Segunda gravidez – barriga maior é normal?

Segunda Gravidez – barriga maior é normal?

 

Quem já não viu todas falando … Ah minha barriga nessa gravidez está aparecendo muito mais rápido, está maior!! Mas será que isso é normal?

Sabe o tema – “recuperar-se depois da gravidez ou se preparar para a nova gravidez” é totalmente desconhecido pelas mulheres !!!

As mulheres não sabem que precisam se preparar para a próxima gravidez!

Constantemente ouço … Mas não é melhor eu esperar, engravidar e depois cuidar e me recuperar tudo de uma vez?

 

Quando vejo alguém falando isso eu até vontade de chorar e falar … querida não faça isso!

Ao contrário … Você precisa agir agora!
Percebi que muitas mulheres não sabem e não entendem a importância de recuperar seu corpo para uma próxima gravidez.

Recebo diariamente mensagens com as mesmas queixas em minhas mídias. Segue um exemplo …

 

Relatos de piora da barriga após segunda gravidez
Relatos de piora da barriga após segunda gravidez

 

Por isso resolvi escrever esse artigo!

Você imaginaria que seu corpo poderia ficar pior numa próxima gravidez ?! ??
Nunca não é verdade ?!
E muitas que percebem seu corpo alterado ainda cometem o pior erro de todos … pensam … “Ah eu engravido de novo e depois arrumo tudo numa plástica!”
.
Se você é uma das que pensa assim vou te alertar !! JAMAIS, vou repetir , JAMAIS cometa esse erro.

Vou listar abaixo o que pode acontecer com seu corpo :

 

1. DIÁSTASE

A diástase irá aumentar. Mesmo que você ainda não a tenha percebido, ou também você tinha ficado com uma muito pequena da gravidez anterior, ela poderá aumentar justamente porque toda a região está fraca e instável.

Há grande queixa das minhas seguidoras e alunas que só perceberam a diástase na segunda gravidez, mas na verdade toda a região já estava suscetível ou ela já estava aí e apenas você não tenha percebido.

….

 

2. PELE FLÁCIDA

Sua pele poderá ficar mais flácida e sobrará mais pele.
Sabe aquela pele sobrando ?! Como seus músculos estão fracos e não fazem mais o suporte, a sustentação pra pele, ela será mais alongada ainda e esse desgaste a deixará mais flácida e com mais sobra. Então o momento de conter isso é antes da gravidez, fazendo seus músculos se recuperarem e serem o novo suporte para a próxima gravidez. Sabe aquela frase comum … “na segunda gravidez a barriga aparece mais rápido . Parte disso acontece por que esses músculos estão fracos.

 

Segunda gravidez – flacidez na barriga

3. ESTRIAS

Estrias – a estria aparece quando a pele é muito alongada. Então a flacidez irá contribuir para elas aparecerem ou “piorarem” nessa segunda gravidez.

Lembro que os tratamentos para a pele são os mais caros e a pele a que menos se vê efeitos. Então entenda o que estou falando com muito carinho por que sua auto estima poderá ser muito abalada.
Lido todos os dias com mulheres que ao se depararem com a realidade do seu corpo, não conseguem se aceitar. E isso acontece por uma “simples falta de conhecimento, falta de saber o que e como fazer”. E eu posso te ajudar !!

….

 

4. ESCAPES DE XIXI

Escapes e perdas de xixi.

Quem sustenta e controla o xixi, é o seu períneo. O períneo quase nunca se recupera sem exercícios depois da gravidez. Faça o teste! Tente manter por 30 segundos esses músculos contraídos. Contraia como se fosse segurar para não fazer xixi. Quanto menos tempo conseguir fazer isso, mais fracos eles estarão.
Qual o risco na próxima gravidez? Por que isso é importante?
Quando esses músculos não sustentam bexiga e útero há 2 riscos – aumentar os escapes e você ter uma queda de órgãos – chamado de prolapso.

 

Prolapso do útero

 

5. POSTURA

Sua postura numa segunda gravidez irá piorar e você ter problemas na coluna ou hérnias de disco
Sua postura não só é alterada na gravidez, mas ela continua piorando com os movimentos repetitivos de cuidados com o bebê. Imagine então o que acontecerá na próxima gravidez. Essas sequelas se somam. Muitas mulheres ficam com dores nas costas, dores no quadril, dores nas pernas, pioram uma escoliose. E isso tudo acontece por 3 razões :

Razão 1. Sua postura não foi trabalhada para voltar, então ela irá piorar.
Razão 2. Sua barriga está solta e fraca, então ela não ajudará na volta da postura
Razão 3. Seu períneo está fraco e não sustenta todo o seu corpo e postura.
Cada um desses pontos “PRECISA” ser recuperado antes da próxima gravidez. E esse é o motivo desse artigo !
Te dar o caminho!

….

SEGUNDA GRAVIDEZ – ASSISTA O VÍDEO QUE PREPAREI – CANAL DO YOUTUBE!

….

No vídeo que gravei para o meu canal do YouTube eu explico também com mais detalhes como se preparar para a segunda gravidez e como reverter essa situação da piora do seu corpo e barriga. Assista que vale a pena!

 

E por isso comecei esse artigo dizendo que você precisa agir agora!

As mulheres não sabem disso e por isso ficam tão infeliz com seus corpos.

Então se você quer mudar isso agora e nem correr o risco de ter tudo piorado na próxima gravidez,  eu posso te ajudar com meu programa Pós-parto – Mães em Forma poderá te ajudar. Clique no botão e baixe meu e-book gratuito para saber se tem diástase … na sequência do cadastro você será transferida para a página de apresentação do programa. Lá você encontra todas as informações e apresentação para aderir !!

.

.

PS 1 e 2.

1. Preparei um artigo também completando as explicações do por que a barriga aparece mais rápido e se isso tem como ser contido – clique aqui !!

 

2. Se você está grávida, está lendo esse artigo e pensando … então sou um caso perdido. Clique aqui que tem um artigo explicando o que você precisa fazer e como eu posso te ajudar. Nem tudo está perdido mas é importante você agir agora.

O exercício pode prejudicar a amamentação?

A amamentação pode ser prejudicada pelo exercício?

Uma das maiores dúvidas, principalmente das mamães de primeira viagem é saber “se” e “como” podem voltar a prática de exercícios sem prejudicar a amamentação.

A resposta a pergunta inicial é SIM … o exercício mal orientado PODE prejudicar a amamentação. Então é importante entender que os exercícios praticados tem que seguir algumas regras para não atrapalhar a amamentação.

A orientação é que o programa de exercícios seja especializado para esse momento.

Como deve ser a volta aos treinos?

Você NÃO deve voltar a uma rotina de treinos tradicional.

Temos o grupo de mamães que tem esse medo, do leite secar, diminuir ou atrapalhar a sua produção ou quantidade (volume do leite), mas também temos o grupo daquelas que voltam e depois tem alguma mudança e acabam decidindo parar o exercício por não saberem o que fazer.

Como especialista quando elaborei meu programa ou quando oriento alguma mamãe, essa é a primeira coisa que penso e e me preocupo. Por isso não só a intensidade do programa é controlada mas também a duração dele principalmente nos aeróbicos.

Ainda nessa questão tempo … nessa linha não adianta buscar esses programas rápidos (por achar que então pouco tempo é melhor), mas por eles serem HIITs, são intensos … percebe?!

“A relação deve ser tempo e intensidade”.


Um detalhe importante que quero ressaltar e que poucos dão importância é que …

“Não só o exercício inadequado pode prejudicar a amamentação, MAS TAMBÉM O CORPO DA MULHER. QUALQUER EXERCÍCIO ORIENTADO DE FORMA INCORRETA pode prejudicar a amamentação e provocar lesões.”

O retorno sempre deve ser gradativo!

 

Alterações do Corpo – risco de lesão

Durante a gravidez ocorreram muitas alterações no seu corpo e então o retorno gradual ao exercício deve ser essencial para readaptar o corpo, recuperar a força dos músculos da barriga, postura e também o períneo.

Diante desse quadro, voltemos a nossa questão. O programa deve dosar o exercício numa intensidade e tempos adequados para que toda a fisiologia do corpo da mulher não interfira na produção de leite.

A produção de leite consome muita energia. Uma mãe em fase de amamentação produz entre 800 e 1200 ml de leite por dia e, para cada litro de leite que a mãe produz, há um gasto entre 500 e 700 (pode ser maior para algumas) calorias em média.

Portanto se o “exercício for intenso ou por tempo prolongado – principalmente o aeróbico” e a mulher tiver uma alimentação inadequada, poderá prejudicar a amamentação, pelo alto gasto energético que ocorre nesse período. Além do exercício e da alimentação inadequada, a HIDRATAÇÃO também será fundamental. Uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação. Claro! Vamos entender?!

“Leite é água e se você estiver desidratada pelo exercício ou por não beber a quantidade adequada de água, terá seu leite reduzido”!

Como comentei anteriormente um ponto importante e que pode interferir é a própria intensidade do exercício !

 

Pesquisas sobre exercício e amamentação – o que dizem?

As pesquisas relacionadas a amamentação e exercício observam um aumento de ácido lático no leite materno. Esse aumento relaciona-se proporcionalmente com a intensidade do exercício, isto é, quanto mais intenso mais ácido lático no leite. A grande discussão dos estudos era descobrir se esse ácido lático poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do bebê ao leite após o exercício pela mudança no sabor deste.

E alguns autores observaram SIM essa resposta!

Esses estudos e autores mostraram haver uma diferença na aceitação do leite pelo bebê em mães que realizaram “exercício máximo”, isto é, INTENSO, sendo o mesmo associado ao aumento da concentração de ácido lático.

“Porém deixo claro que os estudos com exercícios nas intensidades adequadas NÃO mostraram efeitos NEGATIVOS sobre a amamentação”.

  • Então concluindo:

Quando você treina, seu corpo produz ácido lático e dessa forma esse ácido poderia modificar o sabor do leite, fazendo com que o bebê rejeite o “peito”. Portanto se o bebê não mama, seu corpo não tem estímulo para produzir mais leite. A produção de leite ocorre por esse estímulo do bebê mamando. Ele não mamando, não há mais produção, o leite realmente pode “secar”, ou melhor, deixar de ser produzido.

(Imagem do site – Baby Center)

Exercícios bem orientados têm esse efeito que pode ser negativo?

Não !

 

O QUE OS ESTUDOS DIZEM SOBRE AMAMENTAÇÃO E EXERCÍCIO?

Um estudo de revisão dos autores Cary & Quinn (2001) concluíram que nos estudos até a data analisada, o exercício e amamentação eram atividades compatíveis, não mostrando efeito prejudicial do exercício durante a lactação – não afetando a composição, o volume do leite, o crescimento e desenvolvimento infantil, ou a saúde materna. O exercício também teria um efeito muito importante na melhora da condição física – principalmente a cardíaca – materna, na sensação de bem-estar e disposição quando compararam lactantes ativas com mulheres sedentárias (mães ativas que amamentam X mães sedentárias que amamentam).

 

  • Como voltar ao exercício?

O correto é que você volte a prática de exercícios com um programa especializado – CLIQUE AQUI PARA CONHECER – que seja adequado nessa intensidade, duração e que também “prepare seu corpo para a volta gradativa das suas antigas atividade e intensidades”, respeitando os limites de recuperação do corpo … por ex: a barriga (core), postura e o períneo.

A sessão de treino deve ter intensidade adequada para não ultrapassar limites fisiológicos (formando muito ácido lático) e correr o risco de comprometer a amamentação, e também pelo exercício intenso ou prolongado  poder comprometer suas articulações soltas e ainda com os efeitos hormonais.

<< Clique aqui e conheça o programa Mães em Forma – especializado do pós-parto até anos depois da gravidez >>

 

  • Outros cuidados importantes para amamentação – cuidado com as mamas:

As mamas durante a gravidez ficam maiores e mais pesadas e se mantém assim durante toda a fase de amamentação.

Principalmente mulheres ativas ou atletas que forem realizar atividades de impacto, como corrida, certifique-se que as mamas estejam firmes. Coloque dois tops ou um suporte mais adequado se necessário.

Além disso, você pode programar os exercícios depois da amamentação, pois assim estará com as mamas mais vazias. Treinar com elas cheias fica desconfortável.

 

Referências Bibliográficas sobre o tema:

Wallace, JP, Rabin, J. Int J Sp Med. 12 (3) :328-31, 1991. The concentration of lactic acid in breast milk following maximal exercise. Int J Sports Med. 12(3):328-31, 1991.

Wallace, JP, Inbar, G, Ernsthausen, K. Infant acceptance of postexercise breast milk. Pediatrics.89(6 Pt 2): 1245-7, 1992.

Gale B. Carey, Timothy J. Quinn, Susan E. Goodwin. Breast milk composition after exercise of different intensities. J Hum Lact. 13(2): 115-20, 1997.

Quinn, TJ, Carey, GB. Does exercise intensity or diet influence lactic accumulation in breast milk?Med Sci Sp Exerc. 31(1):105-10, 1999.

Cary GB, Quinn TJ. Exercise and lactation: are they compatible? Can Appl Physiol. 26(1):55-75, 2001.

Wright KS, Quinn TJ, Carey GB. Infant acceptance of breast milk after maternal exercise. Pediatrics. 109(4):585-9, 2002.

Su, D, Zhao, Y, Binns, C, Scott, J, Oddy, W. Breast-feeding mothers can exercise: results of a cohort study. Public Health Nutrition. 10(10):1089-1093, 2007.

Emagrecimento Pós Gravidez

O Emagrecimento após gravidez tem etapas importantes para ser conquistado, no entanto deve respeitar alguns pontos importantes.

 

EMAGRECIMENTO X AMAMENTAÇÃO X EXERCÍCIO

O exercício ou uma alimentação conduzidos para o emagrecimento devem respeitar em primeiro lugar a amamentação, juntamente com todas as alterações que ocorreram no seu corpo durante a gravidez.

Todas nós sabemos o quanto fazer exercícios é bom para a saúde. Sabemos que o exercício tem benefícios para todo o organismo.

Também do lado da alimentação deve existir um cuidado importante, afinal o que você come será a qualidade ou não do seu leite. O leite é produzido a partir da sua ingestão de alimentos. E por isso uma alimentação saudável é essencial.

O emagrecimento promove uma melhora da sua auto-estima e o exercício também de forma indireta e por ações fisiológicas-hormonais também. Então além dos benefícios sobre o corpo, um dos que acho mais fantásticos é essa melhora da auto-estima.

Como o exercício faz bem nesse ponto! É praticamente automático quando você começa a ver os resultados.

Vejo isso todos os dias nas minhas alunas isso acontecendo.

 

Muitas pessoas acham que para entrar e voltar a forma precisa de grandes sacrifícios, mas isso não é verdade!

Você precisa apenas das informações certas para seguir saudável e do programa especializado que te conduza em segurança para cuidar da volta da sua barriga e do seu corpo.

“Eu gravei esse vídeo para o meu canal do YouTube onde compartilho 3 motivos pelos quais seu corpo não volta e você não emagrece.”

Assista e entenda como é possível …

3 COISAS QUE TE IMPEDEM DE EMAGRECER DEPOIS DA GRAVIDEZ

 

Tenho também uma outra dica para você ter um emagrecimento saudável e seguro:

 

  • Dica 1. Programa de exercícios especializados

O programa Pós-parto – Mães em Forma poderá te ajudar com todos os passos e exercícios especializados para seu emagrecimento e a volta do seu corpo.

O programa tem circuitos especializados que são verdadeiros “QUEIMADORES DE GORDURA” e te ajudarão nesse emagrecimento. Além disso o programa tem séries especiais para a volta da sua barriga e recuperação da diástase.

A diástase é uma sequela comum que é muito confundida inclusive com gordura localizada.

Muitas das minhas alunas gastaram muito $$$$$ com vários tipos de tratamentos para queimar a gordura localizada e melhorar a flacidez da barriga, mas a verdade é que sua barriga fica assim por causa da fraqueza muscular extrema e da diástase. E NENHUM DESSES TRATAMENTOS PRA GORDURA MELHORAM A DIÁSTASE … resumindo … você joga dinheiro fora.

Então dá uma olhada no que preparei pra você nesse programa incrível !!

Clique no botão abaixo e saiba mais sobre o programa!

 

 

Tipos de Barriga X Tipos de Diástase

Que tipo de barriga ficou depois da gravidez? Será que tem relação com a localização da diástase abdominal que fica após o parto?

A resposta é simples … SIMMMM!

O tipo de barriga tem tudo a ver com a diástase e localização dela.

E é isso que vou explicar nesse post.

Muitas seguidoras relatam queixas específicas sobre sua barriga, por exemplo, minha barriga ficou toda caída, pele sobrando; ficou como uma pochete, uma bola pra baixo do umbigo; fiquei com o estômago alto, super inchado e qualquer coisa que eu como ela estufa e demora horas pra diminuir e aí já está na hora de comer de novo; fiquei com hérnia e meu umbigo ficou horrível, !!! E etc, etc, etc. São muitos relatos em todos esses anos de atendimento.

Então resolvi explicar e colocar nesse artigo e assim você pode localizar e entender sua diástase aplicando o auto exame – teste da diástase (faça o teste – clique aqui para baixar o e-book gratuito para aprender). Ao aplicar você verá o tipo e localização dela. Ao final do artigo falarei sobre os passos e caminhos pra melhorar independente do tipo de barriga que tenha ficado.

BARRIGA POCHETE

Essa barriga é aquela que fica uma flacidez muito grande pra baixo da região do umbigo (exatamente onde se coloca a pochete e por isso esse nome) e ao aplicar o auto exame é possível ver que a diástase é nessa região baixa. A boa notícia é que essa é a que tende a recuperar mais rápido, mas precisa de alguns cuidados.

Porém é importante entender a grande relação desse tipo de diástase com sua postura da coluna e do quadril.

O períneo está muito debilitado e fraco nessa barriga e ele será fundamental no processo de recuperação desse tipo de diástase. Para isso o programa de recuperação deve direcionar exercícios específicos para esse grupo de músculos.

Há grande importância no processo de recuperação  ????? (clique aqui se não souber como está sua diástase)

BARRIGA AVENTAL E CAÍDA

A barriga avental está ligada à 2 tipos de Diástases … a localizada na parte baixa e a diástase que pega toda o tecido abrangendo da a região da barriga. Ao realizar o teste, você pode sentir desde cima (nas costelas) até a parte pra baixo do umbigo. Também é uma característica em barrigas muito fracas não conseguir aplicar o teste por causa da flacidez que existe.

Essa diástase também pode estar associada ao excesso de peso, no entanto na maioria dos casos não é gordura que dá esse aspecto de avental e sim o alongamento residual severo e a flacidez muscular – provocando esse efeito de queda da musculatura.

Essa barriga caída vem do grande alongamento dos músculos abdominais … fraqueza enorme dos músculos abdominais e posturais e também da diástase. Também tem alteração postural e períneo fraco.

Então pela grande debilidade da região essa queda simula muito a gordura !

O mais comum então nesses casos é a indicação de tratamentos estéticos que combatem a gordura, mas esse também é o MAIOR ERRO por que não irão melhorar nada da parte muscular. Se houver gordura ela será reduzida, mas o aspecto de avental irá continuar.

Então é onde mais a mulher gasta dinheiro! Com tratamentos que não irão resolver a diástase e a parte muscular.

Por isso não perca tem com a criolipólise ou outros tratamentos. Deixe para fazer se necessário depois da recuperação da musculatura. Isso te ajudará a poupar dinheiro.

Analise comigo … em qual das etapas da foto dessa aluna, você gastaria menos dinheiro com tratamentos? Concorda que no começo irão ser incluídos mais tratamentos, além do tempo e número de sessões.  Muitas mulheres acham que é caro cuidar com exercícios, mas gastam uma fortuna em tratamentos que não irão resolver. Esse é exatamente o caso dessa aluna. Ela tentou vários tipos de tratamentos além de exercícios que prometiam devolver a barriga.

“Quase fui a falência com tantos tratamentos que não resolveram nada da minha insatisfação com minha barriga avental”.

UMBIGO PARA FORA – COM OU SEM HÉRNIA UMBILICAL

Esse tipo de barriga está ligada a diástase na parte central – na região do umbigo.

Exercícios inadequados e o excesso de peso podem ajudar a desenvolver esse tipo de sintoma. Isso por que o peso deixa a barriga grande e isso fragiliza toda a região. Ela também está bem ligada à postura. Uma postura muito alterada é piorada com as próprias mudanças da gravidez e isso também deixa a barriga maior.

Recuperar a estabilidade postural, a força abdominal e reduzir e reverter a diástase será essencial para a melhora da região.

Inclusive é nessa região que a diástase é mais aberta e mais profunda … é por isso é a mais difícil de fechar, MAS ISSO NÃO SIGNIFICA QUE VOCÊ NÃO TERÁ SUA BARRIGA DE VOLTA. Justamente por que meu programa estabiliza todos os pontos que deixam essa região aberta.

Há melhora da hérnia e da estética do umbigo.

Da mesma forma que as outras barrigas, NÃO gaste dinheiro com tratamentos. Nem para a gordura e nem outros. Eles não resolverão uma diástase assim.

Então desde a gravidez é importante saber “o que” e “como fazer” para evitar essa diástase!! ?

ESTÔMAGO ALTO E ESTUFADO

Você ficou com o estômago alto depois da gravidez? Aquela barriga alta em cima e as costelas muito abertas? Esse tipo de barriga, as alunas reclamam que mesmo comendo pouco parece que comeram uma melancia.

Esse tipo de barriga é característica de uma diástase mais superior … pra cima do umbigo.

Da mesma forma que os tipos anteriores, essa também pode ser melhorada com exercícios posturais e especializados.

E da mesma forma que as anteriores, exercícios errados vão agravar o quadro.

Os exercícios devem ser bem direcionados ao fechamento das costelas, parte importante do processo e exatamente por essa característica é que várias alunas chegam depois de meses de treinamento, personal, academia sem conseguir sucesso de melhora. E por isso que não é qualquer exercício e método que trará melhora e resultados.

Por isso o olhar do meu programa é sempre de recuperação e reorganização do corpo!

Não existe melhora da diástase sem esse olhar de recuperação!

Então Borá acabar com esse estômago alto ?????

COMO MELHORAR A DIÁSTASE E A BARRIGA INDEPENDENTE DO CASO?

No longo trajeto atendendo gestantes e mamães e estudando esse fenômeno da diástase percebi que muitos exercícios eram pura perda de tempo e também frustrantes por que não melhoravam o que precisava ser melhorado.

Foram muitos e muitos exercícios testados.

Exercícios isolados também não funcionam! É necessário um passo a passo que trabalhe com cada alteração do corpo da mulher.

Independente do tipo de barriga e localização da diástase que você encontrou, para recuperar é importante existir a aplicação de exercícios  direcionados para cada área do corpo que precisa ser recuperada – barriga – postura – quadril.

Não existe melhora da diástase sem esse tripé de exercícios! E é necessária uma organização e evolução entre eles.

Também recebo muitas alunas de diversos métodos … todas frustradas pelo tempo perdido sem ver melhora ou quando veem é pouco. E em muitos e muitos casos há a piora da estética da barriga. Estou fazendo um reality com a Carol Castelo Branco no meu canal do YouTube sobre esse tema – clique aqui para ver.

E nas diversas modalidades existem exercícios que trabalham contra aquilo que precisa ser recuperado no seu corpo e isso é o caso de modalidades/métodos como LPF ou exercícios hipopressivos, vários e vários exercícios do crossfit, do LPO e até do Pilates e da musculação tradicional …?

? Deixo um alerta para o CrossFit e LPO também – agachamento e abdominais usados nessas modalidades (e também na musculação) irão piorar. Aliás desde a gravidez essas modalidades favorecem o aparecimento da diástase e principalmente da região do umbigo. As que vem dessas modalidades são largas e profundas.

PROGRAMA ONLINE PÓS-PARTO EM FORMA

Diante de todos esses estudos e anos de experiência reuni exercícios eficazes e consistentes num programa completo para melhora de todos esses tipos de diástase.

Se você deseja dar esse passo e ter os mesmos resultados que essas alunas – clique no botão abaixo ??

Flacidez da Barriga depois da Gravidez

FLACIDEZ DA BARRIGA DEPOIS DA GRAVIDEZ – Por Gizele Monteiro – Personal das mamães

 

A flacidez da barriga depois da gravidez e também a diástase são o terror que atingem a mulher logo que ela dá a luz.

Muitas mulheres não conseguem olhar para sua barriga sem chorar ou ficarem desesperadas por acreditarem que nunca mais terão sua barriga de volta. Esperançosas aguardam os meses para que essa situação seja resolvida.

Infelizmente muitas não sabem o caminho e frustradas com o passar do tempo, acham que a flacidez e a diástase só serão resolvidas com uma abdominoplastia cara.

A diástase é uma das principais causas da flacidez da barriga depois da gravidez e poucas mulheres ainda conhecem esse problema.

Infelizmente essa é uma verdade também para profissionais que desconhecem não só os efeitos da gravidez sobre o corpo da mulher, bem como também não sabem lidar com essas sequelas.

 

A diástase deixa a barriga da mulher “com aquele aspecto de ainda estar grávida de 3 ou 4 meses”.

 

1. FLACIDEZ OU GORDURA?

Muitas acham e confundem essa barriga estufada com gordura, mas nem sempre é gordura.

Aflitas se entregam a vários tratamentos tentando uma recuperação. Mas tratamentos estéticos com cremes ou para redução de gordura não agem na recuperação de uma diástase.

 

2. PORQUE A BARRIGA NÃO VOLTA?

A diástase abdominal é uma das causas para a barriga não voltar. A diástase também é uma das responsáveis pela flacidez da barriga depois da gravidez! Vamos entender então o que é a diástase.

A diástase é a separação natural que acontece dos músculos reto abdominais durante a gravidez. Há um grande afastamento na região central da barriga.

Em algumas mulheres essa separação acontece de forma alterada – ou essa separação é muito grande, dificultando a volta, ou há um rompimento do tecido conjuntivo que une os 2 reto abdominais.

Independente do caso, a estética e a funcionalidade do corpo ficam comprometidas, deixando a barriga com aspecto flácido, e estufado.

 

Diástases – tipos e localizações

 

É possível descobrir e identificar a diástase através de um teste simples – acesse o site e receba de presente (grátis) meu e-book “Como ter a barriga reta depois da gravidez”. Nele explico como fazer o teste da diástase.

 

 

Acesse o site e cadastre-se para receber o e-book gratuito – Acessar Agora.

 

  • ALERTA 1!

É muito importante entender que a diástase vai muito além da estética.

Músculos da barriga fragilizados e fracos não fazem a função de estabilizar e sustentar o tronco, deixando a coluna totalmente instável, levando a má postura e dor.

Essa falta de força abdominal ainda favorece o aparecimento de incontinência urinária podendo haver queda dos seus órgãos.

Os músculos abdominais funcionam como uma parede de contenção para os seus órgãos.

 

3. O QUE FAZER PARA MELHORAR MINHA BARRIGA?

Antes de voltar a praticar qualquer exercício é necessário fazer uma avaliação da diástase. Após isso, iniciar com exercícios específicos para a recuperação da barriga e da diástase, seja ela com ou sem rompimento.

Isso irá equilibrar a funcionalidade da região para você fazer exercícios e tarefas mais complexas e que exijam mais do seu corpo.

É importante entender que não são os abdominais comuns que farão a diástase fechar ou a musculatura abdominal voltar e reduzir o “estufamento”.

Muitas mamães me pedem indicação do exercício para melhorar a flacidez da barriga e/ou a diástase, mas é importante que eu saliente que NÃO acredito em apenas 1 exercício para essa melhora. Acredito em um programa completo que tenha um passo a passo para recuperar a força, a função e o reposicionamento desses músculos.

 

“A diástase tem que ser revertida gradativamente com vários exercícios abdominais especializados (não é o abdominal tradicional) + exercícios funcionais e posturais + exercícios para a o assoalho pélvico.”

 

Essa regra encontra-se no programa Pós-parto em Forma. Essa é forma que acredito e que minhas alunas tem melhorado a flacidez da barriga, mesmo depois de anos da gravidez e também recuperado da diástase  suas barrigas com o programa Pós-parto- Mães em Forma.

4. RESULTADOS DE UM PROGRAMA ESPECIALIZADO PARA A FLACIDEZ DA BARRIGA DEPOIS DA GRAVIDEZ

Veja vários resultados da volta da barriga e do corpo com o programa Pós-parto – Mães em Forma!

 

 

Resultados Programa Pós-parto – Mães em Forma by Gizele Monteiro

 

O que é necessário para melhorar a flacidez da barriga e a diástase?

Um programa correto que reorganize o seu corpo, a partir da barriga e de todas as alterações que ocorreram durante a gravidez. Costumo dizer que é necessário fazer o caminho inverso das alterações gestacionais.

Se você quer conhecer e participar desse programa especializado, clique no botão abaixo.

 

5. EXERCÍCIOS QUE DEVEM SER EVITADOS PARA QUE SUA BARRIGA NÃO PIORE

-> Evite exercícios com impacto – saltos, saltitos como corrida ou pular corda.

A região abdominal e pélvica não estável para suportar impacto. Por mais treinada que você seja é necessário realizar a recuperação – prudência e cuidado e tudo!

-> exercícios que “promovam mais alongamento dos músculos abdominais” – seja um alongamento simples da academia ou alguns movimentos do yoga, treinamento funcional, musculação ou crossfit.

Os exercícios que alongam os músculos abdominais aumentarão a instabilidade e pode aumentar a diástase e piorar a flacidez abdominal pós gravidez

-> agachamentos profundos aumentam a pressão na região pélvica, por isso só execute-os após recuperação completa abdominais e assoalho pélvico.

-> avanço força o quadril que ainda está estável e exige muito controle da sua musculatura abdominal. Use o afundo no lugar dele.

 

Exatamente por causa desses cuidados e seleção de exercícios é que um programa especializado é diferente. Tudo o que você está acostumada a ver em academias ou com personais difere desse conceito.

Como personal gestante e coach de mamães, criei esse programa especializado que oferece resultados incríveis, como você viu no meu time de mães em forma.

Acesse o site e conheça mais sobre esse programa … << Clique aqui para conhecer mais >>

 

Me siga nas redes sociais:

Instagram – @gizelemonteiro

Facebook – @pospartoemforma

You Tube – Canal Gizele Monteiro

 

 

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez – Por Gizele Monteiro – Coach de Mamães

 

As “5 perguntas que as mamães mais me fazem no pós-parto”

Como Personal gestante – Coach de mamães, tenho sempre que esclarecer muitas dúvidas.

Sempre existem perguntas pelas redes sociais, e-mail, blog, YouTube …

Separei as 5 perguntas mais comuns que vocês me fazem.

 

Dúvidas comuns depois da gravidez

 

Pergunta 1. Estou amamentando e engordando! O que eu faço?!!

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Dúvida muito comum mesmo e acontece com grande parte das mamães, o que faz bater aquele desespero.

Bom, a primeira coisa a entender é que a amamentação é uma forte aliada à volta do peso – emagrecimento – e no gasto calórico. Ela gasta muitas calorias!!

Se você está amamentando e não está emagrecendo ou até mesmo (o pior) … está engordando … é porque está se alimentando de forma errada. Entenda que alguma coisa na sua alimentação não está certa.

Então você precisa entender como se alimentar e como é a sua visão de uma alimentação saudável, por isso pare e faça essa análise agora. ANOTE TUDO O QUE VOCÊ ESTÁ COMENDO.

Será que realmente a sua alimentação está saudável e atendendo as necessidades nutricionais suas e do seu bebê?

Com certeza você achará erros e identificando esses erros você verá que irá voltar ao seu peso.

Vou citar alguns aqui que constantemente vejo em minhas alunas e consultorias que realizo:

  • beber refrigerantes,
  • comer muitos doces e pães,
  • beliscar ao longo do dia
  • ficar muito tempo sem comer e quando vai comer, enche o prato
  • comer demais porque tem “fome” por causa da amamentação

Aliás “essa fome” merece um destaque.

“Algumas mamães se queixam que ficam com uma fome insuportável depois de amamentar. De fato isso pode acontecer, mas cabe a você então comer adequadamente. O que acontece é que a maioria se entope de besteira ou bate o maior pratão de pedreiro … alimentos que não são nada saudáveis ou uma quantidade muito acima do que você precisa. E uma coisa também fica clara quando vejo mamães que não sentem essa fome avassaladora … normalmente elas comem adequadamente e não ficam longos períodos sem comer, são mais disciplinadas em observar seus horários de se alimentar. Tenho mamães inclusive que ingerem alimentos enquanto amamentam … frutas secas, oleaginosas, um suco, uma fruta. Então você pode perceber que a “disciplina é fundamental nessa fase”.

A segunda coisa importante é ser ativa, isto é, incluir uma rotina de exercícios no seu dia, nem que seja em casa. O exercício ajudará não só na volta do peso, mas também a equilibrar o que você está ingerindo. O exercício também aliviará na ansiedade de estar dentro de casa – “trancada” – que normalmente te faz descontar na comida. Esse equilíbrio te ajudará também a se sentir mais bonita e de bem com seu corpo.

.

Pergunta 2. Posso fazer dieta amamentando?

Dietas restritivas – radicais, da moda, ou com baixo aporte calórico não são indicadas após a gravidez. Até mesmo porque você tem uma necessidade aumentada justamente por causa da amamentação. Então se você está se alimentando de forma saudável, o peso naturalmente voltaria ao que você tinha. Se isso não está acontecendo, meu conselho é procurar uma nutricionista para ajustar sua alimentação. Sua “dieta” será uma alimentação saudável e adequada para a sua fase. Eeee lembre-se seja ativa, faça exercícios.

.

Dúvidas Comuns das mamães depois da gravidez

Pergunta 3. Para voltar ao meu corpo é só amamentar??!!

Em uma postagem recente que fiz, vi várias mães comentando … para voltar ao corpo basta amamentar.

Bom minha resposta é clara e objetiva … NÃO … NÃO BASTA!

Amamentar ajuda na sua volta do “PESO”  e não do seu “CORPO”.

Volta do peso e Volta do corpo são coisas completamente diferentes!!!

Tanto que atendo várias mamães com meu programa para a volta da barriga, que estão magras, mas suas barrigas estão como se tivessem grávidas de 3-4 meses … algumas até de 6 (conforme comentam rsrsrs).

A volta do corpo envolve um conceito muito maior, pois é a volta de todo o seu corpo … barriga, bumbum, postura, prevenção de dores, assoalho pélvico. Por isso meu projeto é um programa completo … o programa Pós-parto – Mães em Forma faz a volta e recuperação completa do seu corpo.

Pode ser que você até fique feliz com o que está fazendo, mas não significa que seu corpo tenha voltado totalmente.

.

Pergunta 4. Estou amamentando, posso fazer exercícios? O exercício não prejudica a amamentação?

Sim, pode fazer exercícios se você está amamentando!

Esse medo, é bem comum, mas adianto que um programa especializado e que atenda realmente as suas necessidades não comprometerá em nada a amamentação. A intensidade e o volume da atividade associado a hidratação adequada garantem que você mantenha a amamentação durante o período que desejar e fluir conforme o seu corpo.

Há muitos anos atendo mamães nos mais diferentes perfis e o exercício do meu programa nunca interferiu na amamentação, por isso se você ouviu ou tem outra experiência, algum erro aconteceu.

.

Pergunta 5. Depois de quanto tempo do meu parto eu posso fazer exercícios?

