo reto abdominal. Esse é um processo normal e funcional da gestação, porém algumas mulheres esse processo é alterado ou por um espassamento maior ou por um rompimento dessa linha alba.

Vários profissionais dizem que “se a parede abdominal não é forte o suficiente para resistir a esta pressão constante de alongar e sustentar o bebê em crescimento, a linha alba vai rasgar causando uma diástase pós-parto. No entanto tenho visto que essa ocorrência também está presente em mulheres com a musculatura fortalecida, principalmente quando exageram nos exercícios ou não sabem que exercícios podem ser feitos na gravidez. Infelizmente esse erro é mais comum do que se espera.

Quando o core (esse conjunto de músculos) está funcionando corretamente, eles proporcionam estabilidade para sua coluna durante o movimento, sustentando também o peso da barriga na gravidez.

Então ai é que entram as observações que tenho feito. Muitas mulheres não apresentam equilíbrio nesse conjunto do core. Outros fatores que tenho percebido serem risco de predisposição da diástase é o ganho de peso maior do que o necessário, expandindo mais a musculatura; ou ainda uma barriga que cresce bastante pelo bebê ser maior ou algo natural da pessoa.

Além do aspecto de flacidez que compromete a estética, a diástase abdominal enfraquece a estrutura geral do tronco e isso leva a dor lombar, quadril, pélvico, e disfunção do assoalho pélvico. Na verdade, um Core (centro do corpo) enfraquecido pode causar a dores ou até lesões de membros inferiores e superiores na prática de exercícios. E um problema maior para sua saúde é que seus músculos abdominais fracos podem levar a hérnias abdominais.

Se você tem dúvidas sobre o aspecto da sua barriga, se deseja saber se tem diástase abdominal, que tipo de exercícios pode fazer para recuperar sua auto-estima, seu corpo e sua barriga, fique ligada que no próximo post estaremos falando sobre o teste para a avaliação da condição dos seus músculos abdominais.

Cuidado !! Nunca faça abdominais tradicionais logo após a gravidez. Se você tiver diástase, ela poderá piorar, além de também piorar o aspecto da flacidez.

 ***Exercícios após a gravidez ajudam a recuperar não só fisicamente a mamãe, mas mentalmente também. Os exercícios devem ser feitos, mas é necessário um programa de retorno ou início que respeite essas condições.

Procure um personal gestante – profissional especializado em atender gestantes e mamães!

 

  • Se você quer ter um programa seguro para te ajudar a evitar a diástase – acesse e conheça o Programa Gravidez em Forma – Clique aqui .
  • Se você quer saber se tem diástase – conheça o Programa Pós-parto – Mães em Forma – Clique aqui .

 

Saiba quanto peso deve ganhar na gravidez

Gizele Monteiro – Personal Gestante Exercícios na Gravidez e Pós-parto

Idealizadora dos  programas Gravidez em Forma e Mães em Forma

SAIBA QUANTO PESO DEVE GANHAR NA GRAVIDEZ

Uma enquete realizada no no site da Revista CRESCER (veja aqui) mostra que a maioria das grávidas não quer engordar nem o recomendável pelos médicos. Veja os resultados:

Ganho de peso na gravidez by Gizele Monteiro
Ganho de peso na gravidez by Gizele Monteiro

Como você cuida do peso durante a gravidez?

18% – Estou tentando perder peso

50% – Tento manter o peso inicial

32% – Pretendo ganhar a quantia indicada pelo obstetra

  • ENGRAVIDOU COM PESO ADEQUADO: se você engravidou e está com peso adequado, não precisa – nem deve – se preocupar em perder ou manter o peso de antes. Esse é o único momento da vida em que a expectativa é que você aumente o seu peso mesmo (na medida certa, claro).

Uma enquete com cerca de 60 mulheres no site CRESCER mostra que a maioria não quer “engordar” nem o recomendável, o que pode prejudicar o bebê.

Parte do peso ganho durante a gravidez está relacionado ao peso do bebê e outras estruturas e mudanças como: placenta, aumento do volume de sangue, etc.

Em média, você deve ganhar de 9 a 12 kg na gestação. Se engordar menos de 5 kg, seu filho pode desenvolver alguma doença no futuro. E se engordar demais, pode ter diabetes, diz Flávio Garcia de Oliveira, obstetra. Mas a regra não vale para todas.

