SOS Barriga de Mãe

Gizele Monteiro

SOS Barriga de Mãe – Por Gizele Monteiro – Programa Online Pós-parto – Mães em Forma

 

O bebê nasceu e você se depara com uma barriga flácida, murcha e o pensamento … meu Deus … será que um dia minha barriga volta? Será que um dia recupero essa barriga de mãe?

Muitas não conseguem ter sua barriga de volta e ficam por anos aguardando e nada! E não entendem o porquê?

Então começa a saga …

  1. A primeira coisa é recorrer a tratamentos estéticos, mas mesmo assim, pouco sucesso é visto.
  2. Depois vão para dietas e exercícios, afina pensam que é gordura. E nada também.
  3. Resolvem ir ao médico, e até que descobrem que essa barriga de mãe pode ser por causa de uma diástase.

 

Diástase? Mas o que é isso?

A diástase abdominal pós gravidez é uma das maiores queixas da estética feminina depois da gravidez.

E isso acontece por que a diástase deixa a barriga estufada, mole parecendo gordura, ficando aquele aspecto como se ainda estivesse “grávida”. Isso quando não há uma grande alteração como um buraco estranho na barriga ou até mesmo um grande avental, aquela dobra. Pode haver também um calombo cada vez que você faz força.

 

Como você sabe se sua barriga de mãe é a diástase? 

A primeira coisa é realizar o teste da diástase. Um auto-exame simples de ser feito.

Você irá localizar a separação muscular e também as medidas e localização dessa separação.

Para saber mais sobre o teste e também o programa você pode baixar meu e-book gratuito – Como ter a barriga reta depois da Gravidez. Basta se cadastrar agora mesmo para baixar o ebook grátis.

O e-book está orientando sobre as alterações da sua barriga e também o auto-exame – teste da diástase.

 

Após realizar o teste e importante entender que a diástase NUNCA está sozinha.

Além da diástase outras alterações acompanham nosso corpo e barriga – com ou sem a diástase – períneo fraco, fraqueza abdominal e a má postura.

Então todo esse conjunto acaba comprometendo toda a estética do seu corpo.

 

Quais os passos para melhorar a barriga?

Mas então será que tem jeito? Dá pra melhorar? O que fazer?

Sim, tem jeito e dá pra melhorar, porém há apenas um caminho para FUGIR DA CIRURGIA … os exercícios especializados!

Para melhorar a diástase é necessário que haja uma ordem lógica de exercícios especiais e com um passo a passo evoluindo para recuperação do seu corpo.

 

“Fica o alerta que exercícios tradicionais e com vácuo não são recomendados e podem piorar o quadro.”

 

O programa que desenvolvi tem 4 fases recuperando desde o controle mais básico de força até definição final da barriga, deixando-a reta e em forma.

Os exercícios especiais que desenvolvi no programa Pós-parto – Mães em Forma respeitam a volta saudável da barriga e do corpo, revertendo a diástase e conseguindo devolver seu corpo.

Então para saber mais sobre o programa – CLIQUE NO BOTÃO. Dê esse passo de mudar a história do seu corpo!

Ebook grátis Teste da Diástase

 

ALERTA!


– Recuperar a barriga não é apenas uma questão estética, mas é importante também para sua “saúde pélvica e corporal”.

– Assim com esse rompimento dos músculos abdominais – diástase – há uma perda de força abdominal e isso também se associa com uma debilidade do períneo, podendo levar a escapes de xixi (incontinência urinária) e aumentar o risco da queda dos seus órgãos com o passar dos anos, tanto bexiga, quanto útero – conhecido como PROLAPSOS – queda de órgãos. Isso tudo por que os músculos abdominais funcionam como uma parede de contenção para manter seus órgãos no lugar. Normalmente fraqueza do períneo está associada à diástase.

– Saúde da sua coluna – sua coluna sofrerá com dores por causa da fraqueza abdominal que acompanha a diástase.

Então CUDE-SER AGORA!!

 

 

Alimentação saudável prevenindo depressão na gravidez e após

Depressão e alimentação na gravidez – Por Grupo Stancanelli – Mirtes Stancanelli, Erica Tatiana e Emy Takahashi

 

Alimentação saudável na Gravidez

A depressão é uma doença que pode acontecer em qualquer pessoa e assim merece muita atenção e cuidado.

As vezes pode acontecer por causa de um episódio emocional grave.

Podendo ocorrer em várias fases de mudanças na vida, portanto a gravidez e o pós-parto também estão incluídas.

Pesquisas mostram que a alimentação pode ser importante e assim ajudando a evitar esse transtorno.

 

Como uma alimentação saudável pode ajudar na prevenção da depressão?

 

Várias dicas simples no dia a dia podem te nortear para uma alimentação saudável. E na gravidez isso se faz mais importante ainda.

Alimentos ricos em nutrientes ajudam no bem estar e com isso na prevenção da doença. Alguns alimentos ajudam a produzir mais serotonina, com isso há o aumento do bom humor. Para produzir a serotonina é necessária a matéria prima que vem dos alimentos 🙂

 

Veja algumas dicas:

– Cuidado com o alto consumo de açucares, cafeína e álcool ao longo dos trimestres de gestação;

– Prefira alimentos que contenham baixos teores de gordura. A gordura inibe a síntese de neurotransmissores no cérebro promovendo maior probabilidade à depressão;

– Vitaminas do complexo B são importantes para quem quer se manter física e emocionalmente mais saudável. O complexo vitamínico B é importante para produção de serotonina (que influi na regulação do humor). O estrógeno pode interferir na absorção de vitamina B6.

 

Na gestação esses hormônios estão elevados para produzir as mudanças gestacionais. Os grupos de verduras, legumes e frutas são ricos nestas vitaminas, portanto intensifique-os na alimentação.

 

– Uma alimentação pobre em Ômega 3 deixa o sistema nervoso mais vulnerável à depressão. O Ômega 3 é encontrado em peixes como bacalhau, salmão, e  em menores concentrações na soja – mas dê preferência a soja orgânica, castanha;

– Alimentos que podem ser usados para auxiliar no tratamento da depressão: castanha do pará, nozes, amêndoas, frutas como banana, abacate, melancia, verduras, aveia, peixes, etc.

 

Exercícios físicos como auxílio na prevenção

Por vários anos, a prática de exercícios bem orientados tem sido usada tanto na prevenção, quanto no controle e melhora da depressão.

Uma alimentação equilibrada junto com o apoio familiar e os exercícios podem ajudar a diminuir a ansiedade e com isso os sintomas que estão presentes com a depressão.

 

Programa de Exercícios especializado para sua saúde

Exercícios especializados combinados a uma alimentação saudável são a base para uma gestação saudável e um bom controle de peso.

Quando você se sente bem com seu corpo, a sua auto-imagem que faz parte do bem estar mental fica elevada.

Mas infelizmente muitas gestantes ficam frustradas com seu corpo, ou com o peso que ganham na gravidez.

Saber controlar o peso também é peça fundamental desse equilíbrio emocional, principalmente se você é bem ligada a estética do seu corpo.

Isso não é feio e nem uma vergonha, mas é apenas um cuidado especial que você tem com usa imagem e sua silhueta.

Muitas alunas falam abertamente “que detestam seu corpo na gravidez”. E quer saber ? É melhor você verbalizar isso e ser honesta consigo do que tentar se esconder-se numa falsa felicidade.

O que você não deve fazer é se entregar a um sentimento ruim por sentir isso e deixar isso virar uma depressão.

Existem muitos fatores ligados a depressão. E esse é um dos que tenho identificado atendendo e avaliando várias mulheres.

 

Programa Gravidez em Forma

Por isso, é importante você ter sim um programa equilibrado e organizado para te ajudar nesse processo do ganho de peso.

Um programa com metodologia segura e especializada.

Esse programa também deve ter uma seleção segura da exercícios pra você também não se lesionar e nem passar do ponto – “do quanto e como fazer ?”

 

Veja o depoimento da minha aluna Sinara – EUA.

Você pode ver que fotos lindas ela pode fazer sentindo-se feliz com seu corpo, De bem com a balança e De bem com o espelho!

“Que alegria chegar ao final da gravidez sem ter engordado, sentindo-me disposta, sem dores e sem inchaço! Seu programa foi a melhor escolha que fiz para me cuidar durante a gravidez, que foi maravilhosa! Muito grata a você Gi!”

Aluna Gravidez em Forma

 

 

Então .. pra saber mais … clique na foto ou no botão acima e te vejo do outro lado!!

Amamentação e exercício – o exercício pode secar o leite?

Pergunta e preocupação comuns nas mamães … A amamentação pode ser comprometida com o exercício? O exercício pode secar o leite?

Também existem muitos médicos que orientam suas pacientes a não praticarem exercícios ou alguns tipos de exercícios com medo disso acontecer,
Quero explicar aqui nesse artigo alguns pontos para deixar as mamães tranquilas, sem medo de voltar ou iniciar seus exercícios.

 

 

COMO E QUANDO DEVE SER FEITA A VOLTA AOS EXERCÍCIOS?

O retorno ao exercício após a gravidez sempre deve ser gradativo. Existem vários pontos a serem observados. O primeiro claro é se o volume de leite não é o acompanhamento se a quantidade de leite não está sendo alterada e tomar os devidos cuidados com a intensidade do exercício e a hidratação.

Vou pontuar tudo, mas antes quero fazer algumas observações que vão além da amamentação … Na gravidez ocorreram muitas alterações corporais – coração, vasos sanguíneos, articulações, postura – e essas permanecem durante um bom tempo depois do parto.

Por isso o retorno ao exercício deve sempre ser gradativo e especializado. Esse programa deve respeitar além da amamentação as mudanças do organismo feminino – coração, vasos sanguíneos, articulações, postura.

Um programa especializado tem os cuidados necessários com cada ponto desses. Veja o programa online pós-parto – mães em forma, desenvolvido para que você tenha todos esses cuidados na sua volta ou início dos exercícios.

Clique aqui para saber mais !

 

 

 

Qualquer atividade intensa pode prejudicar não só a amamentação, mas também o corpo da mulher.

A produção de leite consome muita energia. Uma mãe em fase de amamentação produz entre 800 e 1200 ml de leite por dia e, para cada litro de leite que a mãe produz, há um gasto de 900 calorias em média.

