Atividade física na gravidez

Atividade física na Gravidez pode ser considerada saúde ou estética?

Infelizmente muitos ainda a tem como estética e vaidade, mas isso não é verdade. Veja nessa artigo quantos benefícios o atividade física na gravidez pode proporcionar.

Mudanças nos níveis de atividade física na gravidez

Atividade física na gravidez
Atividade física na gravidez

A diminuição da atividade física na gravidez é comum devido a todas as alterações corporais.

Essa redução ocasiona a queda no nível de aptidão física da mulher. Desta forma, é interessante que a mulher realize atividade física na gestação.

A atividade física na gravidez, ajudará a manter seu peso controlado, mais disposta por manter a força muscular e também sem dores. Tudo isso contribuirá para a manutenção da sua aptidão.

De acordo com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG) a recomendação de exercícios na gravidez para mulheres sem complicações obstétricas é a mesma recomendada pelo Centro de Controle de Doenças e Colégio Americano de Medicina Esportiva (CDC/ACMS), ou seja, acumular pelo menos 30 minutos de exercícios moderados todos os dias.

Atividade física na gestação by Gizele Monteiro
Atividade física na gestação by Gizele Monteiro

Há uma necessidade de alterações nos programas de exercício devido as mudanças endócrinas, cardiovasculares e posturais ocorridas durante o período gestacional, e então um programa de exercícios especializado será adequado para seu novo corpo.

Um programa elaborado com conceitos e as mudanças necessárias será primordial.

As mudanças do período gestacional devem ser respeitadas para não colocar em risco o binômio mãe-bebê.

Benefícios do exercício na gestação:

Os benefícios de exercícios físicos bem orientados são diversos e atingem diferentes áreas do organismo materno.

  1. Reduz e previne as dores nas costas e quadril tão comuns,
  2. Controle da adiposidade e do ganho de peso gestacional,
  3. Controle da pressão arterial, diminuir o inchaço,
  4. Aumento ou manutenção a aptidão física,
  5. Atuar na melhora da saúde psicológica, como auto-imagem, ansiedade, bem estar e humor.

Vários estudos ainda relatam a diminuição de riscos de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia em mulheres que mantêm maiores níveis de atividade física antes e durante a gestação.

Desta forma, recomenda-se um estilo de vida ativo a ser adotado por mulheres gestantes, pois assim além de uma gravidez saudável proporciona uma recuperação mais rápida no pós-parto.

 

Programa Gravidez em Forma

Conheça o programa Online Gravidez em Forma e desfrute cada um desses benefícios em sua gravidez. Tenha seu corpo de volta depois da gravidez. Clique na imagem e saiba mais !!

 

Programa Online Gravidez em Forma - exercícios especializados by Gizele Monteiro
Programa Online Gravidez em Forma – exercícios especializados by Gizele Monteiro

Referências

ACOG (American College of Obstetricians and Gynecologists). Committee on Obstetric. Exercise during pregnancy and the postpartum period. Pratice Bulletin. Number 267. Am Col Obstet Gynaecol. 2002; 99:171-173.

JOINT SOGC/CSEP CLINICAL PRACTICE GUIDELINE. Exercise in pregnancy and the postpartum period. JOGC. 2003; 129:1-7.

Ganho de peso na gravidez – Benefícios do exercício

Ganho de Peso na Gravidez – o exercício pode trazer inúmeros benefícios para a saúde da mamãe e do bebê.

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – programa online Gravidez em Forma

 

O ganho de peso controlado durante a gravidez pode ser um dos maiores benefícios que o exercício pode promover para a mamãe e seu bebê.

Você tem idéia do porquê?

Ganho de peso na gravidez - benefícios do exercício by Gizele Monteiro
Ganho de peso na gravidez – benefícios do exercício by Gizele Monteiro

 

Várias doenças que podem aparecer na gravidez se associam ao ganho de peso durante a gravidez.

Essas doenças oferecem riscos para você e seu bebê.

Como exemplos temos hipertensão e diabetes gestacional, doenças que aumentam o risco que o bebê desenvolva-as na vida futura.

Mas vamos a outros pontos … Um dos maiores medos da mulher na gestação é engordar.

E não é comum ouvir mulheres dizendo que engordaram 20-25 quilos na gravidez?

Além da estética e uma dificuldade muito maior de ter novamente seu corpo de volta, existe perigos para o ganho de peso excessivo na gravidez.

De fato a mulher tem que aumentar o seu peso e esse é distribuído entre o conteúdo feto-placentário e mais os tecidos da mulher que também aumentam como coração, mamas, líquidos, e é claro, a gordura. Mas é importante entender que durante a gestação, existem duas fases metabólicas bem definidas. Veja abaixo:

Ganho de Peso na Gravidez no primeiro e segundo trimestres

No primeiro e segundo trimestres há o crescimento fetal mínimo e nessa fase há o grande perigo do aumento da gordura porque a mãe além do metabolismo alterado, ela tem mais fome e come mais, processo denominado hiperfagia, resultando então no aumento do peso corporal materno, especificamente pelo grande acúmulo de gordura. Portanto o ganho de peso na gestação se dá pelas mudanças teciduais e gordura. Uma das maravilhas é que todo esse processo faz com que a mulher durante a gestação poupe sua glicose para o seu bebê. Há uma inversão metabólica em seu organismo fazendo com que ela estoque gordura para ter alimento para ela e disponibilizando dessa forma a quantidade adequada de glicose para crescimento e formação do bebê.

 

Ganho de Peso na Gravidez no último trimestre

No último trimestre, há o intenso crescimento fetal, que é sustentado pela transferência de nutrientes da circulação materna. O acúmulo de gordura cessa e em muitos casos, há até queda nos depósitos de gordura. Especialmente nesse período (terço final), os pesos fetal e placentário aumentam aceleradamente elevando as necessidades calóricas à custa do metabolismo materno.

 

“Começar a gravidez com sobrepeso, obesidade ou ganhar muito peso durante aumentam o risco de hipertensão e pré-eclâmpsia. Há também o risco de diabetes gestacional que promove um crescimento exagerado do bebê.”

 

Benefícios do Exercício na Gestação

Um dos benefícios com a prática de exercícios na gestação é auxiliar no controle desse ganho de peso.

Exercício na Gravidez by Gizele Monteiro
Exercício na Gravidez by Gizele Monteiro

Ao controlar o peso, você ganha menos gordura corporal.

Isso te ajudará na saúde e também a recuperar seu corpo mais rápido e de forma saudável.

Controlar o peso na gravidez faz você não precisar recorrer a dietas no pós-parto.

Infelizmente muitas mulheres partem pra dietas da moda ou radicais comprometendo a amamentação por não saberem disso.

Todos esses benefícios levam a redução de complicações no parto, favorecendo a saúde da mulher e do bebê.

 

Então que tal dar uma guinada na sua saúde ?

O programa online Gravidez em Forma foi especialmente para te ajudar a não engordar na gravidez.

A balança é um pesadelo para muitas gestantes e por isso criei um programa de exercícios que te deixe “De Bem Com a Balança”! Além dos benefícios para sua saúde, você cuidará do seu corpo, ganhando apenas o peso adequado na gravidez.

Invista na sua saúde física e emocional para que você não tenha frustrações depois para recuperar seu corpo.

Siga com o cadastro clicando no botão abaixo!!

Mudanças corporais e posturais na gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – programa online Gravidez em Forma

 

Existem muitas mudanças corporais e posturais na gravidez.

O período gestacional apresenta diversas mudanças corporais, sendo elas fisiológicas e anatômicas as quais são provocadas por necessidades funcionais e metabólicas para a formação do bebê e manutenção metabólica da mãe.

O abdome protuso, uma marcha gingada e lordose exagerada são aspectos familiares de uma gestação normal. O útero, de um órgão estritamente pélvico, com doze semanas torna-se um órgão abdominal, deslocando os intestinos e entrando em contato direto com a parede abdominal (Artal et al., 1990).

A projeção anterior do útero, que se expande dentro da cavidade abdominal pelo crescimento ventral do feto, o ganho de peso, aumento do volume de sangue, deslocam o centro de gravidade, o qual não fica mais entre os pés. A mulher precisa se inclinar para trás para ter equilíbrio (Brook et al., 2005), resultando em aumento progressivo da lordose lombar e rotação da pélvis sobre o fêmur (causando um esforço sobre a articulação sacroilíaco e do quadril). Isso desloca o centro de gravidade de volta sobre a pélvis, evitando uma queda para frente.

 

Postura na gravidez
Postura na gravidez

 

Para manter a linha de visão e também compensar a lordose lombar, inicia-se uma série de modificações posturais (Artal et al., 1990).

A estabilidade da gestante é obtida à custa de uma carga aumentada sobre os músculos e os ligamentos da coluna vertebral e essa pode ser uma das razões da dor lombar ser tão comum na gestação.

 

Dor nas costas na gravidez
Dor nas costas na gravidez

 

Estudiosos mostram ocorrer as seguintes as trocas posturais:

  • A lordose cervical aumenta e desenvolve-se um posicionamento anteriorizado da cabeça para compensar o alinhamento do ombro.
  • A lordose lombar aumenta para compensar a mudança no centro de gravidade e os joelhos se hiperestendem, provavelmente pela mudança na linha da gravidade.
  • Os ombros ficam arredondados com protração escapular e rotação interna dos membros superiores em razão do crescimento das mamas e posicionamento para cuidado do bebê após o parto.
  • O peso transfere-se para os calcanhares para trazer o centro de gravidade para uma posição mais posterior (Gazaneo & Oliveira, 1998; Nyska et al., 1997).

 

PROGRAMA DE EXERCÍCIOS PARA MANTER A POSTURA E EVITAR DORES

Por atender tantas gestantes em anos como personal gestante, os estudos e a prática me fizeram idealizar um programa que previna dores nas costas, ajude a controlar o peso e manter a gestante disposta para continuar com sua rotina profissional ou vida social.

O programa online Gravidez em Forma, é o único programa que ajuda você a não engordar e te mantem disposta e ativa na gravidez.

Veja o depoimento Dra. Giovana Portella – Pediatra e aluna do programa Gravidez em Forma. Ela se manteve ativa, controlou seu peso, não gastou dinheiro com roupas de gestantes e trabalhou até dias antes do parto. E o melhor … estava preparada para enfrentar o parto normal e em “19 dias” teve seu corpo de volta.

Saiba mais sobre o programa … << CLIQUE AQUI >>

Exercício após a gravidez seca o leite?

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de mamães – programa Mães em Forma

 

O exercícios depois da gravidez seca o leite?

Recebo frequentemente essas dúvidas em minhas redes sociais …

Posso correr? Correr “seca” o leite?

Quero voltar a fazer exercícios, mas tenho medo de secar o leite. Posso voltar?

O retorno ao exercício no Pós-parto requer atenção e ajustes sim devido a amamentação e outras mudanças que ocorreram no corpo da mulher.

Exercício e amamentação
Exercício e amamentação

Sempre deve ser gradativo, mas não só por uma preocupação com a amamentação. Durante o período gestacional muitas alterações corporais ocorreram e o retorno ao exercício deve sempre ser orientado por um profissional que entenda essas mudanças do organismo feminino, diferenciando assim o programa e o atendimento. Diante desse quadro, voltemos a nossa questão. Um profissional que entende o que acontece com a mulher saberá dosar o exercício numa intensidade adequada para que essa questão não seja respondida de forma positiva.

Não só correr pode prejudicar a amamentação e o corpo da mulher, MAS QUALQUER EXERCÍCIO ORIENTADO DE FORMA INCORRETA.

A produção de leite consome muita energia. Uma mãe em fase de amamentação produz entre 800 e 1200 ml de leite por dia e, para cada litro de leite que a mãe produz, há um gasto entre 500 e 700 (pode ser maior para algumas) calorias em média.

Portanto se o “exercício for intenso ou num volume elevado” e a mulher tiver uma ingestão inadequada poderá prejudicar a amamentação, pelo alto gasto energético que ocorre nesse período. Além do exercício e da ingestão alimentar inadequada, uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação. Claro vamos entender … leite é água e se a mulher estiver desidratada pelo exercício ou por não beber a quantidade adequada de água, terá seu leite reduzido ..

Um outro ponto importante é a própria intensidade do exercício ! As pesquisas relacionadas a amamentação e exercício observam um aumento de ácido lático no leite materno. Esse aumento relaciona-se com a intensidade do exercício, isto é, quanto mais intenso mais ácido lático no leite. A grande discussão era que esse ácido lático poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do bebê ao leite após o exercício pela mudança no sabor deste.