ENGRAVIDOU ABAIXO DO PESO: quem estava muito abaixo do peso antes de engravidar pode precisar ganhar mais quilos e vice-versa.

O importante é manter a saúde da mamãe e do bebê!

Lembramos que um programa de exercícios físicos é um meio de auxiliar no seu ganho de peso adequado, te ajudando a evitar a obesidade e doenças relacionadas a esse ganho de peso excessivo durante a gravidez!

 

UM PROGRAMA GESTANTE PODERÁ TE DAR O PASSO A PASSO E O QUE FAZER EM CADA FASE DA GRAVIDEZ

Essa é a grande diferença de um programa preparado por um Personal
Gestante e é a grande diferença do programa GRAVIDEZ EM FORMA

-> Entenda como você pode ganhar o peso adequado.

<< Acesse o site e conheça o programa – Clique aqui >>

Programa para controle de peso by Gravidez em Forma
Programa para controle de peso by Gravidez em Forma

Alimentação e volta do corpo depois da gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Mães em Forma

 

A alimentação e a volta do corpo depois da gravidez estão intimamente ligadas.

No pós-parto é um dos pontos super importantes para a volta do corpo depois da gravidez.

Saber o que comer e como te ajudará a ter um pós-parto com saúde, equilíbrio e ajudando na volta do seu corpo.

Veja essa entrevista que o Dr. Roberto Navarro fez para o programa Você Bonita.

 

O programa para a volta do corpo Mães em Forma te ajudará a gastar calorias para a volta do seu peso e do seu corpo.

Juntos … alimentação saudável + exercícios especializados farão que você consiga a missão corpo de volta de maneira saudável e relativamente rápida.

Eu indico no programa o app My Fitness Pal para que você veja a qualidade da sua alimentação. Nele você registra suas refeições e dessa forma vê onde está escorregando em calorias e qualidade.

Conheça agora o programa Mães em Forma e não perca tempo … Tenha de volta o seu corpo com o programa especializado.

Acesse e cadastre-se para receber meu e-book gratuito “Como ter a barriga reta depois da Gravidez – << Clique aqui >>

Tensão Muscular – Entrevista com a personal gestante Gizele Monteiro

A tensão muscular, estresse e dores no corpo são causas constantes de buscas em meu blog.

Tenho muitas queixas de gestantes e mamães com dores por todo o corpo.

Essa entrevista para o programa que participei esclarece vários pontos de como nosso corpo tem que estar em harmonia.

Quero orientar em ações simples e que podem contribuir para amenizar esse quadro tão comum também com a gravidez e maternidade.

Tanto no programa Gravidez em Forma, quanto no Mães em Forma tenho exercícios direcionados para esse incômodo que gera dores por todo o corpo. Clique no programa que deseja e conheça mais e seja uma mamãe mais leve e feliz.

 

Fiz um artigo também especial para que você entenda o quanto exercícios de relaxamento e alongamento são importantes na gravidez.

Para ler CLIQUE AQUI

Entrevista ao programa Esporte e Atividade física com o professor Artur Monteiro

A tensão muscular é um tema ainda desconhecido. Vale a pena entender um pouco mais …

 

Parte 1 / 6

Parte 2 / 6

Parte 3 / 6

Parte 4 / 6

Parte 5 / 6

Parte 6 / 6

Quero engravidar – preciso mudar meu treino?

Por Gizele Monteiro – personal gestante – coach de gestantes

 

Dúvida comum e ainda informação rara …. Quero engravidar ! Preciso mudar meu treino?

A mulher moderna Hoje, planeja sua gravidez e o exercício pode fazer parte desse planejamento. Isso é importante para a saúde da mãe e do bebê, mas também para manter uma gestação com mais disposição.

stockxpertcom_id1109761_3e32bc1c8c78f27208a39c382540cce5Será que você precisar preparar seu corpo fisicamente para a gravidez? A resposta para essa pergunta é SIM.

A gravidez traz uma demanda metabólica maior, muda a postura e a exigência muscular passa a ser maior, até mesmo o coração aumenta de tamanho e bate mais vezes para suprir toda a necessidade que a mãe e o seu filho terão de sangue.