Hoje tem mudado muito o tempo de liberação dos médicos para que a mamãe volte ou inicie os exercícios.

Atendo mulheres que em 30 dias pós-cesárea já estão liberadas pelos seus médicos para voltarem para atividades leves como caminhada ou exercícios posturais ou braços.

Mas o comum ainda entre os médicos é:

30-40 dias para parto normal e 40-60 dias para cesárea.

Só fique em alerta que mesmo que seu médico libere para a prática, essa deve ser adaptada para as novas condições do seu corpo.

Você não deve voltar a fazer os mesmos exercícios de antes da gravidez. Seu corpo agora é outro, tem outras necessidades, está totalmente instável. Como um treino de uma mulher que não estava grávida pode te ajudar? Não irá!

Inclusive pego casos seríssimos de diástases pioradas com os treinos de pilates e musculação. Isso acontece porque um profissional sem um olhar de especialista não consegue entender a nova necessidade do seu corpo e nem como recuperá-lo. Seria a mesma coisa que você procurar um clínico geral para ver sua lesão de joelho.

O programa ideal, começa a recuperar seu corpo a partir da barriga, iniciando pela avaliação da diástase.

Você já viu se tem diástase?

Se você não sabe se tem a diástase, pode fazer o teste com meu e-book gratuito. Basta clicar no botão abaixo e se cadastrar para que eu possa te enviar.

E se você deseja ter um programa que te ajude nesse passo a passo para ter seu corpo de volta … Conheça o Pós-parto – Mães em Forma!

Clique no Link e seja direcionada para o programa que deixará seu corpo e sua barriga incrível!

<< QUERO CONHECER O PROGRAMA 

PÓS-PARTO-MÃES EM FORMA >>

Diástase: saúde ou estética – o outro lado

Diástase: saúde ou estética – ou outro lado – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Diástase: saúde ou estética - o outro lado
Diástase – estética ou saúde

Uma das grandes questões que quero abordar nesse post é se a diástase é uma questão apenas de estética ou será que há uma importância para a saúde.

Para isso vou analisar um outro ponto importante sobre a diástase.

É claro que muitas mamães buscam uma solução da diástase por questões estéticas e está tudo bem. É importante também!

 

A diástase tem forte relação com a volta da barriga e a permanência daquela barriga mole e estufada. Essa é a famosa barriga de grávida e ela “afeta muito a auto-estima da mulher”.

 

Mas será que ter uma diástase depois da gravidez, é apenas uma questão estética?

A resposta é muito simples … NÃO!

 

“CUIDAR E MELHORAR A DIÁSTASE NÃO É APENAS UMA QUESTÃO ESTÉTICA.

É UMA QUESTÃO DE SAÚDE DA MULHER.”

 

Já fiz um post aqui no blog explicando o que é diástase e os tipos de diástase que existem.

Se você não sabe o que é diástase, como avaliar e onde ela está localizada, pode baixar meu e-book onde explico e te ensino um auto-exame – basta baixar – << clique aqui >> .

Nesse post vou me concentrar em explicar mais detalhadamente as implicações e o perigo de você ficar por anos com sua barriga solta e estufada e com essa diástase sem tratar.

Uma diástase (seja a funcional ou de ruptura) durante os anos pós gravidez, pode trazer sérias consequências, isso porque uma das funções dos músculos abdominais é a contenção dos órgãos.

Outra função é manter a respiração. Tenho uma amiga que estava tendo apneia do sono porque sua musculatura não estava trabalhando de forma adequada. Os músculos abdominais participam da respiração sabia? E os anos com debilidade podem fazer com que ele perca sua eficiência na respiração e mude também o padrão de outro músculo importante na respiração … o diafragma.

Mas vou abordar outros pontos muito importantes em que uma diástase pode influenciar na sua saúde …

 

1.Problemas posturais e dores nas costas

Uma outra função dos músculos abdominais é dar equilíbrio na sua postura. Na gravidez essa postura é toda alterada por causa do crescimento da barriga. Abdominais e períneo ficam fracos e soltos para dar espaço para alojar seu bebê.

Todo esse desequilíbrio continua depois da gravidez e se não houver um trabalho adequado, você nunca mais recupera esse músculos. Dificilmente eles voltam a sua força naturalmente. Coloque aí uma segunda gravidez, e esse problema será agravado.

Músculos abdominais fragilizados e fracos não fazem a função de estabilizar e sustentar o tronco. Isso deixa toda a coluna e seus músculos instáveis, comprometendo postura e a segurança da sua coluna.

Quando há uma diástase (seja funcional ou de rompimento – veja aqui – clique aqui – artigo que indico), existe mais fraqueza em toda a região abdominal. Então seu corpo não é trazido para a frente, da forma que deveria. Ele permanece lá atrás forçando sua coluna, quadril e discos vertebrais. Esse é um dos fatores de problemas sérios de coluna – como hérnia de disco, bico de papagaio, inflamação do nervo ciático.

 

2. Escapes e perdas de xixi – incontinência urinária

A ocorrência de escapes de xixi quando se está apertada, espirra ou tosse é comum na gravidez, porém deixo claro que não é normal.

Essas ocorrências podem ser amenizadas ou diminuídas com um acompanhamento correto de fisioterapeuta especializada em Obstetrícia.

Após a gravidez também essas ocorrências devem ser acompanhadas e exercícios específicos para o fortalecimento do períneo inseridos.

Sempre que há uma diástase, esse trio – períneo, abdômen e músculos posturais – ficam desequilibrados em sua força e ação de proteção do corpo e coluna.

A falta de força dos músculos da barriga (por causa da diástase e alongamento persistente pelo aumento da barriga) não permitem que os músculos do períneo se recuperem. Com isso permanecem fracos e soltos.

 

Queixas comuns após a gravidez – e que ninguém tem coragem de falar:

 

1-perda da sensibilidade e controle dos músculos do períneo na hora do ato sexual

2-perda involuntária de urina (escapes do xixi) – isso pode acontecer em várias situações de esforço como correr, pular ou quando se está apertada e não consegue se segurar o xixi, ou quando se ouve barulho de água, ou quando se espirra ou tosse, etc

3-existem casos mais tardios de queda da bexiga e órgãos que podem mais tardiamente comprometer a saúde da mulher. A queda de bexiga por exemplo, se torna um quadro cirúrgico

 

“Você sabia ?

A bexiga caída atinge 20% das mulheres com mais de 40 anos”

 

Esse fato traz problemas para a vida sexual, incontinência urinária (perda ou escapes de xixi), dor intensa e piora muito a qualidade de vida.

Justamente o enfraquecimento dos músculos da região pélvica – o assoalho pélvico (períneo), causa o deslocamento de órgãos como o útero, a bexiga, o reto, o intestino delgado e a uretra.

Entendo que a grande maioria das mulheres terá sua primeira gravidez com uma média de idade de 34-35 anos … os 40 anos estão bem próximos. Uma segunda gravidez ficará bem mais próxima a essa idade.

Então nós mulheres precisamos entender e quebrar esse tabu de que cuidar da sua barriga e de uma diástase ou até mesmo fraqueza e estufamento dela se trata apenas de uma questão estética.

Muito mais do que isso … é um caso de saúde e podemos inclusive considerá-lo um caso de saúde pública!

 

Exercícios e a barriga – saúde ou estética:

Antes de voltar à prática de qualquer exercício é necessário fazer a avaliação da diástase e iniciar com exercícios específicos para a recuperação da barriga e da diástase.

Isso irá equilibrar a funcionalidade da região para a execução de exercícios e tarefas mais complexas e exigentes.

Também é importante entender que não são os abdominais comuns que farão a diástase fechar ou a musculatura abdominal voltar e reduzir o “estufamento”.

 

O que fazer então? Exercícios podem ajudar na diástase?

Muitas mamães me pedem indicação de 1 exercício para melhorar a barriga ou a diástase, mas é importante que eu saliente que NÃO acredito em apenas 1 exercício que irá melhorar.

Acredito num programa completo recuperando a força e com um passo a passo reposicionando os músculos e fechando gradativamente a diástase. Diástase não é como emagrecimento, é necessário restaurar os tecidos.

A diástase deve ser revertida gradativamente com exercícios abdominais especializados + exercícios funcionais + posturais + exercícios para o períneo.

E se você quer entender como cuidar de cada ponto que mencionei nesse post, pode ter esses passos e exercícios especializados

O programa Pós-parto em forma foi elaborado para:

  • melhorar casos de diástase sem ter que passar por uma cirurgia cara e complicada
  • melhorar o períneo de muitas alunas que chegam com queixas de perdas urinárias
  • melhorar o bem estar por reposicionar os órgãos no seu corpo trazendo a tensão adequada da sua barriga
  • melhorar a postura e aliviar quadros de dores e incômodos
  • eeee melhorar a auto-estima

 

Esses resultados tem alcançado centenas de mamães que tem passado pelo programa Pós-parto – Mães em Forma

 

PARA SABER MAIS …

Você pode se cadastrar no site para ganhar de presente meu e-book “Como ter a barriga reta depois da gravidez”. Nele ensino o teste da diástase e também falo sobre a volta da barriga e da diástase.

