Diástase: saúde ou estética – o outro lado

Diástase: saúde ou estética – ou outro lado – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Diástase: saúde ou estética - o outro lado
Diástase – estética ou saúde

Uma das grandes questões que quero abordar nesse post é se a diástase é uma questão apenas de estética ou será que há uma importância para a saúde.

Para isso vou analisar um outro ponto importante sobre a diástase.

É claro que muitas mamães buscam uma solução da diástase por questões estéticas e está tudo bem. É importante também!

 

A diástase tem forte relação com a volta da barriga e a permanência daquela barriga mole e estufada. Essa é a famosa barriga de grávida e ela “afeta muito a auto-estima da mulher”.

 

Mas será que ter uma diástase depois da gravidez, é apenas uma questão estética?

A resposta é muito simples … NÃO!

 

“CUIDAR E MELHORAR A DIÁSTASE NÃO É APENAS UMA QUESTÃO ESTÉTICA.

É UMA QUESTÃO DE SAÚDE DA MULHER.”

 

Já fiz um post aqui no blog explicando o que é diástase e os tipos de diástase que existem.

Se você não sabe o que é diástase, como avaliar e onde ela está localizada, pode baixar meu e-book onde explico e te ensino um auto-exame – basta baixar – << clique aqui >> .

Nesse post vou me concentrar em explicar mais detalhadamente as implicações e o perigo de você ficar por anos com sua barriga solta e estufada e com essa diástase sem tratar.

Uma diástase (seja a funcional ou de ruptura) durante os anos pós gravidez, pode trazer sérias consequências, isso porque uma das funções dos músculos abdominais é a contenção dos órgãos.

Outra função é manter a respiração. Tenho uma amiga que estava tendo apneia do sono porque sua musculatura não estava trabalhando de forma adequada. Os músculos abdominais participam da respiração sabia? E os anos com debilidade podem fazer com que ele perca sua eficiência na respiração e mude também o padrão de outro músculo importante na respiração … o diafragma.

Mas vou abordar outros pontos muito importantes em que uma diástase pode influenciar na sua saúde …

 

1.Problemas posturais e dores nas costas

Uma outra função dos músculos abdominais é dar equilíbrio na sua postura. Na gravidez essa postura é toda alterada por causa do crescimento da barriga. Abdominais e períneo ficam fracos e soltos para dar espaço para alojar seu bebê.

Todo esse desequilíbrio continua depois da gravidez e se não houver um trabalho adequado, você nunca mais recupera esse músculos. Dificilmente eles voltam a sua força naturalmente. Coloque aí uma segunda gravidez, e esse problema será agravado.

Músculos abdominais fragilizados e fracos não fazem a função de estabilizar e sustentar o tronco. Isso deixa toda a coluna e seus músculos instáveis, comprometendo postura e a segurança da sua coluna.

Quando há uma diástase (seja funcional ou de rompimento – veja aqui – clique aqui – artigo que indico), existe mais fraqueza em toda a região abdominal. Então seu corpo não é trazido para a frente, da forma que deveria. Ele permanece lá atrás forçando sua coluna, quadril e discos vertebrais. Esse é um dos fatores de problemas sérios de coluna – como hérnia de disco, bico de papagaio, inflamação do nervo ciático.

 

2. Escapes e perdas de xixi – incontinência urinária

A ocorrência de escapes de xixi quando se está apertada, espirra ou tosse é comum na gravidez, porém deixo claro que não é normal.

Essas ocorrências podem ser amenizadas ou diminuídas com um acompanhamento correto de fisioterapeuta especializada em Obstetrícia.

Após a gravidez também essas ocorrências devem ser acompanhadas e exercícios específicos para o fortalecimento do períneo inseridos.

Sempre que há uma diástase, esse trio – períneo, abdômen e músculos posturais – ficam desequilibrados em sua força e ação de proteção do corpo e coluna.

A falta de força dos músculos da barriga (por causa da diástase e alongamento persistente pelo aumento da barriga) não permitem que os músculos do períneo se recuperem. Com isso permanecem fracos e soltos.

 

Queixas comuns após a gravidez – e que ninguém tem coragem de falar:

 

1-perda da sensibilidade e controle dos músculos do períneo na hora do ato sexual

2-perda involuntária de urina (escapes do xixi) – isso pode acontecer em várias situações de esforço como correr, pular ou quando se está apertada e não consegue se segurar o xixi, ou quando se ouve barulho de água, ou quando se espirra ou tosse, etc

3-existem casos mais tardios de queda da bexiga e órgãos que podem mais tardiamente comprometer a saúde da mulher. A queda de bexiga por exemplo, se torna um quadro cirúrgico

 

“Você sabia ?

A bexiga caída atinge 20% das mulheres com mais de 40 anos”

 

Esse fato traz problemas para a vida sexual, incontinência urinária (perda ou escapes de xixi), dor intensa e piora muito a qualidade de vida.

Justamente o enfraquecimento dos músculos da região pélvica – o assoalho pélvico (períneo), causa o deslocamento de órgãos como o útero, a bexiga, o reto, o intestino delgado e a uretra.

Entendo que a grande maioria das mulheres terá sua primeira gravidez com uma média de idade de 34-35 anos … os 40 anos estão bem próximos. Uma segunda gravidez ficará bem mais próxima a essa idade.

Então nós mulheres precisamos entender e quebrar esse tabu de que cuidar da sua barriga e de uma diástase ou até mesmo fraqueza e estufamento dela se trata apenas de uma questão estética.

Muito mais do que isso … é um caso de saúde e podemos inclusive considerá-lo um caso de saúde pública!

 

Exercícios e a barriga – saúde ou estética:

Antes de voltar à prática de qualquer exercício é necessário fazer a avaliação da diástase e iniciar com exercícios específicos para a recuperação da barriga e da diástase.

Isso irá equilibrar a funcionalidade da região para a execução de exercícios e tarefas mais complexas e exigentes.

Também é importante entender que não são os abdominais comuns que farão a diástase fechar ou a musculatura abdominal voltar e reduzir o “estufamento”.

 

O que fazer então? Exercícios podem ajudar na diástase?

Muitas mamães me pedem indicação de 1 exercício para melhorar a barriga ou a diástase, mas é importante que eu saliente que NÃO acredito em apenas 1 exercício que irá melhorar.

Acredito num programa completo recuperando a força e com um passo a passo reposicionando os músculos e fechando gradativamente a diástase. Diástase não é como emagrecimento, é necessário restaurar os tecidos.

A diástase deve ser revertida gradativamente com exercícios abdominais especializados + exercícios funcionais + posturais + exercícios para o períneo.

E se você quer entender como cuidar de cada ponto que mencionei nesse post, pode ter esses passos e exercícios especializados

O programa Pós-parto em forma foi elaborado para:

  • melhorar casos de diástase sem ter que passar por uma cirurgia cara e complicada
  • melhorar o períneo de muitas alunas que chegam com queixas de perdas urinárias
  • melhorar o bem estar por reposicionar os órgãos no seu corpo trazendo a tensão adequada da sua barriga
  • melhorar a postura e aliviar quadros de dores e incômodos
  • eeee melhorar a auto-estima

 

Esses resultados tem alcançado centenas de mamães que tem passado pelo programa Pós-parto – Mães em Forma

 

PARA SABER MAIS …

Você pode se cadastrar no site para ganhar de presente meu e-book “Como ter a barriga reta depois da gravidez”. Nele ensino o teste da diástase e também falo sobre a volta da barriga e da diástase.

 

Clique no botão abaixo e cadastre-se que te envio esse meu e-book de presente!

 

 

Compartilhe esse post com quem você sabe que precisa !!!

Além desse blog você pode me seguir em minhas redes sociais ou pelo meu canal no YouTube

  • Canal Gizele Monteiro
  • @gizelemonteiro (instagram)
  • gravidez em forma e mães em forma – Fan page no Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *