Conclusões das novas diretrizes do ACOG sobre exercícios na gravidez e pós-parto

Tradução da Diretriz do ACOG (PARTE 9 – Final) – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de gestantes by Gravidez em Forma

*** Os programas Mais Vida Gestantes – Brasil e Portugal – e os Programas Online Gravidez e Pós-parto em Forma seguem as diretrizes do ACOG e outras autoridades internacionais que pesquisam e buscam a prescrição de exercícios de forma segura e direcionada para as necessidades da gravidez.

 

Número 650 – Dezembro de 2015.

Comissão de Prática Obstétrica
Este documento reflete os avanços clínicos e científicos emergentes – a data e emissão estão sujeitas a alterações. A informação não deve ser interpretada como um curso exclusivo de tratamento ou procedimento a ser seguido.

 

Conclusão das novas diretrizes do ACOG:

Exercício para dor nas costas da mamães
Exercício na gravidez – Diretrizes do ACOG

Apesar do fato de que a gravidez está associada com profundas alterações anatômicas e fisiológicas, o exercício tem um risco mínimo e tem sido mostrado que beneficia a maioria das mulheres.

Mulheres com gestações sem complicações devem ser encorajadas a participar de atividades físicas antes, durante e após a gravidez.

Ginecologistas-obstetras e outros profissionais deve avaliar cuidadosamente as mulheres com complicações médicas ou obstétricas antes de fazer recomendações sobre a participação da atividade física durante a gravidez.

Apesar das evidência serem limitadas, algum benefício para os resultados da gravidez tem sido mostrado e não há nenhuma evidência de danos quando não há contra-indicação.

A atividade física e exercício físico durante a gravidez promove a aptidão física e pode prevenir o ganho de peso gestacional excessivo.

O exercício pode reduzir o risco de diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e de partos cesáreos.

Mais pesquisas são necessárias para estudar os efeitos e resultados do exercício em condições específicas da gravidez, e para esclarecer ainda mais métodos eficazes de aconselhamento comportamental e melhor tipo, frequência e intensidade do exercício.

Pesquisa similar é necessária para melhorar a informação baseada em evidências sobre os efeitos da atividade física ocupacional sobre a saúde materno-fetal.

 

Recurso

Artal R, Hopkins S. Exercise. Clin Update Womens Health Care 2013;XII(2):1–105.

 

Referências bibliográficas no Link para acessar o artigo original:

http://www.acog.org/Resources-And-Publications/Committee-Opinions/Committee-on-Obstetric-Practice/Physical-Activity-and-Exercise-During-Pregnancy-and-the-Postpartum-Period

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *