Importância da Vitamina D na Gravidez

Por Dra Lívia Pondorf – Instagram @ginecologiafuncional

 

Esse post é em homenagem a uma paciente minha, porque esse estudo é 100% ela! ❤️❤️ .
?Um estudo chinês foi publicado esta semana!

Vitamina D na gestação by Dra Lívia Pondorf

Um mega estudo incrível, uma meta análise, demostrando uma vez mais a importância da vitamina D na gestação. Desta vez, ela foi relacionada ao risco de Trabalho de parto prematuro.

O estudo detectou que a suplementação ? de vitamina D pode reduzir em até 43% este risco de parto prematuro!

Por favor, meninas tomem sua vitamina D ????!! Não deixem de fazê-lo.

Se por algum motivo vocês não tomam este suplemento, peixes e ovos não podem faltar em sua dieta.

☝? Lembrando que a recomendação é consumir peixe apenas 1 ou 2 vezes na semana e não mais do que isso.

Todo mundo fala sobre tomar sol para ajudar, mas infelizmente a maior produção de vitamina D com a ajuda do sol ☀️ ocorre com a exposição, sem protetor, entre as 11 e 15 horas, o que não deve ser feito por gestantes.

O melasma gravídico não é legal?

Gravem: vitamina D é obrigatório na gravidez ?

.

Um outro estudo mostrou a suplementação com vitamina D em diversas mulheres nos dois primeiros trimestres da gestação.

O resultado final chama muito a atenção!

Houve uma significativa diminuição na incidência de diabetes na gravidez no primeiro grupo. As gestantes que tinham pelo menos um fator de risco para essa patologia, e que não receberam a vitamina apresentaram taxas três vezes maiores de diabetes gestacional!!

 

Outra pesquisa testou diversas dosagens de vitamina D em gestantes com diabetes na gravidez. E o resultado? As pacientes com as mais altas doses de vitamina D tiveram uma melhora significativa na resistência à insulina, sem falar no aumento de diversos antixoxidantes, como a glutationa, que protege nossas células contra radicais livres e melhora o sistema imune.

 

**** Quem conhece alguém com diabete na gravidez? Super comum, não é? Então vamos começar a vitaminar essas mulheres durante a gestação. ????

 

Vitamina D e a doença mais comum na gravidez – a pré-eclâmpsia, a pressão alta na gravidez. ?

Diversos estudos já demonstraram que a deficiência de vitamina D está associada ao aumento do risco de pré eclâmpsia!

Um deles (2013) comprovou essa associação, que fica mais evidente quando há insuficiência? desta vitamina (níveis sérios abaixo de 50nmol/L). Já o segundo afirma que o risco de desenvolver pré-eclâmpsia em quem tem pouca vitamina D no sangue chega a ser 78% maior!!! ?

Acredita-se que este efeito se deva a mecanismos biológicos, imunes, placenta normal, excesso de inflamação e a hipertensão em si.

Além disso, há mais inúmeros estudos que comprovam esta relação!

 

Portanto, revisando os temas acima … a importância da vitamina D relacionada ao menor risco de pré eclâmpsia, de diabetes gestacional e de trabalho de parto prematuro, além de melhor controle do diabetes naquelas pacientes que apresentam níveis adequados de vitamina D.

Agora um outro estudo demonstra que pacientes que possuem baixos níveis de vitamina D apresentam 60% mais risco de terem bebês pequenos para idade gestacional.

Bebê saudável é bebê com peso dentro da média! ?

Bebês que tem peso muito reduzido, tem maior risco de doenças crônicas no futuro, e também de serem obesos.

Se temos a possibilidade de oferecer o melhor para eles, porque não?

Vitamina D e alimentação correta para que eles nasçam com o metabolismo super bonitinho para o futuro. ????

 

Você encontra a Dra Lívia Pondorf no Instagram – @ginecologiafuncional

e-mail: ginecologiafuncional@gmail.com

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez – Por Gizele Monteiro – Coach de Mamães

 

As “5 perguntas que as mamães mais me fazem no pós-parto”

Como Personal gestante – Coach de mamães, tenho sempre que esclarecer muitas dúvidas.

Sempre existem perguntas pelas redes sociais, e-mail, blog, YouTube …

Separei as 5 perguntas mais comuns que vocês me fazem.

 

Dúvidas comuns depois da gravidez

 

Pergunta 1. Estou amamentando e engordando! O que eu faço?!!

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Dúvida muito comum mesmo e acontece com grande parte das mamães, o que faz bater aquele desespero.

Bom, a primeira coisa a entender é que a amamentação é uma forte aliada à volta do peso – emagrecimento – e no gasto calórico. Ela gasta muitas calorias!!

Se você está amamentando e não está emagrecendo ou até mesmo (o pior) … está engordando … é porque está se alimentando de forma errada. Entenda que alguma coisa na sua alimentação não está certa.

Então você precisa entender como se alimentar e como é a sua visão de uma alimentação saudável, por isso pare e faça essa análise agora. ANOTE TUDO O QUE VOCÊ ESTÁ COMENDO.

Será que realmente a sua alimentação está saudável e atendendo as necessidades nutricionais suas e do seu bebê?

Com certeza você achará erros e identificando esses erros você verá que irá voltar ao seu peso.

Vou citar alguns aqui que constantemente vejo em minhas alunas e consultorias que realizo:

  • beber refrigerantes,
  • comer muitos doces e pães,
  • beliscar ao longo do dia
  • ficar muito tempo sem comer e quando vai comer, enche o prato
  • comer demais porque tem “fome” por causa da amamentação

Aliás “essa fome” merece um destaque.

“Algumas mamães se queixam que ficam com uma fome insuportável depois de amamentar. De fato isso pode acontecer, mas cabe a você então comer adequadamente. O que acontece é que a maioria se entope de besteira ou bate o maior pratão de pedreiro … alimentos que não são nada saudáveis ou uma quantidade muito acima do que você precisa. E uma coisa também fica clara quando vejo mamães que não sentem essa fome avassaladora … normalmente elas comem adequadamente e não ficam longos períodos sem comer, são mais disciplinadas em observar seus horários de se alimentar. Tenho mamães inclusive que ingerem alimentos enquanto amamentam … frutas secas, oleaginosas, um suco, uma fruta. Então você pode perceber que a “disciplina é fundamental nessa fase”.

A segunda coisa importante é ser ativa, isto é, incluir uma rotina de exercícios no seu dia, nem que seja em casa. O exercício ajudará não só na volta do peso, mas também a equilibrar o que você está ingerindo. O exercício também aliviará na ansiedade de estar dentro de casa – “trancada” – que normalmente te faz descontar na comida. Esse equilíbrio te ajudará também a se sentir mais bonita e de bem com seu corpo.

.

Pergunta 2. Posso fazer dieta amamentando?

Dietas restritivas – radicais, da moda, ou com baixo aporte calórico não são indicadas após a gravidez. Até mesmo porque você tem uma necessidade aumentada justamente por causa da amamentação. Então se você está se alimentando de forma saudável, o peso naturalmente voltaria ao que você tinha. Se isso não está acontecendo, meu conselho é procurar uma nutricionista para ajustar sua alimentação. Sua “dieta” será uma alimentação saudável e adequada para a sua fase. Eeee lembre-se seja ativa, faça exercícios.

.

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Pergunta 3. Para voltar ao meu corpo é só amamentar??!!

Em uma postagem recente que fiz, vi várias mães comentando … para voltar ao corpo basta amamentar.

Bom minha resposta é clara e objetiva … NÃO … NÃO BASTA!

Amamentar ajuda na sua volta do “PESO”  e não do seu “CORPO”.

Volta do peso e Volta do corpo são coisas completamente diferentes!!!

Tanto que atendo várias mamães com meu programa para a volta da barriga, que estão magras, mas suas barrigas estão como se tivessem grávidas de 3-4 meses … algumas até de 6 (conforme comentam rsrsrs).

A volta do corpo envolve um conceito muito maior, pois é a volta de todo o seu corpo … barriga, bumbum, postura, prevenção de dores, assoalho pélvico. Por isso meu projeto é um programa completo … o programa Pós-parto – Mães em Forma faz a volta e recuperação completa do seu corpo.

Pode ser que você até fique feliz com o que está fazendo, mas não significa que seu corpo tenha voltado totalmente.

.

Pergunta 4. Estou amamentando, posso fazer exercícios? O exercício não prejudica a amamentação?

Sim, pode fazer exercícios se você está amamentando!

Esse medo, é bem comum, mas adianto que um programa especializado e que atenda realmente as suas necessidades não comprometerá em nada a amamentação. A intensidade e o volume da atividade associado a hidratação adequada garantem que você mantenha a amamentação durante o período que desejar e fluir conforme o seu corpo.

Há muitos anos atendo mamães nos mais diferentes perfis e o exercício do meu programa nunca interferiu na amamentação, por isso se você ouviu ou tem outra experiência, algum erro aconteceu.

.

Pergunta 5. Depois de quanto tempo do meu parto eu posso fazer exercícios?

Hoje tem mudado muito o tempo de liberação dos médicos para que a mamãe volte ou inicie os exercícios.

Atendo mulheres que em 30 dias pós-cesárea já estão liberadas pelos seus médicos para voltarem para atividades leves como caminhada ou exercícios posturais ou braços.

Mas o comum ainda entre os médicos é:

30-40 dias para parto normal e 40-60 dias para cesárea.

Só fique em alerta que mesmo que seu médico libere para a prática, essa deve ser adaptada para as novas condições do seu corpo.

Você não deve voltar a fazer os mesmos exercícios de antes da gravidez. Seu corpo agora é outro, tem outras necessidades, está totalmente instável. Como um treino de uma mulher que não estava grávida pode te ajudar? Não irá!

Inclusive pego casos seríssimos de diástases pioradas com os treinos de pilates e musculação. Isso acontece porque um profissional sem um olhar de especialista não consegue entender a nova necessidade do seu corpo e nem como recuperá-lo. Seria a mesma coisa que você procurar um clínico geral para ver sua lesão de joelho.

O programa ideal, começa a recuperar seu corpo a partir da barriga, iniciando pela avaliação da diástase.

Você já viu se tem diástase?

Se você não sabe se tem a diástase, pode fazer o teste com meu e-book gratuito. Basta clicar no botão abaixo e se cadastrar para que eu possa te enviar.

E se você deseja ter um programa que te ajude nesse passo a passo para ter seu corpo de volta … Conheça o Pós-parto – Mães em Forma!

Clique no Link e seja direcionada para o programa que deixará seu corpo e sua barriga incrível!

<< QUERO CONHECER O PROGRAMA 

PÓS-PARTO-MÃES EM FORMA >>

Diástase: saúde ou estética – o outro lado

Diástase: saúde ou estética – ou outro lado – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Diástase: saúde ou estética - o outro lado
Diástase – estética ou saúde

Uma das grandes questões que quero abordar nesse post é se a diástase é uma questão apenas de estética ou será que há uma importância para a saúde.

Para isso vou analisar um outro ponto importante sobre a diástase.

É claro que muitas mamães buscam uma solução da diástase por questões estéticas e está tudo bem. É importante também!

 

A diástase tem forte relação com a volta da barriga e a permanência daquela barriga mole e estufada. Essa é a famosa barriga de grávida e ela “afeta muito a auto-estima da mulher”.

 

Mas será que ter uma diástase depois da gravidez, é apenas uma questão estética?

A resposta é muito simples … NÃO!

 

“CUIDAR E MELHORAR A DIÁSTASE NÃO É APENAS UMA QUESTÃO ESTÉTICA.

É UMA QUESTÃO DE SAÚDE DA MULHER.”

 

Já fiz um post aqui no blog explicando o que é diástase e os tipos de diástase que existem.