Alguns autores observaram sim essa resposta! Esses estudos e autores mostraram haver uma diferença na aceitação do leite em mães que realizaram “exercício máximo”, sendo o mesmo associado ao aumento da concentração de ácido lático. Os estudos com intensidades adequadas “não mostraram efeitos negativos” sobre a amamentação.

Então concluindo: ao treinarmos, nosso organismo produz ácido lático e este ácido poderia modificar o sabor do leite, fazendo com que o bebê rejeite o “peito”. Se o bebê não mama, o organismo não tem estímulo para produzir mais leite. Não havendo mais produção, o leite realmente pode “secar”, ou melhor, deixar de ser produzido.

 

Exercicios bem orientado tem esse efeito que pode ser negativo? Não !

Cary & Quinn (2001) realizaram um estudo com revisão literária e concluíram que até a data analisada, que de forma geral o exercício e amamentação eram atividades compatíveis, sendo que dos vários estudos analisados os mesmos não demonstram efeito prejudicial do exercício durante a lactação não afetando a composição, o volume do leite, o crescimento, o desenvolvimento infantil, ou a saúde materna. O exercício também teria um efeito muito importante na melhora da aptidão cardiovascular nas lactantes e na sensação de bem-estar quando comparara lactantes ativas com mulheres sedentárias.

 

  • Procedimento correto da mamãe ao voltar ao exercício:

O correto é que a mamãe volte a prática de exercícios com um programa especializado – CLIQUE AQUI E CONHEÇA, que seja adequado nessa intensidade e “prepare o seu corpo para a volta gradativa das suas antigas atividade e intensidades”, respeitando os limites de recuperação do corpo … por ex: a barriga (core), postura e o períneo.

A sessão de treino deve ter intensidade adequada para não ultrapassar limites fisiológicos (formando muito ácido lático) e correr o risco de comprometer a amamentação, e também pelo exercício intenso ou em grande volume poder comprometer o sistema músculo-esquelético nesse período.

 

<< Clique aqui e conheça o programa Mães em Forma – especializado do pós-parto até anos depois da gravidez >>

 

  • Cuidados importante com as mamas:

As mamas durante a gravidez ficam maiores e mais pesadas e se mantém assim no período pós-parto durante toda a fase de amamentação. Principalmente para atletas que realizam atividades de impacto, como corrida, certifique-se de que eles estejam bem firmes (talvez seja necessário usar dois tops ou um suporte mais adequado).

 

Referências Bibliográficas sobre o tema:

Wallace, JP, Rabin, J. Int J Sp Med. 12 (3) :328-31, 1991. The concentration of lactic acid in breast milk following maximal exercise. Int J Sports Med. 12(3):328-31, 1991.

Wallace, JP, Inbar, G, Ernsthausen, K. Infant acceptance of postexercise breast milk. Pediatrics.89(6 Pt 2): 1245-7, 1992.

Gale B. Carey, Timothy J. Quinn, Susan E. Goodwin. Breast milk composition after exercise of different intensities. J Hum Lact. 13(2): 115-20, 1997.

Quinn, TJ, Carey, GB. Does exercise intensity or diet influence lactic accumulation in breast milk?Med Sci Sp Exerc. 31(1):105-10, 1999.

Cary GB, Quinn TJ. Exercise and lactation: are they compatible? Can Appl Physiol. 26(1):55-75, 2001.

Wright KS, Quinn TJ, Carey GB. Infant acceptance of breast milk after maternal exercise. Pediatrics. 109(4):585-9, 2002.

Su, D, Zhao, Y, Binns, C, Scott, J, Oddy, W. Breast-feeding mothers can exercise: results of a cohort study. Public Health Nutrition. 10(10):1089-1093, 2007.

Saúde e bem-estar da gestante no trabalho

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Gravidez em Forma programa online

 

Vamos ver hoje algumas dicas de saúde e bem-estar da gestante no trabalho, e  alívio e prevenção de dores e incômodos comuns na gravidez, que nos foi dada pela personal Gestante Gizele Monteiro. O perfil da mulher grávida nesses tempos modernos mudou. A mulher hoje busca um posicionamento e carreira profissional para depois estabelecer o vínculo com a maternidade. A média de idade que temos hoje é de 35 anos para a gestante.