Portanto se o “exercício for intenso ou num volume elevado” e a mulher tiver uma ingestão alimentar inadequada poderá prejudicar a produção de leite (e dessa forma prejudicar a amamentação), pelo alto gasto energético que ocorre nesse período. Além do exercício e da ingestão alimentar inadequada, uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação.

 

PESQUISAS E CONFIRMAÇÕES – AMAMENTAÇÃO E EXERCÍCIO:

As pesquisas relacionadas a amamentação e exercício observam um aumento de ácido lático no leite materno. Esse aumento relaciona-se com a intensidade do exercício, isto é, quanto mais intenso mais ácido lático haverá no leite. A grande discussão era que esse ácido lático poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do leite pelo bebê após o exercício pela mudança no sabor deste.

Alguns autores observaram essa resposta, havendo uma menor aceitação do leite em mães que realizaram “exercício intenso“, sendo o mesmo associado ao aumento da concentração de ácido lático. Os estudos com intensidades adequadas “não mostraram efeitos negativos” sobre a amamentação.

Outro estudo conclui que o “exercício e amamentação” são compatíveis, sendo que dos vários estudos analisados pelos autores, os mesmos não tiveram efeito prejudicial sobre a amamentação – todos esses estudos usando exercício leve-moderado durante a  amamentação. Esses não afetaram a composição do leite, o volume do leite, o crescimento e desenvolvimento infantil, ou a saúde materna (Cary & Quinn, 2001).

BENEFÍCIOS DO EXERCÍCIO PARA A MAMÃE:

O exercício feito de forma consciente e correta tem um efeito muito importante na melhora da sua condição física (aptidão cardiovascular nas lactantes) e na sensação de bem-estar. Esses resultados forma vistos quando compararam as mamães que amamentavam e eram ativas com as que eram sedentárias.

CONCLUSÃO:

Quando você treina, seu corpo produz ácido lático e este ácido pode modificar o sabor do leite. Isso pode fazer com que seu bebê rejeite o “peito”. Se o bebê não mama, o organismo não tem estímulo para produzir mais leite. Não havendo mais produção, o leite realmente pode “secar”, ou melhor, deixar de ser produzido.

O correto então é ter um treino organizado para isso não acontecer. A intensidade e o volume devem ser corretos a e não deve ser ultrapassadas não sejam ultrapassadas, não só pelo aspecto da amamentação, mas também pelo exercício intenso ou em grande volume poder comprometer a amamentação e seu corpo com lesões.

 

 

SOBRE O PROGRAMA:

Conheça o programa Pós-parto – Mães em Forma – esse programa está totalmente adaptado para que você tenha toda a segurança para sua volta. Muitas mulheres querem perder peso de forma segura ou então acabar com a barriga que fica como se você ainda estivesse grávida.

O sonho de voltar novamente a usar a calça jeans é possível, colocar novamente o biquíni e curtir a praia.

Então clique na imagem para conhecer o programa que te deixará em forma de maneira segura!

 

 

Cuidados importantes no exercício:

 As mamas no período de amamentação estarão bem maiores e pesadas e isso poderá incomodar

 Certifique-se de que as mamas estejam bem firmes -> talvez seja necessário usar dois tops ou um suporte mais adequado

 

 

Referências Bibliográficas
Wallace, JP, Inbar, G, Ernsthausen, K. Infant acceptance of postexercise breast milk. Pediatrics. 89(6 Pt 2): 1245-7, 1992.

Gale B. Carey, Timothy J. Quinn, Susan E. Goodwin. Breast milk composition after exercise of different intensities. J Hum Lact. 13(2): 115-20, 1997.

Quinn, TJ, Carey, GB. Does exercise intensity or diet influence lactic accumulation in breast milkMed Sci Sports Exerc. 31(1):105-10, 1999.

Cary GB, Quinn TJ. Exercise and lactation: are they compatible. ? Can J Appl Physiol. 26(1):55-75, 2001.

Wright KS, Quinn TJ, Carey GB. Infant acceptance of breast milk after maternal exercise. Pediatrics. 109(4):585-9, 2002.

Su, D, Zhao, Y, Binns, C, Scott, J, Oddy, W. Breast-feeding mothers can exercise: results of a cohort study. Public Health Nutrition. 10(10):1089-1093, 2007.

Importância da Vitamina D na Gravidez

Por Dra Lívia Pondorf – Instagram @ginecologiafuncional

 

Esse post é em homenagem a uma paciente minha, porque esse estudo é 100% ela! ❤️❤️ .
?Um estudo chinês foi publicado esta semana!

Vitamina D na gestação by Dra Lívia Pondorf

Um mega estudo incrível, uma meta análise, demostrando uma vez mais a importância da vitamina D na gestação. Desta vez, ela foi relacionada ao risco de Trabalho de parto prematuro.

O estudo detectou que a suplementação ? de vitamina D pode reduzir em até 43% este risco de parto prematuro!

Por favor, meninas tomem sua vitamina D ????!! Não deixem de fazê-lo.

Se por algum motivo vocês não tomam este suplemento, peixes e ovos não podem faltar em sua dieta.

☝? Lembrando que a recomendação é consumir peixe apenas 1 ou 2 vezes na semana e não mais do que isso.

Todo mundo fala sobre tomar sol para ajudar, mas infelizmente a maior produção de vitamina D com a ajuda do sol ☀️ ocorre com a exposição, sem protetor, entre as 11 e 15 horas, o que não deve ser feito por gestantes.

O melasma gravídico não é legal?

Gravem: vitamina D é obrigatório na gravidez ?

.

Um outro estudo mostrou a suplementação com vitamina D em diversas mulheres nos dois primeiros trimestres da gestação.

O resultado final chama muito a atenção!

Houve uma significativa diminuição na incidência de diabetes na gravidez no primeiro grupo. As gestantes que tinham pelo menos um fator de risco para essa patologia, e que não receberam a vitamina apresentaram taxas três vezes maiores de diabetes gestacional!!

 

Outra pesquisa testou diversas dosagens de vitamina D em gestantes com diabetes na gravidez. E o resultado? As pacientes com as mais altas doses de vitamina D tiveram uma melhora significativa na resistência à insulina, sem falar no aumento de diversos antixoxidantes, como a glutationa, que protege nossas células contra radicais livres e melhora o sistema imune.

 

**** Quem conhece alguém com diabete na gravidez? Super comum, não é? Então vamos começar a vitaminar essas mulheres durante a gestação. ????

 

Vitamina D e a doença mais comum na gravidez – a pré-eclâmpsia, a pressão alta na gravidez. ?

Diversos estudos já demonstraram que a deficiência de vitamina D está associada ao aumento do risco de pré eclâmpsia!

Um deles (2013) comprovou essa associação, que fica mais evidente quando há insuficiência? desta vitamina (níveis sérios abaixo de 50nmol/L). Já o segundo afirma que o risco de desenvolver pré-eclâmpsia em quem tem pouca vitamina D no sangue chega a ser 78% maior!!! ?

Acredita-se que este efeito se deva a mecanismos biológicos, imunes, placenta normal, excesso de inflamação e a hipertensão em si.

Além disso, há mais inúmeros estudos que comprovam esta relação!

 

Portanto, revisando os temas acima … a importância da vitamina D relacionada ao menor risco de pré eclâmpsia, de diabetes gestacional e de trabalho de parto prematuro, além de melhor controle do diabetes naquelas pacientes que apresentam níveis adequados de vitamina D.

Agora um outro estudo demonstra que pacientes que possuem baixos níveis de vitamina D apresentam 60% mais risco de terem bebês pequenos para idade gestacional.

Bebê saudável é bebê com peso dentro da média! ?

Bebês que tem peso muito reduzido, tem maior risco de doenças crônicas no futuro, e também de serem obesos.

Se temos a possibilidade de oferecer o melhor para eles, porque não?

Vitamina D e alimentação correta para que eles nasçam com o metabolismo super bonitinho para o futuro. ????

 

Você encontra a Dra Lívia Pondorf no Instagram – @ginecologiafuncional

e-mail: [email protected]

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez – Por Gizele Monteiro – Coach de Mamães

 

As “5 perguntas que as mamães mais me fazem no pós-parto”

Como Personal gestante – Coach de mamães, tenho sempre que esclarecer muitas dúvidas.

Sempre existem perguntas pelas redes sociais, e-mail, blog, YouTube …

Separei as 5 perguntas mais comuns que vocês me fazem.

 

Dúvidas comuns depois da gravidez

 

Pergunta 1. Estou amamentando e engordando! O que eu faço?!!

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Dúvida muito comum mesmo e acontece com grande parte das mamães, o que faz bater aquele desespero.

Bom, a primeira coisa a entender é que a amamentação é uma forte aliada à volta do peso – emagrecimento – e no gasto calórico. Ela gasta muitas calorias!!

Se você está amamentando e não está emagrecendo ou até mesmo (o pior) … está engordando … é porque está se alimentando de forma errada. Entenda que alguma coisa na sua alimentação não está certa.

Então você precisa entender como se alimentar e como é a sua visão de uma alimentação saudável, por isso pare e faça essa análise agora. ANOTE TUDO O QUE VOCÊ ESTÁ COMENDO.

Será que realmente a sua alimentação está saudável e atendendo as necessidades nutricionais suas e do seu bebê?

Com certeza você achará erros e identificando esses erros você verá que irá voltar ao seu peso.

Vou citar alguns aqui que constantemente vejo em minhas alunas e consultorias que realizo:

  • beber refrigerantes,
  • comer muitos doces e pães,
  • beliscar ao longo do dia
  • ficar muito tempo sem comer e quando vai comer, enche o prato
  • comer demais porque tem “fome” por causa da amamentação

Aliás “essa fome” merece um destaque.

“Algumas mamães se queixam que ficam com uma fome insuportável depois de amamentar. De fato isso pode acontecer, mas cabe a você então comer adequadamente. O que acontece é que a maioria se entope de besteira ou bate o maior pratão de pedreiro … alimentos que não são nada saudáveis ou uma quantidade muito acima do que você precisa. E uma coisa também fica clara quando vejo mamães que não sentem essa fome avassaladora … normalmente elas comem adequadamente e não ficam longos períodos sem comer, são mais disciplinadas em observar seus horários de se alimentar. Tenho mamães inclusive que ingerem alimentos enquanto amamentam … frutas secas, oleaginosas, um suco, uma fruta. Então você pode perceber que a “disciplina é fundamental nessa fase”.

A segunda coisa importante é ser ativa, isto é, incluir uma rotina de exercícios no seu dia, nem que seja em casa. O exercício ajudará não só na volta do peso, mas também a equilibrar o que você está ingerindo. O exercício também aliviará na ansiedade de estar dentro de casa – “trancada” – que normalmente te faz descontar na comida. Esse equilíbrio te ajudará também a se sentir mais bonita e de bem com seu corpo.

.

Pergunta 2. Posso fazer dieta amamentando?

Dietas restritivas – radicais, da moda, ou com baixo aporte calórico não são indicadas após a gravidez. Até mesmo porque você tem uma necessidade aumentada justamente por causa da amamentação. Então se você está se alimentando de forma saudável, o peso naturalmente voltaria ao que você tinha. Se isso não está acontecendo, meu conselho é procurar uma nutricionista para ajustar sua alimentação. Sua “dieta” será uma alimentação saudável e adequada para a sua fase. Eeee lembre-se seja ativa, faça exercícios.

.

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Pergunta 3. Para voltar ao meu corpo é só amamentar??!!

Em uma postagem recente que fiz, vi várias mães comentando … para voltar ao corpo basta amamentar.

Bom minha resposta é clara e objetiva … NÃO … NÃO BASTA!

Amamentar ajuda na sua volta do “PESO”  e não do seu “CORPO”.

Volta do peso e Volta do corpo são coisas completamente diferentes!!!

Tanto que atendo várias mamães com meu programa para a volta da barriga, que estão magras, mas suas barrigas estão como se tivessem grávidas de 3-4 meses … algumas até de 6 (conforme comentam rsrsrs).

A volta do corpo envolve um conceito muito maior, pois é a volta de todo o seu corpo … barriga, bumbum, postura, prevenção de dores, assoalho pélvico. Por isso meu projeto é um programa completo … o programa Pós-parto – Mães em Forma faz a volta e recuperação completa do seu corpo.

Pode ser que você até fique feliz com o que está fazendo, mas não significa que seu corpo tenha voltado totalmente.

.

Pergunta 4. Estou amamentando, posso fazer exercícios? O exercício não prejudica a amamentação?

Sim, pode fazer exercícios se você está amamentando!

Esse medo, é bem comum, mas adianto que um programa especializado e que atenda realmente as suas necessidades não comprometerá em nada a amamentação. A intensidade e o volume da atividade associado a hidratação adequada garantem que você mantenha a amamentação durante o período que desejar e fluir conforme o seu corpo.

Há muitos anos atendo mamães nos mais diferentes perfis e o exercício do meu programa nunca interferiu na amamentação, por isso se você ouviu ou tem outra experiência, algum erro aconteceu.

.

Pergunta 5. Depois de quanto tempo do meu parto eu posso fazer exercícios?

Hoje tem mudado muito o tempo de liberação dos médicos para que a mamãe volte ou inicie os exercícios.

Atendo mulheres que em 30 dias pós-cesárea já estão liberadas pelos seus médicos para voltarem para atividades leves como caminhada ou exercícios posturais ou braços.

Mas o comum ainda entre os médicos é:

30-40 dias para parto normal e 40-60 dias para cesárea.

Só fique em alerta que mesmo que seu médico libere para a prática, essa deve ser adaptada para as novas condições do seu corpo.

Você não deve voltar a fazer os mesmos exercícios de antes da gravidez. Seu corpo agora é outro, tem outras necessidades, está totalmente instável. Como um treino de uma mulher que não estava grávida pode te ajudar? Não irá!

Inclusive pego casos seríssimos de diástases pioradas com os treinos de pilates e musculação. Isso acontece porque um profissional sem um olhar de especialista não consegue entender a nova necessidade do seu corpo e nem como recuperá-lo. Seria a mesma coisa que você procurar um clínico geral para ver sua lesão de joelho.

O programa ideal, começa a recuperar seu corpo a partir da barriga, iniciando pela avaliação da diástase.

Você já viu se tem diástase?

Se você não sabe se tem a diástase, pode fazer o teste com meu e-book gratuito. Basta clicar no botão abaixo e se cadastrar para que eu possa te enviar.

E se você deseja ter um programa que te ajude nesse passo a passo para ter seu corpo de volta … Conheça o Pós-parto – Mães em Forma!

Clique no Link e seja direcionada para o programa que deixará seu corpo e sua barriga incrível!

<< QUERO CONHECER O PROGRAMA 

PÓS-PARTO-MÃES EM FORMA >>

Refrigerantes na Gravidez

Por Gizele Monteiro – Coach de Gestantes

 

É fato que o refrigerante não tem nada saudável para qualquer pessoa. É exatamente o que chamamos de calorias vazias que não trazem nenhum tipo de nutriente.

 

Refrigerante na Gravidez

 

Mas e na gravidez?

Na gravidez o refrigerante se torna pior, pois ele não traz nada em termos nutricionais nem para você e nem para seu bebê.