 

Clique no botão abaixo e cadastre-se que te envio esse meu e-book de presente!

 

 

Compartilhe esse post com quem você sabe que precisa !!!

Além desse blog você pode me seguir em minhas redes sociais ou pelo meu canal no YouTube

  • Canal Gizele Monteiro
  • @gizelemonteiro (instagram)
  • gravidez em forma e mães em forma – Fan page no Facebook.

O que fazer e quanto custa tratar a barriga após a gravidez?

O que fazer e Quanto custa para tratar a barriga após a gravidez? Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de Mamães

 

Figura 1. Flacidez de pele após a gravidez

 

Estou fazendo esse post com 2 objetivos …

(1) o primeiro deles é mostrar para você gravidinha que cuidar do peso e do corpo na gravidez é o melhor e mais barato caminho. Evitar que sua barriga fique flácida é o caminho mais barato … tanto do ponto de vista financeiro ($$$$$$$) quanto do ponto de vista emocional (pode ter certeza … sua auto-estima ficará complicada ao ver  as sequelas de uma pele flácida, barriga após a gravidez mole e estufada e ficar pensando … será que ela voltará? A realidade CHOCA!

(2) para você que é mamãe  – saber com o que pode contar para a volta da barriga após a gravidez. Muitos médicos só lhe darão como solução a cirurgia, mas acredite … há outras formas. Quero mostrar que existe uma luz no fim do túnel, mesmo que você tenha diástase e essa será a forma mais econômica. OS EXERCÍCIOS aliados a rotina com alimentação saudável são poderosos. Se você tiver disponibilidade financeira aí pode partir para completar com outros tratamentos, mas se não tiver, é possível você ter um resultado incrível com exercícios simples e especializados.

 

Então esse artigo irá  …

  • te explicará o porquê sua barriga está assim
  • e o que você pode fazer para melhorar
  • os benefícios de um programa especializado

A pele em excesso que fica depois do parto, acontece porque durante a gravidez ela foi extremamente esticada para que a barriga – útero e bebê – pudesse crescer.

Quanto maior ficou sua barriga na gravidez, mais pele sobrando você terá.

A flacidez ocorre por causa da diminuição na tonicidade da pele, isso porque ela foi modificada pelos hormônios para que pudesse ser esticada. E por isso quanto mais esticada mais pele terá sobrando.

A genética da pele irá contribuir primeiramente para que haja essa sobra e até para a qualidade de flacidez dela. A genética confere e elasticidade natural da pele.

Infelizmente boa parte dessa pele que sobra está ligada a uma coisa que é relativamente simples de controlar e que a maioria das gestantes não se atentamO EXCESSO DE PESO.

 

1. Os cuidados com cremes após a gravidez podem ajudar a melhorar a flacidez da pele?

SIM! Ajudam, mas não farão o processo de recuperação total.

Principalmente se você ficou com a barriga avental ou muita pele sobrando.

Os cremes ajudam na nutrição da pele e com isso há uma recuperação e ativação do metabolismo.

Especificamente para a pele, os tratamentos abaixo são os mais indicados pois agem com mais profundidade no metabolismo celular da pele.

 

2. Os exercícios ajudam na melhora da flacidez e a barriga após a gravidez?

SIM! É essencial entender a importância do exercício especializado na recuperação da barriga. Se você observar sempre com os tratamentos os especialistas indicam algum tipo de exercício, pois além dos resultados musculares melhorarem a tensão da pele também melhoram. Então, de uma forma ou de outra além de você gastar com os tratamentos, terá que buscar por um programa de exercícios e se ele não for especializado você não conseguirá o resultado que deseja. Não adianta fazer qualquer exercício abdominal, pois a situação atual pode até piorar.

Veja o resultado dessa aluna que tinha uma barriga avental, com indicação cirúrgica e que a pele flácida. Ao praticar o programa de exercícios Mães em Forma, a diástase foi fechada e a musculatura recuperou sua força, com isso sua pele subiu. Dessa forma qualquer tratamento agora que ela opte em realizar, irá gastar muito menos.

Entenda isso nas fotos. Em qual imagem (antes ou depois) você gastaria mais sessões e mais combinações de tratamentos se chegasse numa clínica para tratar?

Resultado de 15 DIAS do programa Mães em Forma

Com certeza no depois!! E esse resultado incrível acima foi com 15 dias do programa. Agora veja com o andamento ao completar o programa como sua barriga voltou. E tudo isso sem dieta e sem qualquer tratamento estético, apenas como efeito do programa de exercícios.

 

Aluna com 10 semanas – fase 3 – programa Mães em Forma

 

O caso dessa aluna é muito especial, porque além da queixa estética, ela tinha uma barriga avental e diástase severa com indicação cirúrgica, e ainda uma sensação de que seus órgãos estavam caídos e soltos por dentro. Isso causava desconforto gástrico, mas ela só tomou consciência disso com o avançar do programa. À medida em que seus músculos voltavam e ficavam fortes ela se sentia melhor.

 

3. Quais são e quanto custam os tratamentos para a flacidez e para a volta da barriga após a gravidez?

Descreverei abaixo para você ter uma idéia do que pode fazer e também os preços para os tratamentos.

O tratamento para flacidez e para volta da barriga após a gravidez podem ser abrangentes e existem muitos tratamentos no mercado.

Mas entendendo que exercícios especializados podem potencializar qualquer tratamento, veja o que pode ser feito depois de recuperar com exercícios.

__________________________

  • RADIOFREQUÊNCIA:

O uso de aparelhos de radiofrequência, são uma das opções para tratar a flacidez.

Esse tratamento atua no tecido da pele, atua com calor ajudando na formação de novas de fibras de colágeno – aquela proteína que sustenta e dá firmeza à pele.

Os resultados podem ser vistos além da barriga, nos glúteos, coxas, braços (“músculo do tchau”) e até na face.

Há vários tipos de equipamentos que emitem radiofrequência unipolar, bipolar ou multipolar.

 

Preço da radio-frequência

Preços da sessão variam de R$600 a R$1200 (no mínimo seis sessões uma vez por semana) – então considerando somente essas sessões … por volta de R$3.600 a R$7.200 . Lembre-se … sempre pode ser mais !

____________________________

 

  • ULTHERA

O Ulthera é um aparelho de ultrassom que também estimula a produção de colágeno.

A tecnologia, por meio do ultrassom microfocado, estimula a retração das fibras musculares e aquece volumetricamente a gordura, facilitando a aderência da pele ao tecido muscular. A aplicação não te tira da rotina e dura aproximadamente 40 minutos, dependendo do tamanho do abdome, em uma única sessão. Pode ser repetida seis meses a um ano após a primeira. O resultado começa logo no primeiro mês e chega ao ápice no terceiro mês. Ainda pode associar o tratamento local o Exynutriment 200 mg (silício orgânico – 3-6 meses), que estimula a formação de colágeno para melhorar a ação dos fibroblastos e tônus tecidual”.

Preço da Ulthera

Preços da sessão variam de R$5 a R$12 mil.

_______________________________

 

  • CARBOXITERAPIA

A carboxiterapia é um tratamento antigo e bem dolorido, mas eficaz em alguns casos. A técnica consiste em aplicação de gás carbônico (CO2) no tecido subcutâneo, para uma melhor oxigenação, combatendo a ação de celulites, gorduras localizadas e flacidez.

Se você for pensar em fazer alguma lipoescultura porque sobrou muita pele, ela também ser indicada pois ajuda a evitar fibroses.

Preço da carboxiterapia

Preço da sessão em “média”  é R$120,00, mas para pacotes os valores costumam mudar e também pode ser adicionada uma região adicional essa também tem um valor diferenciado. O número de sessões inclui entre 10 a 20 sessões, mas em média para pacotes usa-se 12 sessões, feitas até 2 vezes na semana. O número real deve ser feito com a análise e em média o resultado começa a ser visto entre a quinta e oitava sessão.

– então considerando somente essas sessões … por volta de R$1440,00. Lembre-se … sempre pode ser mais !

_________________________________

 

  • LASER INFRAVERMELHO:

Nessa técnica a luz laser infravermelha age estimulando a produção de colágeno, elastina e outros componentes responsáveis pela sua elasticidade e sustentação.

Preço do laser

Preços da sessão variam de R$ 400 a R$900,00 conforme número de sessões.

Em média realiza-se 10 sessões. Pacotes apresentam vantagem proporcionando descontos semelhantes a outros tratamentos.

– então considerando essas sessões … por volta de R$4.000 a R$9.000 . Lembre-se … sempre pode ser mais !

________________________________

 

  • CORRENTE RUSSA

Na verdade esse tratamento não age diretamente recuperando a pele. Ele funciona de forma parecida ao exercício especializado para recuperar a musculatura através de um estímulo elétrico. Esse estímulo produz uma contração muscular no local em que ele é aplicado. À medida em que a musculatura contrai, ela melhora o seu tônus tônus muscular e com isso a flacidez da pele, melhora também. Vejo isso claramente em minhas alunas do Programa Pós-parto e Mães em Forma. A técnica estimula a circulação sanguínea e linfática e a oxigenação celular da região.