Se você não sabe o que é diástase, como avaliar e onde ela está localizada, pode baixar meu e-book onde explico e te ensino um auto-exame – basta baixar – << clique aqui >> .

Nesse post vou me concentrar em explicar mais detalhadamente as implicações e o perigo de você ficar por anos com sua barriga solta e estufada e com essa diástase sem tratar.

Uma diástase (seja a funcional ou de ruptura) durante os anos pós gravidez, pode trazer sérias consequências, isso porque uma das funções dos músculos abdominais é a contenção dos órgãos.

Outra função é manter a respiração. Tenho uma amiga que estava tendo apneia do sono porque sua musculatura não estava trabalhando de forma adequada. Os músculos abdominais participam da respiração sabia? E os anos com debilidade podem fazer com que ele perca sua eficiência na respiração e mude também o padrão de outro músculo importante na respiração … o diafragma.

Mas vou abordar outros pontos muito importantes em que uma diástase pode influenciar na sua saúde …

 

1.Problemas posturais e dores nas costas

Uma outra função dos músculos abdominais é dar equilíbrio na sua postura. Na gravidez essa postura é toda alterada por causa do crescimento da barriga. Abdominais e períneo ficam fracos e soltos para dar espaço para alojar seu bebê.

Todo esse desequilíbrio continua depois da gravidez e se não houver um trabalho adequado, você nunca mais recupera esse músculos. Dificilmente eles voltam a sua força naturalmente. Coloque aí uma segunda gravidez, e esse problema será agravado.

Músculos abdominais fragilizados e fracos não fazem a função de estabilizar e sustentar o tronco. Isso deixa toda a coluna e seus músculos instáveis, comprometendo postura e a segurança da sua coluna.

Quando há uma diástase (seja funcional ou de rompimento – veja aqui – clique aqui – artigo que indico), existe mais fraqueza em toda a região abdominal. Então seu corpo não é trazido para a frente, da forma que deveria. Ele permanece lá atrás forçando sua coluna, quadril e discos vertebrais. Esse é um dos fatores de problemas sérios de coluna – como hérnia de disco, bico de papagaio, inflamação do nervo ciático.

 

2. Escapes e perdas de xixi – incontinência urinária

A ocorrência de escapes de xixi quando se está apertada, espirra ou tosse é comum na gravidez, porém deixo claro que não é normal.

Essas ocorrências podem ser amenizadas ou diminuídas com um acompanhamento correto de fisioterapeuta especializada em Obstetrícia.

Após a gravidez também essas ocorrências devem ser acompanhadas e exercícios específicos para o fortalecimento do períneo inseridos.

Sempre que há uma diástase, esse trio – períneo, abdômen e músculos posturais – ficam desequilibrados em sua força e ação de proteção do corpo e coluna.

A falta de força dos músculos da barriga (por causa da diástase e alongamento persistente pelo aumento da barriga) não permitem que os músculos do períneo se recuperem. Com isso permanecem fracos e soltos.

 

Queixas comuns após a gravidez – e que ninguém tem coragem de falar:

 

1-perda da sensibilidade e controle dos músculos do períneo na hora do ato sexual

2-perda involuntária de urina (escapes do xixi) – isso pode acontecer em várias situações de esforço como correr, pular ou quando se está apertada e não consegue se segurar o xixi, ou quando se ouve barulho de água, ou quando se espirra ou tosse, etc

3-existem casos mais tardios de queda da bexiga e órgãos que podem mais tardiamente comprometer a saúde da mulher. A queda de bexiga por exemplo, se torna um quadro cirúrgico

 

“Você sabia ?

A bexiga caída atinge 20% das mulheres com mais de 40 anos”

 

Esse fato traz problemas para a vida sexual, incontinência urinária (perda ou escapes de xixi), dor intensa e piora muito a qualidade de vida.

Justamente o enfraquecimento dos músculos da região pélvica – o assoalho pélvico (períneo), causa o deslocamento de órgãos como o útero, a bexiga, o reto, o intestino delgado e a uretra.