Existem vários músculos que são sobrecarregados com as mudanças na gravidez, por exemplo, a região lombar, a qual deve ser fortalecida e alongada durante a gestação para a prevenção de uma das maiores queixas nesse período, a Dor Lombar Gestacional. Assim como a lombar, outras partes do corpo precisam de atenção.

Então um programa Pré-gravidez, precisa considerar essas necessidades.

Esse programa especializado facilitará você a enfrentar a gravidez dando-lhe mais disposição, e também auxiliará na sua recuperação no período pós-parto.

Portanto se você deseja engravidar, pode e deve preparar o seu corpo e buscar um programa especializado que lhe ajudará em todas as alterações que seu corpo sofrerá.

Se você deseja esse programa que prepara o seu corpo para a gravidez, deseja a mudança e reestruturação do seu treino, saiba mais sobre a consultoria – treinamento à distância para sua gravidez com saúde.

Acione pelo Whats app: (11) 9 9651.8909

Atividade física na gravidez

Atividade física na Gravidez pode ser considerada saúde ou estética?

Infelizmente muitos ainda a tem como estética e vaidade, mas isso não é verdade. Veja nessa artigo quantos benefícios o atividade física na gravidez pode proporcionar.

Mudanças nos níveis de atividade física na gravidez

Atividade física na gravidez
Atividade física na gravidez

A diminuição da atividade física na gravidez é comum devido a todas as alterações corporais.

Essa redução ocasiona a queda no nível de aptidão física da mulher. Desta forma, é interessante que a mulher realize atividade física na gestação.

A atividade física na gravidez, ajudará a manter seu peso controlado, mais disposta por manter a força muscular e também sem dores. Tudo isso contribuirá para a manutenção da sua aptidão.

De acordo com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) a recomendação de exercícios na gravidez para mulheres sem complicações obstétricas é a mesma recomendada pelo Centro de Controle de Doenças e Colégio Americano de Medicina Esportiva (CDC/ACMS), ou seja, acumular pelo menos 30 minutos de exercícios moderados todos os dias.

Atividade física na gestação by Gizele Monteiro
Atividade física na gestação by Gizele Monteiro

Há uma necessidade de alterações nos programas de exercício devido as mudanças endócrinas, cardiovasculares e posturais ocorridas durante o período gestacional, e então um programa de exercícios especializado será adequado para seu novo corpo.

Um programa elaborado com conceitos e as mudanças necessárias será primordial.

As mudanças do período gestacional devem ser respeitadas para não colocar em risco o binômio mãe-bebê.

Benefícios do exercício na gestação:

Os benefícios de exercícios físicos bem orientados são diversos e atingem diferentes áreas do organismo materno.

  1. Reduz e previne as dores nas costas e quadril tão comuns,
  2. Controle da adiposidade e do ganho de peso gestacional,
  3. Controle da pressão arterial, diminuir o inchaço,
  4. Aumento ou manutenção a aptidão física,
  5. Atuar na melhora da saúde psicológica, como auto-imagem, ansiedade, bem estar e humor.

Vários estudos ainda relatam a diminuição de riscos de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia em mulheres que mantêm maiores níveis de atividade física antes e durante a gestação.

Desta forma, recomenda-se um estilo de vida ativo a ser adotado por mulheres gestantes, pois assim além de uma gravidez saudável proporciona uma recuperação mais rápida no pós-parto.

 

Programa Gravidez em Forma

Conheça o programa Online Gravidez em Forma e desfrute cada um desses benefícios em sua gravidez. Tenha seu corpo de volta depois da gravidez. Clique na imagem e saiba mais !!

 

Programa Online Gravidez em Forma - exercícios especializados by Gizele Monteiro
Programa Online Gravidez em Forma – exercícios especializados by Gizele Monteiro

Referências

ACOG (American College of Obstetricians and Gynecologists). Committee on Obstetric. Exercise during pregnancy and the postpartum period. Pratice Bulletin. Number 267. Am Col Obstet Gynaecol. 2002; 99:171-173.

JOINT SOGC/CSEP CLINICAL PRACTICE GUIDELINE. Exercise in pregnancy and the postpartum period. JOGC. 2003; 129:1-7.