Preço da corrente russa

Preços da sessão é em média R$70,00.

São indicadas 10 a 20 sessões que podem ser feitas até duas ou três vezes por semanas.

– então considerando somente essas sessões … por volta de R$700 a R$1.400 . Lembre-se … sempre pode ser mais !

*** Esse tratamento tem sido indicado por alguns profissionais para a melhora de diástase, porém em várias alunas que atendo, elas passaram por esse procedimento e ainda continuam com a diástase do mesmo tamanho. A recuperação de uma diástase deve ser feita por um programa de “ativação da musculatura de forma voluntária e com exercícios específicos”. Portanto minha dica aqui é que você realize primeiro a recuperação com um programa especializado e depois “se ainda for necessário para melhorar alguma flacidez” busque o tratamento.

_____________________________________

 

  • EXERCÍCIOS – PROGRAMA ESPECIALIZADO

Programa Mães em Forma

Bom … já deu para você perceber quanto custa cuidar da sua barriga depois da gravidez.

Deixei o preço dos exercícios por último para que você perceba que ter um programa especializado será um caminho muito mais econômico, mesmo que você opte por completar com algum tratamento estético acima, com os resultados melhores você terá menos sessões e menos tratamentos combinados.

Criei o programa online Pós-parto – Mães em Forma pensando nessa realidade, de você recuperar a barriga com um programa especializado e com um preço totalmente acessível e possível !!!

 

Preço do programa especializado – exercício

De R$1497,00 por R$797,00 à vista ou Até 12 x R$77,65.

Uma forma mais econômica e mais real … Assim preço, distância e local estão resolvidos … o programa online Pós-parto – Mães em forma pode ser feito em casa ou na sua academia.

Então se você quer dar esse passo para conhecer mais como o programa está dividido, ter mais detalhes e ver mais resultados, abaixo deixei um botão para você clicar e ter todas essas informações ! Você estará com um Programa Seguro, Eficiente e Muito mais Econômico !!!

Então te espero lá !!!

 

 

**** Todos os preços do post são valores médios e dos grandes centros. Há variação de preços por região e qualificação do profissional e/ou local!!

 

Gravidinha … Você pode gostar também de Como evitar a barriga maracujá após a gravidez

Riscos do Hipopressivo após a gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

Quais são os riscos do hipopressivo após a gravidez?

A técnica do abdominal hipopressivo tem sido procurada por mulheres que passaram pela gravidez como uma das formas de recuperar a barriga e obter a melhorar a diástase.

Mas será que ela é segura e indicada para esse momento? Será que ela é para uma mulher em que o corpo passou por tanta transformação?

A técnica tem sido indicada para o sonho da mulher ter de volta a barriga, ou ter a tal barriga negativa. De forma equivocada tem sido direcionada para cuidar da diástase, flacidez da barriga – a tal barriga de grávida que permanece.

 

Vou pontuar aqui algumas razões para você não aplicar essa técnica depois da gravidez.

 

  • RAZÕES FISIOLÓGICAS – FUNCIONAMENTO DO CORPO

Seu corpo passou por grandes mudanças no coração e no sistema circulatório – entre eles também seus vasos sanguíneos forma drasticamente exigidos pelo grande volume de sangue que circulava no seu corpo.

Lembra-se que na gravidez você ficou com mais sangue e líquidos e sua perna inchava? Então vamos refletir comigo … Seu corpo não volta de tão rápida, pois isso seria uma agressão. Então da mesma forma que ele levou 40 semanas para mudar, ele demora para voltar, levando meses. Não são 45 dias ou 60 dias que serão suficientes para haver a reversão de tudo isso.

Então um exercício que trabalhe com um bloqueio respiratório – jamais será indicado. Essa inclusive é uma recomendação do Colégio Americano de Medicina Desportiva – a maior referência de exercícios do planeta para qualquer pessoa que almeje saúde, quem dirá para uma pós-parto!

  • Porque não usar o bloqueio respiratório? Porque ele é perigoso para uma pós-parto?

Durante o bloqueio respiratório – a glote (por onde o ar passa) é fechada e a pressão interna do seu corpo (intra-abdominal) aumenta muito. Isso aumenta a pressão do seu tórax e com isso há uma diminuição de sangue que chega no coração. Como um mecanismo de sobrevivência (isso significa que não é normal – ainda mais para uma mulher com alterações do coração e dos vasos), o cérebro exige um aumento do batimento cardíaco e da pressão sanguínea para manter adequado o bombeamento de sangue e líquidos para órgãos e corpo).

Veja na imagem o grande bloqueio respiratório e tensão que ocorre quando você aplica o hipopressivo.

 

Bloqueio respiratório - riscos após a gravidez
Bloqueio respiratório – riscos após a gravidez

 

Diante desse conhecimento da fisiologia do corpo materno, optei por nunca usar em meus programas exercícios com bloqueio respiratório. Minha opção sempre foi baseada na segurança, fisiologia e recomendações de autoridades internacionais.

 

  • RAZÕES BIOMECÂNICAS (movimento do seu corpo) PARA NÃO SE USAR O HIPOPRESSIVO

Existem muitas mudanças nos ossos, articulações, músculos da mulher com a gravidez. Com isso costelas, o quadril e a postura permanecem alterados até ter um trabalho que ajude o corpo a voltar.

Aí vem a pergunta clássica … Mas Gizele … o corpo não volta sozinho depois de um tempo?

A verdade é que isso dificilmente acontece. Considere-se sortuda a que consegue, e verdadeiramente … a grande maioria que você vê que teve o corpo de volta, acabou acertando de forma inconsciente nos exercícios ou tratamento, ou tem uma genética muito boa, ou treino anterior. Por qualquer um desses motivos ela não teve a barriga tão detonada.

No entanto muitas mulheres se matam de fazer exercícios ou vão atrás do método hipopressivo por ele ter se tornado famoso. E esse infelizmente não trabalha com uma biomecânica correta e a que você realmente precisa.

Veja o que aconteceu com as costelas da gestante na figura abaixo …

a. Mudança nas costelas – veja como elas abrem para dar espaço para o bebê. O detalhe é que elas não fecham naturalmente também na maioria das mulheres. Por isso você fica com elas diferentes e também sem sua cintura.

Mudanças no corpo da gestante
Mudanças no corpo da gestante

 

Toda essa região aumenta em circunferência … E não apenas na região da barriga. As costelas também precisam se mover para dar espaço para seu bebê.

E aqui começa o primeiro problema do hipopressivo. Veja na foto como as costelas são usadas de forma aberta nos exercícios.

 

Riscos do Hipopressivo após a gravidez

 

Pois bem … Como essas costelas irão fechar, se você faz exercícios para elas abrirem cada vez mais?

Isso não ajudará a que seu corpo volte, te deixando sem cintura! Muitos argumentam que reduziu medidas, mas essas medidas não significa que sua cintura voltou ou que ficou mais marcada. Como você trabalha a musculatura ela tem certo retorno, e com isso há redução de medidas, mas não a tão sonhada “antiga cintura”.

Você já viu um espartilho? Qual é uma das funções dele? Apertar o corpo e as costelas para te dar cintura.

 

ENTÃO O EXERCÍCIO QUE VOCÊ PRECISA FAZER, TEM QUE TER A

FUNÇÃO DE UM ESPARTILHO!!!

 

b. Diástase: A diástase é um processo natural do movimento da barriga na gravidez. No entanto, muitas mulheres tem uma diástase que foge do padrão, resultando num rompimento.

Veja o que acontece …

Diástase na gravidez - riscos do hipopressivo
Diástase na gravidez

 

Da mesma forma que as costelas precisam se fechar, você também precisa de exercícios que tenham e façam essa função, isto é, que ajam fechando e acionando os músculos e a região central da barriga. E da mesma forma então os exercícios hipopressivos, por mais que façam sua barriga entrar … não fazem especificamente essa ação de fechar.

E sabe porque? Porque as costelas precisam ser fechadas também para que os músculos sejam acionados de forma correta, o exercício apenas suga a barriga, MAS NÃO FAZ ESSA REGIÃO FECHAR.

 

Para isso então você precisa ter um CONJUNTO SELECIONADO DE EXERCÍCIOS …

Isso porquê em cada fase da recuperação, terá um exercício certo e que respeite a fase de volta da barriga e mudanças ósseas.

Durante anos usei muitos exercícios que deram certo com minhas alunas e sendo procurada pelas redes sociais entendi que precisava estar levando isso para mais mulheres.

No decorrer dos anos, com essa seleção de exercícios criei UM MÉTODO. E hoje através desse método tenho conseguido resultados muito lindos com minhas alunas agora pela internet.

No meu programa existe uma sequência de vários exercícios, selecionados e que evoluem gradativamente respeitando todas as limitações do seu corpo.

Eles têm a seguinte função então … Trazer aquilo que estava aberto para a posição fechada e dessa forma fazer sua barriga não só voltar, mas também FECHAR OU MELHORAR UMA DIÁSTASE

 

Projeto Fim da Diástase
Projeto Fim da Diástase

 

Então agora que você entendeu 3 motivos pelos quais eu não uso e não concordo com a técnica hipopressiva … Você pode então entender o porquê meus exercícios dão resultados tão positivos como os da imagem abaixo.

 

Resultado do programa Pós-parto / Mães em Forma
Resultado FINAL do programa Pós-parto / Mães em Forma

 

Resultado de 15 dias do programa após a gravidez
Resultado de 15 dias do programa Mães em Forma

 

Resultado do programa após a gravidez

 

E se você deseja também ter esses resultados e está cansada de ficar pagando sessões e tratamentos, você também pode fazer parte desse projeto e do time de alunas que conseguiram não só ter a barriga de volta, mas também melhorar a diástase.

Clicando no botão abaixo você pode conhecer e ter acesso ao programa e ter sua auto-estima de volta, seu corpo, sua barriga, suas roupas, seu humor e também sua alegria de olhar-se novamente no espelho.

Te espero lá … depois do clique no botão !!!

 

Clique aqui e conheça o Gravidez em Forma

9 Dicas da Personal Gestante para Emagrecer depois da Gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Coach de mamães

Mães em Forma
Mães em Forma

Como você pode emagrecer depois da gravidez?
Antes de falar sobre as 9 dicas para emagrecer depois da gravidez, vou descrever um pouco como acontece a perda de peso pós-gravidez.

1. Boa parte do peso ganho na gestação é  perdido logo no nascimento – normalmente entre 5-6 quilos – placenta, líquido amniótico, bebê, sangue. Por isso observa-se uma perda rápida.

2. Mais 1-2 quilos são perdidos no decorrer do primeiro mês com a volta do útero, diminuição de líquidos e inchaço.

Por isso é comum você ler que algumas mulheres perderam 7-8 quilos no primeiro mês!

 

Portanto aqui está a grande questão … o restante do peso adquirido é perdido ao longo dos meses após o parto.

E é exatamente aí que tudo pode piorar se você não souber o que fazer.

Se você ganhou o peso adequado na gravidez, seu peso após voltará rapidamente, porém ao contrário se você ganhou muito peso, ficarão os quilos extras. Esse deverá ser perdido as custas de uma alimentação saudável e adequado para o momento. NADA DE DIETAS MALUCAS! Você precisa ter uma alimentação saudável para não comprometer a amamentação e sua saúde.

E aqui está o primeiro segredo das celebridades. As celebridades têm seu corpo e seu peso de volta mais rapidamente porque elas cuidam para ganhar o peso adequado na gravidez!

 

Então agora que você entendeu … vamos as dicas:

Dica 1 – Amamente!

A produção de leite gasta entre 500-750 kcal. Se sua alimentação estiver saudável você emagrecerá. Se você não emagrecer é porque sua alimentação está com alguma falha. O melhor caminho para melhorar isso é buscar uma orientação nutricional. Se você não está amamentando, pode então iniciar uma dieta com acompanhamento de um nutricionista.

 

Dica 2 – Cuidado com as ciladas e as tentações!

Casa cheia de visitas e guloseimas servidas, mais tempo em casa e perto da geladeira, a falta de organização para as refeições por causa da rotina intensa, adaptação a nova e dura rotina de noites mal dormidas e muita ansiedade. Tudo leva ao caminho da cozinha e de comer de forma errada. A principal dica aqui é organize-se e evite as ciladas. Busque opções saudáveis para seu cardápio diário e das visitas – coisas leves e com calorias adequadas.

 

Dica 3 – Alimente-se de forma saudável e balanceada.

– tenha uma alimentação rica em fibras e nutrientes bons – verduras, legumes e frutas,

– evite os industrializados e carregados em sal (sódio), açúcar ou gordura,

– não fique sem comer, algumas mamães esquecem e ao perceberem estão famintas e acabam optando pelo mais fácil,

– faça um bom café da manhã. Ele ajuda a manter-se animada e sem a vontade de beliscar.

– se você não pode buscar por um nutricionista, uma dica é baixar o App My Fitness Pal. Ele te ajuda a entender as calorias, a qualidade de nutrientes e fibras que você está consumindo, te mostrará o excesso, equilíbrio ou falta deles.

 

Dica 4 – Faça drenagem linfática

Que tal uma escapadinha para uma drenagem? Além do relaxamento que promove, você se sentirá cuidada por ter um tempinho seu e junto ela te ajudará a voltar ao peso, reduzindo o inchaço.
Aguarde a liberação do seu médico e inclua nos seus cuidados … Mas atenção … A drenagem não tem a função de “emagrecer” … Ela te ajuda no peso na diminuição do inchaço e retenção de líquido.

 

Dica 5 – Faça exercícios especializados!

Assim que tiver a liberação do seu obstetra faça exercícios. A desculpa de não conseguir sair de casa não existe mais. Eu desenvolvi para minhas alunas um programa online – o programa Pós-parto em Forma – que pode ser feito em casa. Com exercícios e materiais simples, o programa é especializado para a volta do peso, do corpo e da barriga. Em casa, você pode fazer com seu bebê no carrinho ou bebê conforto, ou enquanto ele estiver dormindo. Esse tempinho terá que ser conseguido com disciplina e organização também. Uma dica importante é que a barriga saliente e mole normalmente dá a impressão de ser gordura localizada em excesso, mas nem sempre há esse excesso de gordura e nesses casos a musculatura voltando ao lugar você já verá resultados na medida da sua cintura, das suas calças. É importante você saber também se tem diástase <<receba grátis o e-book para descobrir >>

Acredite !! Em 15 dias com exercícios certos você já vê a diferença da sua barriga e do seu corpo. E isso sem gastar rios de dinheiro com tratamentos estéticos caros. Basta os exercícios especializados e corretos. Os exercícios para a barriga podem ser feitos até na sua cama antes de dormir.

Resultado do programa Pós-parto em Forma

 

Os exercícios especializados + a alimentação saudável + amamentação queimarão SIM qualquer gordura extra!

 

Dica 6 – Hidrate-se !

A água auxilia a regular seu organismo e também é necessária para manter a amamentação. Lembre-se que a amamentação será uma chave importante para gastar calorias. A água também ajuda a amenizar aquele desejo por comer algo.

 

Dica 7 – Reduza a ansiedade e o estresse.

Você sabe que ansiedade e estresse podem engordar? Normalmente a mulher ansiosa belisca e desconta tudo na comida ou em doces. Além disso, o estresse desequilibra sua parte hormonal – estimula a produção de cortisol, aumentando a retenção de água e alterando o metabolismo da gordura no seu corpo.
E nessa fase você está cansada, não consegue dormir uma noite de sono inteira, muitas mamães não conseguem se organizar para sentar e fazer uma refeição com calma.
Então organize-se para separar um tempinho para você, faça exercícios de alongamento e pode até incluir uma auto-massagem com a bolinha de tênis – nas costas, nas pernas, nos braços.

Não desista de ter seu corpo de volta! Não deixe para depois!

 

Dica 8 – Faça um bom café da manhã !

Ele te ajudará a manter-se animada e sem as vontades de beliscar. Após finalizar a rotina com seu bebê, sente e tome um café da manhã completo .
Isso me ajudou muito na minha rotina com minha filha.
Eu sempre adorei o café da manhã e percebi que ele me deixava animada e pronta para a minha dura rotina com minha bebê. .
Escolha alimentos saudáveis … Fique de olho nos rótulos dos pães integrais … Muitos são integrais “fakes”.
Mude o tipo de bebida, leites, sucos.
Faça bolos saudáveis com farinhas diferentes para ter uma alimentação com vários tipos de nutrientes.
Não se esqueça das frutas …elas tem muitas vitaminas importantes para deixar seu corpo nutrido e seu leite também.

 

Dica 9 – coma a quantidade certa … Faça a comida sua amiga e não sua inimiga !

Vejo que além da qualidade do que se come, muitas mulheres comem mais do que é necessário !
A quantidade de comida é muito importante e não é porque você está amamentando que precisa comer muito a mais. Aliás desde a gravidez esse conceito deve ser revisto e falo muito isso nos e-book e nas dicas do Gravidez em Forma!
A realidade acaba sendo que você engordara mesmo tendo um gasto calórico aumentado com a amamentação !
Uma pesquisa da Universidade de Granada (Espanha) mostra que 94% das mulheres ao invés de perderem peso no pós-parto, ganharam quilos a mais.
São erros básicos no dia a dia que fazem acontecer isso!
Sim, durante a fase de amamentação você precisa consumir apenas em torno de 300 calorias extras. Só que as mamães acabam comendo muito mais do que o necessário. .
Um exemplo pra você entender … Bastaria comer 2 colheres a mais de arroz e tomar dois copos de leite todo dia.

 

 

Tudo tem jeito e você conseguirá adaptar a sua rotina com essas orientações saudáveis.

Foco e disciplina mesmo com a intensa rotina materna !

E você pode dar o passo de iniciar o programa especializado e online Pós-parto em Forma.

Para saber mais clique no banner abaixo.

 

Programa Pós Parto em Forma