Entendo que a grande maioria das mulheres terá sua primeira gravidez com uma média de idade de 34-35 anos … os 40 anos estão bem próximos. Uma segunda gravidez ficará bem mais próxima a essa idade.

Então nós mulheres precisamos entender e quebrar esse tabu de que cuidar da sua barriga e de uma diástase ou até mesmo fraqueza e estufamento dela se trata apenas de uma questão estética.

Muito mais do que isso … é um caso de saúde e podemos inclusive considerá-lo um caso de saúde pública!

 

Exercícios e a barriga – saúde ou estética:

Antes de voltar à prática de qualquer exercício é necessário fazer a avaliação da diástase e iniciar com exercícios específicos para a recuperação da barriga e da diástase.

Isso irá equilibrar a funcionalidade da região para a execução de exercícios e tarefas mais complexas e exigentes.

Também é importante entender que não são os abdominais comuns que farão a diástase fechar ou a musculatura abdominal voltar e reduzir o “estufamento”.

 

O que fazer então? Exercícios podem ajudar na diástase?

Muitas mamães me pedem indicação de 1 exercício para melhorar a barriga ou a diástase, mas é importante que eu saliente que NÃO acredito em apenas 1 exercício que irá melhorar.

Acredito num programa completo recuperando a força e com um passo a passo reposicionando os músculos e fechando gradativamente a diástase. Diástase não é como emagrecimento, é necessário restaurar os tecidos.

A diástase deve ser revertida gradativamente com exercícios abdominais especializados + exercícios funcionais + posturais + exercícios para o períneo.

E se você quer entender como cuidar de cada ponto que mencionei nesse post, pode ter esses passos e exercícios especializados

O programa Pós-parto em forma foi elaborado para:

  • melhorar casos de diástase sem ter que passar por uma cirurgia cara e complicada
  • melhorar o períneo de muitas alunas que chegam com queixas de perdas urinárias
  • melhorar o bem estar por reposicionar os órgãos no seu corpo trazendo a tensão adequada da sua barriga
  • melhorar a postura e aliviar quadros de dores e incômodos
  • eeee melhorar a auto-estima

 

Esses resultados tem alcançado centenas de mamães que tem passado pelo programa Pós-parto – Mães em Forma

 

PARA SABER MAIS …

Você pode se cadastrar no site para ganhar de presente meu e-book “Como ter a barriga reta depois da gravidez”. Nele ensino o teste da diástase e também falo sobre a volta da barriga e da diástase.

 

Clique no botão abaixo e cadastre-se que te envio esse meu e-book de presente!

 

 

Compartilhe esse post com quem você sabe que precisa !!!

Além desse blog você pode me seguir em minhas redes sociais ou pelo meu canal no YouTube

  • Canal Gizele Monteiro
  • @gizelemonteiro (instagram)
  • gravidez em forma e mães em forma – Fan page no Facebook.

Gravidez – Como evitar a barriga de maracujá depois da gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Uma das formas de barriga que deixa a mulher mais desesperada depois da gravidez é a barriga de maracujá velho … aquela que fica muito flácida, com pele sobrando e toda enrugada no centro.

 

Mas porque será que a barriga de maracujá acontece ?

Esse tipo de barriga pós gravidez acontece porque a barriga cresce muito, exigindo muito da pele e da musculatura.

À medida em que a barriga cresce, ela estica muito a pele e também abre e alonga muito a musculatura da barriga, aumentando a diástase funcional. Em todos os casos, da barriga maracujá após a gravidez, a musculatura abdominal está com uma diástase com rompimento, o que dificulta muito a volta da barriga e a mantém a musculatura fraca e alongada, e exatamente por isso é que fica aquela bola com a característica bem murcha.

 

E será que é possível evitar que ela aconteça?

Vamos analisar vários pontos … Claro que existem alguns fatores da gravidez que não podemos controlar, como tamanho e peso do bebê, peso da placenta, quantidade de líquido amniótica, etc. A esses fatores que não controlamos chamamos mudanças e fatores gestacionais (são os que você não pode mexer).

Essas mudanças gestacionais podem sim aumentar o risco da barriga de maracujá, mas também junto com elas tem outros fatores que podemos controlar e algumas atitudes que podemos ter que ajude a evitar pois mantem a posição da barriga de uma forma mais neutra. Com isso não desgasta tanto a pele.

 

“E esse é um grande segredo e as pessoas e profissionais não sabem disso. E é justamente aqui o olhar de um especialista – e um programa direcionado para isso pode fazer a diferença.”

 

Veja essa foto, como a musculatura forte e a postura bem alinhada mantém a barriga melhor posicionada.

 

Postura e posição da barriga

 

Você consegue perceber como a primeira e segunda fotos produzem barrigas maiores e também que forçam mais a pele?

Já na terceira foto, com a postura alinhada e um bom fortalecimento (especializado – não pode ser qualquer exercício), promove menos menos estresse sobre a pele e justamente por isso mantem também a musculatura sem tanto esforço, diminuindo o risco de uma diástase com rompimento e a grande debilidade de força após.

Então independente das mudanças gestacionais (citadas acima), mesmo que elas aconteçam se esses outros pontos estiverem bem trabalhados teremos “menos chance da barriga maracujá acontecer”.

 

Outros pontos importantes para evitar a barriga maracujá

  • controlar bem o peso, não ganhando peso em excesso – isso também irá sobrecarregar a pele
  • cuidar da pele – na hidratação e na nutrição – com cremes adequados, mas também com uma alimentação saudável rica em alimentos que proporcionem à pele os nutrientes que ela precisa
  • cuidar da hidratação – a água é muito importante para o equilíbrio do tecido.
  • somente reforçando … realizar exercícios especializados que mantenham a postura e a força abdominal e do períneo

Veja abaixo um exemplo de um exercício que não deve ser feito em hipótese alguma …

Exercícios inadequados para gestante

 

Talvez você esteja reconhecendo esse exercício e nesse exato momento esteja dizendo … Mas eu faço esse exercício!

Esse exercício é usado por muitos profissionais do yoga e do Pilates, porém digo claramente que ele aumenta drasticamente o risco de diástase e força a pele de uma maneira que ela não tem estrutura nesse momento, isso por que nada sustenta esse peso do bebê e estruturas para baixo. Não há nada que suporte esse peso e dessa forma, tanto a pele, quanto a musculatura sofrem.

Então minha orientação é que PARE agora esse exercício. Busque um programa especializado … e se você quer fazer algo então que realmente tenha exercícios selecionados, eu posso te ajudar … Você pode clicar no botão abaixo para conhecer um pouco mais do programa que tem deixado centenas de gravidinhas em forma e ajudam as mamães a voltarem a sua forma também (é um combo de exercícios programa gravidez + pós-parto).

 

 

 

Bom … O que fazer depois (se você já é mamãe e está com a barriga assim)?

A primeira coisa é ter a liberação médica para realizar exercícios especializados para que sua musculatura volte.

Falei acima que a diástase e a fraqueza da musculatura é um dos motivos por manter essa barriga tão enrugada, então é necessário cuidar disso.

A outra situação que deixa a barriga assim solta, mole, é a postura – um PROGRAMA DE EXERCÍCIOS ESPECIALIZADO – como o Pós-parto em Forma – trabalhará esses pontos que farão seu corpo e barriga recuperar-se.

Depois disso você pode pensar e conversar com seu médico sobre os TRATAMENTOS PARA A PELE. Fiz um post sobre os vários tratamentos que podem ser feitos – clique aqui para ver – mas você deve conversar com ele porque muitos tratamentos não são liberados para quem amamenta.

 

Se você então quer entender como um programa pode ter o resultado de melhorar essa musculatura fraca e flácida que dá esse aspecto de enrugado, ou a barriga estufada de grávida que parece que você está com 4-5 meses de gravidez ainda … clique em uma das fotos abaixo para conhecer o programa Pós-parto em Forma … que essas alunas fizeram.

Resultado de 15 dias do programa Mães em Forma

 

Resultado 30 dias de programa