HIIT no pós-parto? Será seguro?

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

HIIT no pós-parto
HIIT no pós-parto ? É seguro?

O HIIT com certeza é o queridinho do momento como método de emagrecimento. Claro que já chegou até mim a pergunta se a mulher no pós-parto pode fazer o tal HIIT!

Primeiro vamos entender o que é e o que significa  a palavra HIIT.

O termo é uma abreviação que vem do inglês – High Intensity Intetermittent Training, isto é, Treinamento Intervalado de Alta Intensidade. No português não fica tão bonita a sigla não é (risos) ?!

Basicamente o método é composto por uma série de estímulos curtos – exercícios de curta duração, porém em alta intensidade, seguido por um período de recuperação. O foco então é uma sessão curta, com exercícios feitos na maior intensidade possível.

Só com essa informação já podemos entender se esse método é adequado ou não para a mamãe no pós-parto.

Vamos lá !!! Durante a gravidez há uma grande mudança em todo o organismo da mulher e uma das mais intensas acontece justamente no sistema cardiovascular – coração, vasos são totalmente alterados para que possam bombear, levar e trazer e suportar uma quantidade a mais de sangue que é necessário para suprir mamãe e bebê.

O retorno do corpo na mulher no pós-parto não é imediato. Ele é gradativo e leva-se em torno entre 6 meses a 1 ano para que esses ajustes voltem ao que era antes da gravidez. Algumas alterações podem nem voltar se não houver um treino específico.

Além de todas essas mudanças fisiológicas temos também as biomecânicas – ossos, ligamentos, postura – que também não voltam rapidamente ao que eram. É o caso da barriga – dos músculos abdominais – que muitas mulheres reclamam de permanecerem com a barriga saliente e flácida.

O HIIT por vários motivos solicita muito não só do seu sistema cardiovascular, mas também do seu sistema músculo-esquelético.

HIIT após a gravidez? É seguro?
HIIT após a gravidez? É seguro?

À medida que seu corpo for se recuperando e também esteja mais preparado do ponto de vista muscular, os treinos podem ir aumentando a intensidade gradativamente.

A ação metabólica também é preocupante, afinal enquanto houver amamentação a indicação das autoridades internacionais e dos pesquisadores é de que não se realize exercícios intensos que levem a produção e acúmulo de lactato, pois esse pode alterar o sabor do leite e fazer com que o bebê recuse mamar, com isso a ausência do estímulo de sucção a tendência é secar o leite.

Muitos outros aspectos devem ser considerados ainda como o tipo de parto, histórico de condição física e experiência com modalidades e exercício, etc, etc …

Portanto, por mais eficiente que seja, é importante respeitar sua atual condição física e retornar gradativamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *