Dor de Cabeça na Gravidez

Post elaborado pelo Dr. Paulo Gomes Filho – Instagram @drpaulogomesfilho

 

A dor de cabeça pode ser um sintoma presente durante a gestação.

Dor de cabeça na Gravidez
Dor de cabeça na Gravidez

No primeiro trimestre, pode estar associada a redução da ingesta alimentar devido às náuseas e vômitos ou a suspensão do uso de cafeína. Mais adiante, pode vir como co-adjuvante à perda da qualidade do sono, estresse e cansaço, bem como, uso limitado de analgésicos devido a gravidez.

Importante salientar que 70% das pacientes com enxaqueca (dor de cabeça) tem a intensidade dos sintomas melhorada por conta da gestação.

Entretanto, algumas doenças podem manter a cefaléia (dor de cabeça) presente, como a sinusite ou problemas de visão.

De maior gravidade, a pré-eclâmpsia pode ter como sintoma principal a dor de cabeça. Portanto, na vigência de cefaléia, o obstetra deverá ser informado o mais rápido possível.

 

  • Seguem algumas dicas para melhorar e prevenir a dor de cabeça durante a gestação:

– Respeite o horário das refeições, alimentando-se preferencialmente a cada 03 horas em quantidade moderada;

– Faça atividade física regular. Um bom fisioterapeuta ou educador físico te ajudarão bastante;

– Invista num sono tranquilo – locais arejados, silenciosos e pouco iluminados são os melhores;

– Compressas frias na nuca ou na testa são alternativas fáceis de usar;

– Tome um banho relaxante.

– Técnicas de massagem e acupuntura são excelentes opções (procure um especialista);

– Não deixe de comunicar ao seu médico. Cabe a ela afastar patologias como hipertensão, sinusite ou problemas de visão;

– Analgésicos só com prescrição médica!

 

Se gostou desse post, compartilhe com suas amigas que estão gravidinhas !!!

 

*** O programa Gravidez em Forma conta com uma sequência de exercícios que melhoram a postura e ajudam a fazer menos esforço, promovendo um preparo nessa musculatura que é bem comum tensionar e também provocar um dos tipos de dor de cabeça – a cefaléia de tensão. Saiba mais sobre o programa clicando aqui.

Gravidez – como ficar de bem com o espelho após a gestação

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de Mamães

 

Mamãe De Bem com a Balança e com o Espelho – by Gizele Monteiro

Resultado aluna Pós-parto e agora Gravidez em Forma

Há algum tempo falo da importância do controle de peso na gravidez, não somente para a gestante se sentir bem e ficar saudável, mas para facilitar o a volta do corpo no pós-parto.

A idéia de estar De Bem com o Espelho após a Gestação é muito importante para a auto-estima da mamãe e também para que ela foque no que realmente importa … “cuidar do seu bebê”.

Há tempos também observo, que as mulheres têm uma grande tendência a usar a gravidez como uma desculpa para engordar – as frase mais comuns e campeãs são … “Agora eu posso! Ou … Ahhh é difícil controlar a alimentação agora! Ou … É difícil fazer exercícios, fico muito cansada!

Nasce um sentimento e atitude de … “Depois eu corro atrás!!!”

 

Isso é tão real para mim que no meu e-book Gravidez em Forma destinei um capítulo para falar sobre isso.

 

Mas será que o pós-parto é realmente o momento de se preocupar com recuperar o seu peso?

De correr atrás da volta ao corpo!!??

 

Claro que o pós-parto também é o momento de não se largar e de “ajudar o corpo a voltar” – porque dizem que ele volta sozinho, mas ele não volta sozinho ok?! E correr atrás do emagrecimento é um pouco cruel para a mulher diante de tantas preocupações e noites mal dormidas que você tem.

Então … qual será o melhor momento para controlar o peso?

Eu afirmo e te ensino … A GRAVIDEZ !!!

E por vários motivos, entre eles, não ter que correr atrás de emagrecer depois dela, até mesmo porque se concentrar em emagrecer ou ter seu corpo de volta pode ficar mais difícil. Pare e Analise ! Quantas mulheres que você vê tendo seu corpo de volta?

 

Como é o pós-parto?

O período pós-parto é um momento de intensas transformações pessoais e também da sua vida, no sentido de novas tarefas e novas preocupações. As vezes você passa a noite em claro porque o bebê tem cólica, ou porque ele troca o dia pela noite, ou apresenta refluxo, etc. O fato é que é sempre uma “caixinha de surpresas”!

Com tudo isso, priorizar a perda de peso após o parto pode ser desgastante e muitas deixam para trás essa tarefa, gerando uma intensa frustração em relação ao seu corpo e com isso sua auto-estima vai lá pra baixo.

Essa corrida pela volta do corpo, pode também prejudicar os momentos e vínculo e integração com seu bebê, podendo até comprometer a amamentação.

Em entrevista com a Dra. Giovana Portella (que é um bônus do programa Gravidez em Forma), uma das coisas que ela deixou claro, é que, é bom para o bebê que sua mãe se sinta feliz, realizada e que se “olhe no espelho e se reconheça” . Uma mãe feliz transmite mais paz para o bebê, pois já existem muitas transformações que ela tem que enfrentar. Ela pode sentir e perceber isso na pele, o quanto foi importante para ela ter uma recuperação natural do seu corpo, devido ao treinamento especializado e aprendizados na gravidez.

 

Volta do corpo depois da gravidez – Dra. Giovana

 

Eu encontro no meu dia a dia muitas mulheres frustradas, com a auto-estima destruída e até mesmo sem esperança de terem seu corpo de volta. Perderam o controle na gravidez e engordaram sem perceber, 20-30 quilos.

Então um bom programa na gravidez e também no pós-parto pode elevar sua auto-estima, evitando a depressão pós-parto” ou então a simples infelicidade de não entrar numa roupa ou se ver completamente distorcida em sua imagem quando se olha no espelho.

Por isso não engordar na gravidez é muito mais que estética, é pura saúde física e MENTAL da mulher!!

Então tenho agora 2 missões – #suagravidezdebemcomabalança e #mamãedebemcomoespelho

Para ambas eu tenho um programa sempre na medida certa e respeitando cada momento.

 

Em qual fase você está?

NA GRAVIDEZ

Então confere lá no gravidezemforma.com.br , o programa Gravidez em Forma que te ajudará a não engordar e dessa forma voltar mais rápido após o parto.

 

 

 

NO PÓS-PARTO

Se você está no pós-parto … confere no pospartoemforma.com.br o e-book gratuito “Como ter a barriga reta depois da gravidez” e na sequência o programa que te ajudará a ver resultados incríveis em sua barriga já entre 7 e 15 dias do programa, você começa a ver sua barriga voltando.

 

 

Bom, com tudo isso de informação não tem como você não ficar de bem com o espelho e com a balança!

Essa é a minha missão!

 

Gravidez em Forma by Gizele Monteiro

“Sua Gravidez De Bem com a Balança”

Estou grávida, posso treinar?

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Coach de gestantes by Gravidez em Forma

 

Hoje preparei um post sobre se é possível treinar após a descoberta da gravidez.

Na verdade o primeiro princípio para isso é consultar o seu médico e ver a aprovação dele para a modalidade que pratica.

 

Gravidez - posso treinar? By Gizele Monteiro
Gravidez – posso treinar? By Gizele Monteiro

 

A segunda coisa é ver as adaptações para a modalidade com um personal gestante.

A terceira é complementar o programa com atividades e exercícios que você precisa para preparar o seu corpo para a gravidez e para o parto.

Respondi algumas perguntas comuns que me chegam por jornalistas quando vão criar sua matéria e também por mamães que me procuram em meu blog e redes sociais.

1. O Treinamento funcional é uma nova tendência. É uma boa alternativa para gestantes?
Sim, desde que as aulas sejam adaptadas e tenham uma orientação especializada. Um verdadeiro “personal gestante”, aquele profissional que tem um treinamento para trabalhar com grávidas faça mudanças e adaptações nos exercícios e posturas. “Exercícios isométricos de grande intensidade e os que geram desequilíbrio devem ser descartados”. “Tudo deve ser realizado com apoio, para conseguir controle total dos movimentos.”
2. Pratico corrida. Posso continuar?
Estou grávida. Posso correr? By Gizele Monteiro
Estou grávida. Posso correr? By Gizele Monteiro

Sim, desde que você tenha a liberação médica e companhamento também especializado. Na maioria das vezes o seu treinador da assessoria não tem a especialização para adaptar o programa. Ele precisa sim ser adaptado … “o volume e a intensidade dos treinos têm que ser controlados e diminuídos à medida que a gestação avança”, mas não é só isso, o programa tem que receber um complemento para as novas necessidades que a gravidez impõem. A frequência cardíaca deve ser controlada o tempo todo.

3. E se quiser correr uma prova de rua?
Sem a preocupação de ganhar ou bater seu recorde pessoal, e com a liberação médica você pode fazer provas com percursos menores, lembrando que os cuidados acima citados devem ser considerados. Prefira uma prova curta e não corra nos últimos meses de gestação, quando a barriga estiver pesada. Assim, você evita a sobrecarga nas articulações, no coração e no assoalho pélvico.
4. Aula de dança é uma boa? 
Bom, primeiro quem costuma praticar essa atividade normalmente é quem já a pratica. Algumas variações de dança podem ser continuadas durante a gravidez. Dançar fortalece os músculos do corpo todo, melhora o seu cansaço, mas é importante também adaptar os movimentos e controlar a intensidade da aula. Ajuste o ritmo com o avançar dos meses da gestação.
5. Posso fazer aula de jump?
Não. O jump é um material muito instável e com risco elevado que haja uma queda. O peso da barriga, a postura e alterações nas articulações alteram o equilíbrio da grávida. Pular sobre uma superfície instável vai aumentar ainda mais o perigo de se desequilibrar. Modalidades com saltos, giros, velocidade e mudanças bruscas de posição (step e esportes com bola, como vôlei, tênis e basquete), aliás, colocam em risco as articulações e também a vibram muito sobre sua coluna e barriga. Ainda exige muito do sistema cardiovascular e, como articulações e ligamentos estão mais instáveis, aumentam o perigo de você se machucar”.

Como recuperar a barriga após a gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Coach de Gestantes e Mamães

 

de bem com a balancaUma grande surpresa no pós-parto faz as mamães pensarem como recuperar a barriga após a gravidez.

Você pode estar muito surpresa com a forma como a sua barriga fica após o nascimento. Muitas mulheres, ficam chocadas com a barriga mole e faz você olhar e se sentir ainda grávida de 5 – 6 meses.

Se o seu ganho de peso ultrapassou um pouco o desejado e o pedido por seu médico, você ainda pode ter se surpreendido com o aparecimento de estrias, as pequenas cicatrizes causadas pela extenso alongamento da pele.

Existem ainda os casos de diástase. E se essa não for feito um trabalho específico e adequado, poderá piorar.

 

 

♥  Você sabia que é possível fazer um trabalho diferenciado, rápido, seguro e com eficiência para recuperar a sua barriga?

Claro que existe um tempo para que seu corpo como um todo volte e se recupere, mas na parte muscular, o bom é que com os exercícios você pode acelerar. E uma coisa interessante, é que se você também não fizer nada, os casos em que o corpo volta são raros. O mais comum é que principalmente a barriga permaneça com a estética bem longe do que você tinha ou deseja.

Algumas relatam a sensação de muitas mamães é como se o corpo estivesse com um balão, levemente inflado.

O útero, se recupera relativamente rápido, e a partir do momento que seu bebê nasceu, as alterações hormonais fazem o útero se contrair e ir encolhendo de volta ao seu estado pré-gravidez. Ele leva de 6 a 8 semanas para voltar ao seu tamanho normal, portanto não é ele que dá o aspecto da barriga inchada e grávida.

 

Programa Pós-parto em Forma by Gizele Monteiro
Programa Pós-parto em Forma by Gizele Monteiro

♥  Quanto tempo levará para que a minha barriga encolha e volte ao normal?

Existem diferentes histórias e quero dar alguns exemplos para você.

A primeira coisa que as mulheres precisam aprender e entender é que se houverem cuidados e exercícios programados se preparando fisicamente para a gravidez, você poderá ter a história do seu corpo e inclusive sua barriga mudada.

A segunda coisa extremamente importante é que o cuidado especializado na “gravidez” também fará toda a diferença.

Tenho algumas alunas que chegaram até mim bem treinadas antes da gravidez. E na gravidez buscaram pelo meu << programa Gravidez em Forma >> por ser especializado (para saber mais – clique aqui). No programa tomo uma série de cuidados para que não haja nenhum exercício que sobrecarregue a coluna, a barriga e o assoalho pélvico e dessa forma preservo a barriga de ter diástase (esse é o primeiro passo). Além desses cuidados, uso exercícios especializados para trabalhar os músculos abdominais de forma segura e em conjunto a postura. Com isso fazemos a lição de casa para manter essa musculatura fortalecida para sua volta.

Já tive aluna que em 19 dias, sua barriga estava tão linda quanto a da Débora Secco !!!

Existem outros aspectos que fogem ao controle, como tamanho da barriga por causa do bebê, líquido amniótico ou condição natural e genética, tanto para esse fenômeno quanto para a pele.

A terceira coisa para ter a barriga de volta são os cuidados após a gravidez. Esses cuidados são os de fazer os exercícios corretos. Abdominais tradicionais podem “detonar” com a sua barriga.

No meu programa << Pós-parto em Forma >> os resultados iniciais de barriga mais durinha e começando a voltar, mas já sendo perceptível a mudança ocorrem entre 10 e 15 dias. As mamães ficam muito felizes em ver a possibilidade de ter a barriga de volta.

Veja um dos resultados de minhas alunas !!!

Resultado do programa Pós-parto em Forma para volta da barriga - By Gizele Monteiro
Resultado de 15 dias do programa Pós-parto em Forma para volta da barriga – By Gizele Monteiro

Por isso, hoje sei que um programa adequado e especializado pode fazer toda a diferença nessa volta da barriga e na auto-estima da mamães.

Muitas mulheres relatam que nunca mais tiveram suas barrigas de volta.

 

♥ O que é necessário para iniciar o programa Pós-parto em Forma – volta da barriga e melhora da diástase?

É bem simples … a primeira coisa é a liberação do obstetra. Isso dependerá do tipo de parto e também da recuperação da mulher.

A segunda coisa é foco e disciplina. O programa é simples e rápido, mas é necessário que a mamães esteja disposta a realmente ter sua barriga de volta.

 

 

» Para saber mais do programa para a volta da barriga e recuperação de diástase:

⇒ Cadastre-se no  « pospartoemforma.com.br »

⇒ Ao se cadastrar, você receberá de forma gratuita o teste da diástase em seu e-mail.

⇒ Faça o teste e veja se tem diástase ou se sua musculatura está muito fraca e flácida

⇒ Volte a página inicial – pós-cadastro e adquira o programa Pós-parto em Forma

Projeto Mamãe – sua barriga de volta após a gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal das mamães – Coach de mamães by Pós-parto em Forma

 

 

Você sabia que a volta da barriga após a gravidez tem sido alvo dos pesquisadores internacionais desde 2008?

E o mais incrível é que mesmo estudando, os pesquisadores não conseguiram chegar a uma direção como esta que vou compartilhar com você até o final desse post.

Veja esse estudo desenvolvido por Coldron e colaboradores em 2008 !!! Os pesquisadores analisaram as características de recuperação do reto abdominal após a gravidez através de ultra-sonografia. O grupo de pesquisadores queria estabelecer valores para a recuperação dos músculos reto abdominais nesse período de 1 ano após o parto.

O objetivo com essa análise seria estabelecer de que forma esses músculos voltariam ao normal após a gravidez e talvez determinar um valor esperado para essa volta, para que os profissionais pudessem dar uma previsão e uma luz de esperança para as mamães.

Bom … eles avaliaram a largura e espessura entre os reto abdominais, aquele espaço entre eles que caracteriza a famosa diástase. E para isso, avaliaram esses resultados-comportamentos em 115 mulheres que participaram do estudo.

Essas avaliações ocorreram no primeiro dia PP, após 2 meses PP, 6 meses PP e 12 meses PP.

Claro que os valores para o primeiro dia foram maior que os demais grupos, afinal a mulher tinha acabado de dar a luz e também claro que diminuiu após 12 meses, pois o corpo apresenta uma volta e melhora natural.

No entanto, você ficará chocada com o resultado, pois os autores observaram e concluíram com esse estudo é que mesmo reduzindo a distância entre os reto abdominais – a largura da diástase, visto já aos 2 meses, esses valores (distância entre retos) não retornaram aos valores considerados normais.

Parece óbvio, se você olhar entre suas amigas e perceber em quantas que a barriga evidentemente volta. A grande maioria não tem sua barriga de volta e se aos seus olhos ela estiver normal, pode ser que para muitas ela ainda não tinha voltado ao que ela tinha como referência do seu corpo anterior.

 

  • RESULTADOS RELATADOS NO ESTUDO:

Com esses resultados, os pesquisadores concluem e percebem que a força e a tensão dos músculos abdominais para formar uma parede está prejudicada.

Como conclusão final e de alerta, os autores entendem que é necessário um programa pós-natal específico e eficaz para promover a melhora e volta da função desses músculos e com isso da tão sonhada barriga.

 

Barriga flácida após a gravidez
Barriga flácida após a gravidez

 

Bom agora então vem a boa notícia !!!

Há vários anos eu percebi que as barrigas das minhas alunas mamães não voltavam com exercícios tradicionais. Quando me deparei com essa linha de estudos, isso ficou mais claro e comprovado para mim!

Passei então e ver a importante relação de algumas técnicas e exercícios e incluí-los em minhas aulas e treinos com essas alunas. Dei mais atenção a postura no dia a dia e na realização dos exercícios e também exercícios que tivessem o objetivo mais funcional.

Com essa experiência, consegui entender que alguns exercícios são importantes e eficientes nesse processo de recuperação da barriga e com isso as minhas alunas passaram a ter os resultados e as barrigas de volta.

O próximo passo está vindo com o advento das redes sociais, pois ao compartilhar esses resultados mais mamães em minhas redes sociais começou a me mostrar quantas mulheres permanecem insatisfeitas com sua barriga e até perdem o sonho de tê-la um dia de volta.

Com isso desenvolvi o programa Pós-parto em Forma – que é um programa ONLINE e À DISTÂNCIA que pode chegar até as mamães de todo o Brasil.

 

Programa pós-parto em Forma - sua barriga de volta
Programa pós-parto em Forma – sua barriga de volta

Essa tem sido minha parcela de contribuição com as mamães que desejam ter sua barriga e seu corpo tão sonhado de volta.

 

Para saber mais sobre o programa para melhora da Barriga e da Diástase … CADASTRE-SE no site << pospartoemforma.com.br >>

Você receberá em seu e-mail gratuitamente o teste da diástase para analisar a situação da sua barriga!!!

Corre lá !!!

 

Cadastre-se no << pospartoemforma.com.br >>

 

Te espero lá!!!

 

 

Referência bibliográfica usada no post:

Coldron et al (2008). Postpartum characteristics of rectus abdominis on ultrasound imaging. Man. Ther. 13(2):112-21.

Exercícios que aumentam o risco de diástase na gravidez

Diástase na gravidez – entenda que exercícios podem aumentar o risco dela – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante e Coach de Gestantes – by Gravidez em Forma

 

Olá gravidinha !!!

Será que alguns exercícios e movimentos podem aumentar o risco de diástase na gravidez?

A resposta para essa simples pergunta é … SIM!!!

Frequentemente venho alertando aqui no blog e também em minhas redes sociais (Instagram e YouTube) sobre os cuidados que você deve ter na gravidez para prevenir a diástase com rompimento.

Alguns exercícios não devem ser feitos por uma gestante e um exemplo de posição é exatamente essa da foto.

 

 

  • PREVENINDO A DIÁSTASE NA GRAVIDEZ

Você deve tomar cuidado e de preferência eliminar exercícios que projetam sua barriga para baixo.

Além deles sobrecarregarem a coluna – que está extremamente sensível – aumentam a pressão sobre os músculos abdominais, que estão alongados e mais fracos.

Então esse conjunto de ações, aumenta o risco de você ter Diástase dos Reto abdominais com ruptura.

O resultado disso, é que você poderá perceber uma aparência de “buraco” e uma musculatura instável depois da gravidez.

Diástase com rompimento depois da gravidez
Diástase com rompimento depois da gravidez

Durante a gravidez, você poderá perceber um abaulamento se você tiver diástase. Geralmente mais ao centro na região acima do umbigo.

Onde está esse abaulamento não é regra, por que depende do rompimento … e pode haver o abaulamento em outra região ou por toda a linha alba.

E isso pode acontecer mesmo com abdominais fortalecidos antes da gravidez, isto é, pode acontecer mesmo em mulheres treinadas.

Por isso todo cuidado é pouco !!!

 

 

 

  • DOR OU LESÃO NOS ABDOMINAIS E QUADRIL! CUIDADO !!!

Outro ponto a se observar é que exercícios nessa posição podem sensibilizar a inserção dos músculos abdominais no quadril e com isso gerar dor ou inflamação.

Isso também aumenta o risco de diástase com ruptura total da linha alba, uma vez que novamente há uma lesão instalada.

Você deve lembrar e entender que todo seu corpo não só está sendo modificado sobre a influência de ação hormonal, mas também extremamente exigido com o crescimento e peso da barriga. Esses músculos são levados ao limite!

 

  • ASSISTA O VÍDEO QUE PREPAREI NO MEU CANAL DO YOUTUBE !

 

E para ter uma orientação completa com os detalhes do que você pode e precisa fazer para evitar uma diástase na gravidez, você pode conhecer o programa que preparei para isso.

Se você deseja um programa seguro durante a gravidez, acesse meu site e conheça o programa Gravidez em Forma!

Te espero lá clicando no botão abaixo!

 

Dicas para as grávidas curtirem no carnaval

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Coach de Gestantes – by Gravidez em Forma

 

Gravidez em Forma by Gizele Monteiro
Gravidez em Forma by Gizele Monteiro

Personal Gestante dá dicas para as grávidas curtirem o carnaval

A personal gestante Gizele Monteiro, idealizadora do programa online Gravidez em Forma, dá algumas dicas para as futuras mamães curtirem o Carnaval, sempre preservando saúde e bem-estar dela e do bebê:

1- Faça a alimentação balanceada durante todos os dias, preferindo produtos leves e saudáveis;

2- Mantenha-se hidratada, com água potável e sucos naturais, principalmente durante a folia;

3- Evite ambientes quentes e úmidos para se manter sempre em temperatura corporal ideal e agradável. Ambientes com temperaturas elevadas coloca em risco a saúde da mamãe e do bebê.

4- Para as gestantes que irão participar de desfiles, o controle a intensidade é muito importante. A intensidade deve ser leve a moderada e se puder faça uso de um monitor cardíaco (frequencímetro) para controlar os batimentos cardíacos.

Celebridade grávida no carnaval
Celebridade grávida no carnaval

5- Não ficar longos períodos em atividade.

6- Evite também ficar muito tempo em pé, pois isso pode fazer com que as pernas fiquem inchadas. Se ficarem, a solução é uma boa drenagem linfática, com profissional especializado no atendimento à gestante. Entrar em piscina também auxilia a reduzir o inchaço.

7- Se a mamãe está sedentária, não é interessante que participe de desfiles ou grandes concentrações, pois ficará muito tempo em atividade e esta pode ser de intensidade elevada. O ideal é que a mamãe já esteja ativa para participar desses eventos.

“É importante lembrar que a data comemorativa tem que ser um momento de alegria e bem-estar físico e mental para as gestantes”, finaliza Gisele.

Gizele Monteiro é diretora e idealizadora do programa online para controle de peso – Gravidez em Forma.

Realizou mestrado na Unifesp com tema de estudo: Exercícios na gravidez.

Autora do livro: Guia prático de exercícios para gestantes – Ed. Phorte.