 

Vou listar algumas razões mostrando o quanto o refrigerante pode fazer mal para saúde da gestante e do bebê:

  • refrigerante pode causar desconforto gástrico na gravidez e isso fazer mal te causando refluxo, asia ou queimação. Esse desconforto pode piorar com o consumo de qualquer bebida gaseificada, inclusive a água com gás
  • refrigerante contribui para o aumento de peso por conter muito açucar (muitas calorias vazias)
  • refrigerantes à base de cola, como a Coca-Cola e a Pepsi, têm muita cafeína – durante a gravidez não deve ultrapassar 200 mg por dia
  • refrigerantes podem aumentar os riscos da diabetes gestacional. Segundo a nutricionista Débora Rodrigueiro (PUC-SP), “a gravidez exige demais do metabolismo da mulher, o que faz com que os refrigerantes de cola não sejam bem absorvidos pelo organismo feminino neste período. A consequência disso é semelhante ao uma dieta cheia de açúcar: prejuízo para as células produtoras de insulina no pâncreas”.
  • refrigerante pode provocar retenção de líquidos

 

A versão zero, além de conter adoçantes que não são indicados na gravidez, apresenta ainda mais sódio em sua composição que os refrigerantes tidos como comuns. Esse fato é preocupante por causa de todas as mudanças de pressão que a gestante tem, e principalmente para as que desenvolvem pressão alta, o sódio aumenta os riscos , ainda mais quando consumido demasiadamente é um dos responsáveis pela pressão subir.

 

Por todas as informações relatadas, é importante entender que tanto na gravidez, quanto após, beber refrigerantes não será benéfico em nada.

Se você gravidinha deseja manter sua saúde e nutrição reveja seus hábitos.

Eu posso ajudar a entender mais sobre esse assunto, e o que fazer através de um curso online que preparei.

Fiz 4 vídeos explicando vários conceitos de saúde para que você não engorde na gravidez e promova saúde por sua alimentação para o seu bebê.

Clique no botão abaixo e cadastre-se no site que será direcionada para receber gratuitamente os 4 vídeos com minhas dicas …

 

 

Clique no símbolo e siga-me no instagram!

Gravidez: o que fazer para evitar estrias e a flacidez após

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Você já ouviu a velha frase … não adianta chorar pelo leite derramado!

Como ela se aplica a gravidez!!!

É uma pena que a maioria das grávidas só venha descobrir isso depois quando chegam no pós-parto.

Você tem idéia do porquê essas barrigas ficaram assim?

 

Estrias - flacidez como evitar

 

Vou numerar algumas coisas para você do que pode ter acontecido para essas barriga ficarem assim:

  1. ganharam muito peso na gravidez
  2. engravidaram acima do peso e ganharam também peso extra (o que nesse caso não é necessário)
  3. não cuidaram da postura, deixando que a barriga fique muito baixa e forçando a pele
  4. não cuidaram da força abdominal para manter a barriga bem posicionada
  5. não fortaleceram o períneo
  6. não cuidaram da alimentação para manter uma pele nutrida
  7. não fizeram exercícios especializados – que cuidam de pontos importantes para evitar diástase e uma barriga caída
  8. não tiveram atenção para cuidados de hidratação e nutrição da pele

 

E é justamente para te ajudar a evitar casos como esses e evitar também que você chore depois que fiz esse post.

** Talvez você só entenda lá na frente, mas se não tiver se atentado a esse post, lembrará das minhas frases. São anos atendendo gestantes e mamães, então sei o que estou falando e te ensinando aqui.

 

Talvez você não saiba, mas os cuidados certos e especializados na gravidez FAZEM SIM TODA A DIFERENÇA!

Você está vivendo o conto de fadas, e tem que ser assim … a gravidez é uma benção, mas você precisa ter a consciência do que pode ocorrer no seu corpo se você não se cuidar da maneira certa. Recebo inúmeras mulheres com a auto-estima destruída por não ter seu corpo de volta.

A maioria das gestantes não sabem os reais cuidados que devem ter para não terem estrias, flacidez de pele, diástase (muitas nem conhecem o que é), barriga avental.

Durante anos tenho deixado minhas alunas gestantes lindas! E elas rapidamente tem seus corpos de volta, justamente por saberem o que fazer.

Por isso além de indicar meu videobook e programa, preparei para você algumas dicas que dou para elas.

Evitar as estrias e aquela flacidez que deixará sua barriga desfigurada TEM QUE COMEÇAR NA GRAVIDEZ.

 

1. Evitar ganho de peso excessivo e ganhar o peso adequado para seu padrão.

Um ganho de peso entre 8-11 quilos é o que mais ajuda  na volta do corpo.
Não adianta cuidar com cremes, etc se você engordar muito. A pele não suporta e se rompe causando as estrias.

2. Fazer exercícios especializados – um programa especializado faz toda a diferença pela sua seleção de exercícios segura e eficiente.

Esses exercícios ajudarão a manter uma boa circulação na região. Uma boa irrigação ajuda a manter a pele oxigenada e nutrida.

3. Manter a postura

A postura sendo mantida na gravidez ajudará que a barriga fique numa boa posição e não force a elasticidade da pele

4. Fazer execícios especializados que mantenham os abdominais e o períneo fortalecidos

Fortalecer essas regiões com exercícios adequados ajudará a manter uma boa posição da barriga. Com isso a barriga não fica baixa e não força a pele (a pele sendo forçada aumenta o risco de estrias e da flacidez futura).

5. Hidratar e Nutrir a pele

Usar óleos e cremes feitos para gestantes. Além de serem adequados para seu uso, eles tem nutrientes importantes para manter sua pele saudável e preparada para ser esticada

6. Hidratar seu corpo

Beba água. A hidratação deixa a pele mais adequada para sofrer o grande alongamento que acontecerá.

7. Evite o inchaço com drenagem linfática especializada

O inchaço da mesma forma que a gordura altera a elasticidade da pele

8. Fazer massagens com o óleo ou creme de de forma regular

Especialmente nas regiões mais frequentes de estrias, aprenda a fazer uma massagem enquanto passa o creme.

9. Alimentação saudável e rica em nutrientes – inserir também alimentos ricos em vitamina C e E
A alimentação além de oferecer quantidades de nutrientes para seu metabolismo (e consequentemente a pele), incluindo vitaminas que são ricas em substâncias antioxidantes, essas agem estimulando a produção natural de colágeno. *

 

Bom … se você entendeu minha mensagem e meu post, tenho certeza que o alerta servirá para você dar um passo importante para cuidar do seu corpo, da sua saúde e do seu bebê.

Então agora você precisa AGIR !!!

O programa online Gravidez em Forma pode te ajudar em cada um desses pontos.

 

clique aqui - gravidez em forma

 

Alimentação errada na gravidez pode gerar crianças mais gordas

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Você sabia que a OBESIDADE INFANTIL PODE COMEÇAR NA GRAVIDEZ ?

Há anos se fala da importância da alimentação na gravidez. Está mais do que comprovado por exaustivas pesquisas que uma boa alimentação ajuda na saúde do bebê.

Mas infelizmente ainda insistimos em ver a alimentação apenas como uma forma da gestante não engordar.

Alimentação errada na gravidez e obesidade infantil
Alimentação errada na gravidez e obesidade infantil

 

O fato é que se você engordar, não será bom pra você e nem para seu bebê, pois esse excesso de peso tem sido associado ao aumento dos riscos de doenças gestacionais como o diabetes e a hipertensão. Essas doenças podem refletir na sua gravidez e em riscos para seu bebê. Por isso é muito sério e insisto em sempre trazer esse alerta nas minhas mídias.

 

Mas o que pouco se fala é sobre a influência dessa alimentação errada e inadequada sobre o futuro peso e luta contra a obesidade do seu bebê.

 

Não é apenas o que seu filho irá ingerir depois do nascimento que influenciará na sua forma física.

As pesquisas já deixam clara que o que você come durante a gravidez pode gerar crianças mais gordas, afetando o peso nos anos seguintes ao do nascimento.

 

Um estudo especialmente conduzido para analisar isso, mostrou que “mudanças na alimentação da mãe traz benefícios à composição corporal do bebê em desenvolvimento”, segundo um dos pesquisadores e condutor da pesquisa – Nicholas Harvey – Jornal de Endocrinologia Clínica . Entre as descobertas, está a sugestão de que as mães consumam suplementos de ômega 3 para colaborar no desenvolvimento muscular e ósseo das crianças.

 

Por isso nesse momento quero levá-la a uma reflexão.

Talvez você sempre tenha lutado contra a balança, e agora na gravidez não está diferente, parece que até piorou. Seu peso disparou !!! Isso acontece porque seu metabolismo virou uma verdadeira fábrica de gorduras com a gravidez. Então é um excelente momento para a mudança do seu estilo de vida e não de largar e correr atrás depois. Depois você não irá correr atrás … acredite … o ritmo da maternidade não te permitirá fazer isso, se esse não for um hábito cultivado desde a gravidez.

  • Dica 1: pratique exercícios especializados. Eu posso te ajudar com um programa especial e online … o Gravidez em Forma!

 

  • Dica 2: preparei um curso completo – um videobook para você conhecer e entender seu corpo na gravidez. Também nele ajudo você a entender o que é uma boa alimentação e um estilo de vida saudável.

Nesse curso explico tudo o que acontece com seu corpo e com seu peso … e assim entendendo será muito mais fácil de você acertar.

E especialmente por causa desse post eu preparei um cupon com uma Super Oferta para que você se sinta inspirada a dar esse passo de cuidar da sua saúde e do futuro do seu bebê. Somente através desse post e do link fornecido é que esse cupom é válido. Se você for ao site não o encontrará.

 

Clique no botão abaixo para ter esse cupon com a super Oferta.

Conheça esse curso incrível

Gravidez – petiscos saudáveis para o verão

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

GRAVIDEZGravidinha … Segue uma super #dicadapersonalgestante para você manter seu peso.

Curtir os finais de semana ou feriado na praia ou piscina no verão podem acabar com seu controle de peso … Sabia?!

Sim !

Recebo muitas mensagens de gravidinhas desesperadas porque não estão conseguindo controlar o peso.

Isso porque as opções que temos nesses locais, além de não serem saudáveis em pontos nutricionais, são muito calóricos também.

E dessa forma você pode tomar um grande susto ao final de mês depois de 1 ou 2 finais de semana curtindo o verão.

Mesmo você sempre fazendo isso, todo verão, dessa vez seu metabolismo é uma verdadeira fábrica de gorduras.

Com isso, estou dando algumas sugestões para te ajudar a ter opções saudáveis.

 

1.Mix de castanhas ou frutas secas: você pode comprar sem sal e misturar vários nuts. Só cuidado que apesar de saudáveis, elas são calóricas e o ideal é uma porção pequena.