Ganho de peso na gravidez – Benefícios do exercício

Ganho de Peso na Gravidez – o exercício pode trazer inúmeros benefícios para a saúde da mamãe e do bebê.

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – programa online Gravidez em Forma

 

O ganho de peso controlado durante a gravidez pode ser um dos maiores benefícios que o exercício pode promover para a mamãe e seu bebê.

Você tem idéia do porquê?

Ganho de peso na gravidez - benefícios do exercício by Gizele Monteiro
Ganho de peso na gravidez – benefícios do exercício by Gizele Monteiro

 

Várias doenças que podem aparecer na gravidez se associam ao ganho de peso durante a gravidez.

Essas doenças oferecem riscos para você e seu bebê.

Como exemplos temos hipertensão e diabetes gestacional, doenças que aumentam o risco que o bebê desenvolva-as na vida futura.

Mas vamos a outros pontos … Um dos maiores medos da mulher na gestação é engordar.

E não é comum ouvir mulheres dizendo que engordaram 20-25 quilos na gravidez?

Além da estética e uma dificuldade muito maior de ter novamente seu corpo de volta, existe perigos para o ganho de peso excessivo na gravidez.

De fato a mulher tem que aumentar o seu peso e esse é distribuído entre o conteúdo feto-placentário e mais os tecidos da mulher que também aumentam como coração, mamas, líquidos, e é claro, a gordura. Mas é importante entender que durante a gestação, existem duas fases metabólicas bem definidas. Veja abaixo:

Ganho de Peso na Gravidez no primeiro e segundo trimestres

No primeiro e segundo trimestres há o crescimento fetal mínimo e nessa fase há o grande perigo do aumento da gordura porque a mãe além do metabolismo alterado, ela tem mais fome e come mais, processo denominado hiperfagia, resultando então no aumento do peso corporal materno, especificamente pelo grande acúmulo de gordura. Portanto o ganho de peso na gestação se dá pelas mudanças teciduais e gordura. Uma das maravilhas é que todo esse processo faz com que a mulher durante a gestação poupe sua glicose para o seu bebê. Há uma inversão metabólica em seu organismo fazendo com que ela estoque gordura para ter alimento para ela e disponibilizando dessa forma a quantidade adequada de glicose para crescimento e formação do bebê.

 

Ganho de Peso na Gravidez no último trimestre

No último trimestre, há o intenso crescimento fetal, que é sustentado pela transferência de nutrientes da circulação materna. O acúmulo de gordura cessa e em muitos casos, há até queda nos depósitos de gordura. Especialmente nesse período (terço final), os pesos fetal e placentário aumentam aceleradamente elevando as necessidades calóricas à custa do metabolismo materno.

 

“Começar a gravidez com sobrepeso, obesidade ou ganhar muito peso durante aumentam o risco de hipertensão e pré-eclâmpsia. Há também o risco de diabetes gestacional que promove um crescimento exagerado do bebê.”

 

Benefícios do Exercício na Gestação

Um dos benefícios com a prática de exercícios na gestação é auxiliar no controle desse ganho de peso.

Exercício na Gravidez by Gizele Monteiro
Exercício na Gravidez by Gizele Monteiro

Ao controlar o peso, você ganha menos gordura corporal.

Isso te ajudará na saúde e também a recuperar seu corpo mais rápido e de forma saudável.

Controlar o peso na gravidez faz você não precisar recorrer a dietas no pós-parto.

Infelizmente muitas mulheres partem pra dietas da moda ou radicais comprometendo a amamentação por não saberem disso.

Todos esses benefícios levam a redução de complicações no parto, favorecendo a saúde da mulher e do bebê.

 

Então que tal dar uma guinada na sua saúde ?

O programa online Gravidez em Forma foi especialmente para te ajudar a não engordar na gravidez.

A balança é um pesadelo para muitas gestantes e por isso criei um programa de exercícios que te deixe “De Bem Com a Balança”! Além dos benefícios para sua saúde, você cuidará do seu corpo, ganhando apenas o peso adequado na gravidez.

Invista na sua saúde física e emocional para que você não tenha frustrações depois para recuperar seu corpo.

Siga com o cadastro clicando no botão abaixo!!