Para saber mais sobre o programa – www.gravidezemforma.com.br

Assoalho pélvico – avaliação depois da Gravidez

Avaliação do Assoalho Pélvico após a gravidez – Por Gizele Monteiro e Vanessa Marques

 

ASSOALHO Pélvico depois da gravidez

O assoalho pélvico após a gravidez é um tema muito desconhecido pela maioria das mulheres e é muito importante uma avaliação dele após o término da gravidez, independente do tipo de parto que foi feito.

A gravidez e a via de parto são fatores de risco que podem trazer alterações na força do seu assoalho pélvico.
Além da via de parto, o aumento de peso, o aumento do peso do útero pelo crescimento do bebê também aumentam a pressão sobre esta musculatura.
São fatores: o aumento do peso na gravidez, o número de gestações, o tempo prolongado no período expulsivo do trabalho de parto normal e a episiotomia diminuem a força muscular do assoalho pélvico.
Mas é muito importante saber que independente do tipo de parto, você deve e precisa, como forma preventiva da sua saúde, dar atenção especial ao assoalho pélvico após uma ou mais gestações.
.
“Avaliar e saber como está seu assoalho pélvico ajudará na prevenção de disfunções perineais e as incontinências urinarias/fecais.”
.
Por causa de todas essas variáveis citadas, essa avaliação do assoalho depois da gravidez (mesmo depois de anos) é essencial para sua saúde futura. Isso ajudará a recuperar alguns incômodo comuns.

A avaliação

A avaliação é feita por um fisioterapeuta especializado para analisar o grau de força e integridade muscular. Para realizar essa avaliação o fisioterapeuta, especializado em saúde da mulher, dispõem de diversas metodologias, dentre elas:
  • AFA – Avaliação Funcional do Assoalho pélvico
  • Perineometro
  • Eletromiografia
  • Cones vaginais
Procure um profissional especializado, conheça seu períneo e avalie esta musculatura tão importante .
.
“Períneo é a região do corpo que começa (para as mulheres) na parte de baixo da vulva e estende-se até o ânus.”
 .
PERÍNEO – músculos
.

Considerações Importantes:

1- Antes de retornar ou iniciar as atividades físicas, saiba através de uma avaliação como está a saúde de seu assoalho pélvico.

 

2- As atividades de impacto devem ser iniciadas apenas quando houver a recuperação da musculatura do centro do seu corpo – abdômen, costas – e do assoalho pélvico.

 

3- Se sabe ou suspeita que está com diástase seu assoalho também precisará de cuidados. Você deve procurar uma avaliação e recuperação especializada. A recuperação da diástase também deve ser feita com exercícios especializados e não abdominais tradicionais.

Existe possibilidade de melhora da diástase e da barriga sem cirurgias. Abaixo explicarei o programa que  desenvolvi para esse problema – tanto a estética da sua barriga, quanto melhora da diástase.

 

4- Se está com perda urinária – aquela escapadinha de xixi quando demora para ir ao banheiro ou quando tosse – espirra – deve avaliar com urgência seu assoalho.

Não inicie um programa de exercícios sem avaliar com um fisioterapeuta esse problema. Seu programa de exercícios também tem que ser adaptado para não piorar esses escapes.

.

.

Sobre a avaliação e tratamento do assoalho pélvico – onde encontrar?

 

Locais de atendimento em São Paulo: Bela vista – Santana – Vila Mariana
E-mail e informações: [email protected]
Fone: (11) 94210-8045
.
.

Sobre o programa online de exercícios para recuperar a sua barriga e diástase após a gravidez – onde encontrar?

.

  • Gizele Monteiro – Personal Gestante e idealizadora do Programa Online Pós-parto em Forma
Site do Programa Online – Site do programa clique: pospartoemforma.com.br

 

 

Assoalho Pélvico depois da Gravidez

Assoalho pélvico depois da gravidez – Por Gizele Monteiro e Vanessa Marques

 

Você irá entender nesse artigo a importância de uma boa recuperação do assoalho pélvico no pós-parto.

 

Mudanças no corpo durante a gravidez

Infelizmente essa ainda é uma área desconhecida pelas mulheres.

O Pós-parto é um período de diversas readaptações no corpo da mulher. Foram meses de transformações em todo seu corpo durante a gravidez e também levará algum tempo para que ele volte ao estado pré-gravídico.

“Independente da sua escolha do parto”, o assoalho pélvico sofre diversas modificações por conta da própria gravidez. Isso é mediado por todas as alterações hormonais e mecânicas, pelo peso do útero e do bebê, aumento de peso gestacional, alterações posturais, etc. Todas essas alterações no seu corpo causam uma alteração também no períneo – assoalho pélvico.

Quando você tem um parto normal (via vaginal) é muito importante que seja analisado e se tenha uma visão individualizada de todos os fatores envolvidos nesse parto, como: o tempo de trabalho de parto, tempo do período expulsivo e até o posicionamento na hora do nascimento.

 

“Uma fisio obstétrica saberá te orientar em todas essas informações e também prepará-la! É importante você saber isso para entender seu corpo e a recuperação dele”

 

Do ponto de vista da fisioterapia, a atuação de tratamento para recuperar seu corpo e assoalho pélvico DEVE acontecer assim que houver a liberação médica. E é interessante que ela seja rápida! Não deixe passar muito tempo da liberação do seu médico, para que haja um retorno adequado as funções o quanto antes.

 

 

 

Principais Queixas que ocorrem em relação ao assoalho pélvico depois da gravidez: 

  • Dor perineal: ocorre devido a pressão que o bebê exerce nos músculos do períneo durante as últimas semanas de gestação e ao trabalho de parto.
  • Incontinência urinária/fecal: geralmente acontece até 8 semanas após o parto – força muscular do períneo  ainda esta prejudicada podendo causar uma disfunção esfincteriana e consequentemente disfunção urinária ou fecal. Geralmente entre 8 e 24 semanas estes problemas se resolvem porém há casos de persistência de 3 até 1 ano pós nascimento.
  • Episiotomia: a episiotomia  pode aumentar em até 6 semanas os sintomas de dores perineais. Na episiotomia ocorre uma incisão em músculos importantes do assoalho pélvico. Por isso é tão importante prepará-los para o parto e tão logo recuperá-los no pós-parto.

 

Episiotomia

.

.

“Para recuperar o assoalho pélvico é necessário realizar uma avaliação e infelizmente a maioria das mulheres ainda desconhecem que é possível fazer essa avaliação. Aliás ela é muito importante para sua saúde futura.”

 

.

Avaliação do Assoalho pélvico pós-parto:

– Pós cesárea – na avaliação com a Fisioterapeuta em casos de parto cesárea iremos avaliar funcionalmente o assoalho pélvico analisando as características morfológicas e reflexas do períneo.

– Pós parto vaginal – além das observações citadas acima iremos verificar se existe algum hematoma, ou traumatismo perineal. Além de também a função muscular.

** Importante lembrar que esta avaliação é feita depois autorização do obstetra.

 

Reconhecendo seu assoalho pélvico

 

 

Ações para tratamento do períneo no pós-parto:

Uma das principais intervenções para o controle do edema e dor no períneo são os exercícios para a musculatura do assoalho pélvico.

Estes exercício favorecem a drenagem linfática e venosa, reduzindo o edema e como consequência a dor. Além disso, esses exercícios promovem a liberação de opióides endógenos favorecendo o alívio da dor.

Outra opção também são exercícios associados a crioterapia (uso do gelo). O uso do gelo reduz a inflamação, diminui edemas e hematomas. As indicações para o uso do gelo são de no máximo 15-20 minutos.

 

Se você achou essas informações importantes, compartilhe esse artigo com suas amigas … compartilhe também em suas redes sociais. Dessa forma mais mulheres conhecerão esse tema tão importantes para nossa saúde. Veja outro artigo falando sobre a avaliação do assoalho pélvico – clique aqui !

 

 

Sobre a avaliação e tratamento do assoalho pélvico – onde encontrar?

 

Locais de atendimento em São Paulo: Bela vista – Santana – Vila Mariana
E-mail e informações: [email protected]
Fone: (11) 94210-8045
.
.

Sobre o programa online de exercícios para te ajudar a manter a condição física para o trabalho de parto (normal) – onde encontrar?

.

  • Gizele Monteiro – Personal Gestante e idealizadora do Programa Online Pós-parto em Forma
Site do Programa Online – Site do programa clique: pospartoemforma.com.br