 

2.Chips de abobrinha: corte a abobrinha com ralador em fatias bem finas. Espalhe-as em uma base preparada com papel toalha, uma ao lado da outra. Salpique sal e deixe descansar por 30 minutos para soltar bem a água. Use mais papel toalha por cima para retirar toda a água. Leva ao forno em forma antiaderente e asse em forno preaquecido a 180 graus por aproximadamente 15 minutos, ou até dourar levemente. Retire do forno e pode temperar  com alguma temperinho que goste. Guarde num pote hermético para que permaneçam crocantes por mais tempo.

Você ainda pode ter outras opções de chips: banana terra, beterraba, batata doce ou mandioquinha.

 

3. Chips doce: da mesma forma que o salgado, é simples de fazer. Basta cortar em fatias finas e colocar no formo.

Você pode fazer chips de maçã com canela ou lascas de coco.

 

4.Grão de bico assado: acomode o grão de bico em uma forma, regue com um pouco de azeite de oliva. Bata no liquidificador sal grosso (pode ser o sal rosa também) com orégano seco, alecrim e manjericão. Salpique este sal por cima do grão de bico e leve ao forno para assar.

 

5. Pasta de grão de bico: você pode cozinhar o grão de bico ou usar o grão de latas. Bata no liquidificador com azeite, um pouquinho de alho (à gosto se quiser), suco de 1 limão, e 1 colher de sopa de pasta de gergelim (opcional).

Essa pasta pode ser servida com torradinhas, pão sírio em pedacinhos em lascas ou até mesmo tiras de legumes como cenoura, pepino, ou aipo.

 

6. Espetinhos aperitivos de tomate cereja, queijo branco e manjericão

 

7. Palmito em pedaços

 

8. Tomate cereja – puro ou com azeite e temperinhos

 

9. Ovinho de codorna cozido

 

10. Milho Cozido

 

11. Uvas congeladas

 

Atente-se apenas com o transporte e refrigeração dos alimentos que são mais perecíveis.

 

Como você vê, existem opções deliciosas e que pode te ajudar na nutrição da sua gravidez e também no controle de peso.

E se você quer mais detalhes de como pode ter orientações adequadas no controle de peso, meu videobook pode te ajudar.

Ele é um curso completo para te deixar em forma e também te ajudará a entender sobre seu metabolismo, ficando mais fácil de entender essa loucura para controlar seu peso.

 

Eu preparei nesse semana, uma super oferta especial onde esse curso pode ser adquirido de R$97,00 POR R$27,00.

Essa super oferta só é encontrada nesse post. É um presente que preparei para você que leu esse post até o final e se preocupa com sua saúde e controle de peso.

 

Para adquirir, esse curso por essa super oferta, você pode clicar no botão abaixo.

 

Conheça esse curso incrível

Enjoo, Azia e Digestão lenta no final da gravidez – o que fazer?

Dicas da Personal Gestante – Gizele Monteiro

 

Enjoo, azia e digestão lenta, sintomas e incômodos super comuns no final da gravidez.

Conversando com a querida nutricionista Anielle D’angelo resolvemos dar algumas dicas que podem melhorar esse quadro para as gravidinhas.

O que fazer para melhorar ou evitar que o enjoo, a azia e a digestão lenta que costumam aparecer no final da gravidez piorem … Seguem as dicas …

 

  • Digestão lenta na gravidez?

Por Anielle D’Angelo – nutricionista especializada em gestantes e mamães

 

Que mamãe nunca sentiu isso?

Sintoma bem comum no final da gravidez e que atrapalha muito a futura mamãe a se alimentar bem em muitos casos, de tão desagradável que pode ser.

As flutuações hormonais são as maiores causadoras pela digestão prejudicada na gestação.

Existem várias medicações que podem melhorar sintomas como azia, refluxo, flatulências e por aí vai. Porém, indico sempre para tentar seguir as orientações abaixo antes de tomar qualquer medicação desse tipo.

Normalmente os resultados são excelentes e com uma melhora significativa.

 

Veja as Dicas do que fazer:

  1. comer mais fracionado e com poucas quantidades de comida por vez,
  2. evitar frituras, café, refrigerante e doces em geral,
  3. mastigar bem os alimentos,
  4. iniciar as grandes refeições pela salada e finalizá-las com frutas altamente digestivas – como o mamão e o abacaxi,
  5. observar os alimentos que mais lhe desagradam ou promovem esse quado (e evitá-los)
  6. e o mais importante (na minha opinião) é separar as proteínas animais dos carboidratos nas grandes refeições. Sim, quando comer o peixe não comer o arroz, por exemplo! A nossa digestão não é nada boa quando misturamos ambos os grupos no mesmo prato.
Enjoo - Azia - Digestão na Gravidez
Enjoo – Azia – Digestão na Gravidez

 

ATENÇÃO Mamães de Plantão – É importante que você busque uma orientação profissional “qualificada”, dessa forma sua alimentação será mais ajustada.

 

Quer receber mais dicas para não engordar na gravidez e ter uma gravidez saudável?

Clique no botão abaixo e cadastre-se para que eu possa te enviar dicas!

clique aqui - gravidez em forma

 

#anielledangelonutri #dicadanutri  #nutriçãonagestação  #gizelemonteiro #dicasdapersonalgestante