Com essa mudança a mulher tem que se preocupar mais com sua saúde para que seu bebê também seja o mais saudável possível. As mulheres nessa faixa etária já se encontram com o peso mais elevado e também sedentárias.

A personal gestante Gizele Monteiro, idealizadora do programa online Gravidez em Forma e autora do e-book Gravidez em Forma (adquirido pelo site – clique aqui), que ajuda a mamãe a se manter em forma, pensa também no seu bem-estar durante a sua rotina de trabalho e propõe cuidados para alívio de desconfortos que são comuns devido às alterações corporais que irão acontecer.

 

Saúde e cuidados da gestante no trabalho
Saúde e cuidados da gestante no trabalho

 

“Os exercícios são direcionados para prevenção e alívio de desconfortos como dores nas costas, prevenção de inchaço e dores nos pés e alívio de tensão muscular e estresse”, diz a personal.

Para isso ela propõe exercícios fáceis e rápidos para as mamães fazerem.

Exercícios de alongamento direcionados para:
Região de ombros e pescoço

1- ombros para trás:

Realizar movimentos circulares lentos e amplos dos ombros – respiração contínua, tranquila e controlada. Esses movimentos podem ajudar a reorganizar a postura e também promover alívio da tensão.
Região do quadril e pernas

2- sentada na cadeira:

Estender uma das pernas a frente e projetar levemente o tronco na direção. O tronco deve se manter alinhado, acionando os músculos das costas para se manter ereta. O movimento dever ser em amplitude confortável, sem dor. Aproveite para movimentar os pés para frente e para trás.

“O simples fato de parar, sentar confortavelmente e espreguiçar direcionando movimentos da coluna para várias direções já produz uma sensação de relaxamento. Movimentações suaves conduzindo o ombro em círculos para trás também reorganizam a postura dando sensação de alívio de alinhamento”, diz Gizele.

* Massagem com bolinha de borracha na região das costas – ombros e quadril.

“A massagem com bolinha pode ser executada com movimentos circulares lentos e com leve pressão por toda a região lateral da coluna, desde cima até o quadril. Aproveite e faça um pouco também no quadril. Caso não haja ninguém para ajudá-la, a gestante pode sentar numa cadeira e realizar pressão suave contra a bolinha. O único inconveniente é que “ela” irá direcionar a bolinha com a mão, pegando e colocando no ponto em que desejar. Mas a sensação de alívio compensa isso”, explica a personal gestante.

* Promove grande alívio de dores e tensões comuns ao final da gravidez pelo• peso e alterações posturais;

* Para o ombro, basta circular a bolinha sobre ele, com pressão suave,• promove grande alívio da tensão nessa região.

* Massagem com bolinha de borracha nos pés – ajuda a evitar dores e inchaço nos pés.

* Sentada numa cadeira ou em pé, realizar a pressão da bolinha com um dos pés. Passe por todo o arco do pé, calcanhares e ponta dos pés.

“Devido o aumento do peso e também a alteração do centro de gravidade, os pés são bastante sobrecarregados, principalmente ao final da gestação. Ajuda bastante também a evitar os inchaços se a gestante se movimentar – levantar e andar várias vezes ao dia.”

 

Para controlar o peso na gravidez, saber mais cuidados e exercícios para sua saúde e bem-estar, acesse o site do programa Gravidez em Forma.

Veja como é fácil se seguro estar livre do pesadelo de subir na balança e ficar saudável e  De Bem com a Balança … Acesse – gravidezemforma.com.br/programa-gravidez-em-forma

 

Entrevista concedida ao site – bigmae.com

 

 

Grávida pode correr?

Por Gizele Monteiro – personal gestante e Coach – programa Gravidez em Forma

 

Será que grávida pode correr?

Assista esse vídeo para ter orientações para que sua atividade seja bem orientada.

 

Você pode ter acesso a um programa completo de corrida + exercícios de fortalecimento para que seu programa seja totalmente direcionado para suas necessidades dos trimestres gestacionais.

Esse equilíbrio te ajudará a controlar o peso.

Acesse – gravidezemforma.com.br/programa-gravidez-em-forma

Corrida na Gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

Corrida na Gravidez – continuar ou parar?

Corrida na gravidez by Gizele Monteiro
Corrida na gravidez by Gizele Monteiro

Como muitas gestantes me procuram com esta dúvida, resolvi escrever sobre a Corrida na Gravidez.

O período gestacional causa mudanças em todo o organismo da mulher. Existem modificações cardiovasculares, respiratórias, metabólicas, termorregulatórias, hormonais e músculo-esqueléticas que levam a grandes alterações biomecânicas. Todas essas alterações devem ser observadas durante a prescrição de qualquer exercício nesse período.

Muitas mulheres têm dúvidas se podem correr durante a gravidez. Pesquisadores internacionais não proíbem a corrida na gravidez, no entanto alertam para que realize essa atividade quem já estava acostumada a realizá-la. Quem nunca fez atividade física, não deve iniciar com corrida na gravidez, essas devem buscar atividades sem impacto como caminhar, pedalar ou realizar atividades com exercícios localizados, alongamentos e com objetivos posturais.

A atividade aeróbica auxilia no controle do ganho de peso durante a gravidez e também ajuda a manter a aptidão física, além de estar associada a prevenção de doenças nesse período.

Devido as grandes alterações cardiovasculares que ocorrem ao longo da gestação, o profissional deve conhecer muito bem a fisiologia gestacional para que saiba como adequar a intensidade, duração e o volume semanal e mensal dessa atividade, sempre de acordo com as mudanças mensais e trimestrais que irão ocorrer. Somente dessa forma o exercício será seguro para a mãe e o bebê.

Algumas mulheres conseguem permanecer correndo normalmente até o 8o mês de gravidez, mas isso não é uma regra. Caso a gestante sinta desconforto poderá parar ou intercalar com outra atividade de menor impacto.

Qualquer liberação para o exercício físico, seja qual for ele, sempre deverá ser feito após uma avaliação da saúde materno-fetal do seu obstetra e o acompanhamento clínico durante este período é fundamental.

Quer orientações segura para manter sua corrida durante a gravidez?

Acesse o programa Gravidez em Forma – Você tem um bônus com planilhas de corrida adaptada durante toda a gravidez.

Clique no link – https://gizelemonteiro.com.br/gravidez/gravidezemforma/

Postura e Lombalgia na gravidez

Lombalgia e gravidez

Uma das complicações mais comuns  da gravidez é a dor lombar.

Cerca de 50% das mulheres sofrem de lombalgia durante a gestação.

A carga mecânica e/ou a frouxidão ligamentar provocadas por um hormônio chamado relaxina estão associadas com a elevação da incidência de dor lombar em gestantes. A frouxidão ligamentar na região pélvica está ligada com a disfunção na articulação sacroilíaca e com as alterações na sínfise púbica observadas durante a gestação.

 

Postura e lombalgia na gravidez
Postura e lombalgia na gravidez

Descrita como aquela que não difere da dor lombar fora do período gestacional, segue abaixo algumas características:

  • Estimulada quando se faz a flexão do tronco, causa a diminuição da amplitude para a região,
  • Dor à palpação da musculatura paravertebral lombar.

Medidas Preventivas para a lombalgia gestacional

Durante a gestação as medidas preventivas devem ser adotadas o mais cedo possível, sendo que a gestante deve ser reeducada nas suas atividades diárias.

Para a prevenção entre os exercícios recomendados estão os que se destinam a “relaxar e alongar” a musculatura lombar e desenvolver na mulher uma percepção corporal para quando ela estiver sobrecarregando a região lombar durante a execução de alguma atividade, ou manutenção prolongada de uma postura, ela reconheça esta sobrecarga e realize movimentos compensatórios, aliviando a tensão nesta região.

  • Dor lombar: acrescentar exercícios de alongamento para as costas, posturais e abdominais para evitar a hiperlordose lombar.

CORE – Importância e exercícios para sua função na gravidez e pós-parto

Por Gizele Monteiro – personal gestante – programa Gravidez e Mães em Forma

 

Core, sua importância e exercícios para sua função na gravidez e pós-parto

Core – centro do corpo – tronco e pelve

Core training – ação sobre o conjunto de músculos que controlam o centro do corpo.

Músculos do Core

Músculos do Core

Durante a gravidez há uma grande mudança sobre os músculos do “Core”, não só pelas alterações hormonais e fisiológicas, mas também pelas grandes mudanças biomecânicas impostas pelo bebê que cresce dentro do útero. É claro que essa volta e recuperação no pós-parto não acontece imediatamente e por isso deve ser respeitada.

Os exercícios que trabalham os músculos do core tem função muito importante sobre o controle postural, ajudando a manter ainda a estabilidade da coluna e prevenir dores, as tão indesejadas dores nas costas que gestantes e mamães normalmente sentem.

Além disso, ajudam a manter as funções do assoalho pélvico as quais vão sendo modificadas por ação hormonal durante a gravidez para preparar essa região para o trabalho de parto, portanto esses músculos vão ficando mais fracos e de certa forma mais soltos (com um tônus muscular diminuído) e os exercícios para o core auxiliam na manutenção desse controle.

A bola suíça é um excelente material para usar com a gestante (desde que se sinta confortável com esse material) porque por sua instabilidade aciona naturalmente essa função do core, para que a gestante se mantenha sentada e em equilíbrio, além disso ela é confortável para sentar-se porque molda-se ao corpo, ajustando-se na região do quadril, facilitando também o alinhamento postural.

Exercícios respiratórios adequados (sem bloqueios ou ventilações exageradas) para a grávida e para a recém-mamãe, com a atenção na movimentação das costelas, ação dos músculos abdominais e do assoalho pélvico serão excelentes para a ação conjunta do core, não se esquecendo sempre da postura alinhada e reorganizada para tais exercícios, pois essa alinhada já se inicia a relação profunda de todo esse core.

Assoalho pélvico

Assoalho pélvico

A manutenção da ativação abdominal, a medida que eles vão sendo alongados pela gravidez ajudam no próprio controle postural, e dessa forma inicia-se o ciclo essencial para o bom desempenho de todo esse core, postura, manutenção de uma boa respiração e prevenção de dores.

A prática de exercícios respiratórios e em alinhamento postural ajudar a promover a atividade coordenada de todo esse conjunto de músculos.

 

Para ter um programa gestante especializado, equilibrado e saudável – acesse o site https://gizelemonteiro.com.br/gravidez/gravidez-em-forma/

Dor nas costas na gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach – Gravidez em Forma – programa online

 

A dor nas costas acomete muitas mulheres na gravidez.

Infelizmente poucas sabem que os exercícios aliviam as dores e outros desconfortos.

Dor nas costas na gravidez
Dor nas costas na gravidez

À medida que a barriga cresce durante a gravidez, o centro de gravidade do corpo da mulher muda e com isso todo o restante do corpo tem que fazer um ajuste. O movimento natural compensatório do corpo é inclinar o tronco um pouco para trás e isso faz com que a coluna lombar e o quadril sejam forçados, o que resulta em dores nas costas.

Essa compensação gera uma sobrecarga nos músculos da região lombar por causa do aumento de peso e uma mudança na forma de caminhar devido ao alargamento do quadril. Esses músculos na grande maioria das pessoas, incluindo gestantes são fracos e encurtados, o que complica e aumenta o risco da gestante ter dor lombar – a famosa dor nas costas.

“Tudo contribui para o incômodo que elas podem sentir”, afirma a personal gestante Gizele Monteiro, mestre pela Unifesp em exercícios na gravidez e autora do livro “Guia Prático de Exercícios para Gestantes” (Phorte Editora) e do e-book “Gravidez em Forma” (encontrado pelo site gravidezemforma.com.br).

Em entrevista ao programa Bem Estar da rede Globo, mostrei vários exercícios que aliviam e previnem as dores.  Também mostrei algumas mudanças ergonômicas que podem reduzir a pressão sobre essa região e evitar a dor nas costas.

Vale a pena assistir o vídeo!

 

Para acessar um programa que te ajude na prevenção das dores acesse o link oficial do programa << Quero conhecer o programa Gravidez em Forma – Clique aqui >>

Saiba como ter uma gravidez em forma e saudável para evitar dores e peso excessivo na gravidez.

Te espero lá!