Emagrecer após a gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Emagrecer após a gravidez? É possível?

Muitas mulheres perdem a esperança de terem seu corpo de volta. O que dizem as pesquisas?

 

Emagrecer após a gravidez - by Gizele Monteiro
Emagrecer após a gravidez – by Gizele Monteiro

Uma pesquisa conduzida por médicos do Canadá sugere que o período entre três e 12 meses depois do parto é o ideal para perder os quilos a mais ganhos durante a gravidez.

Infelizmente existe grande retenção de peso após a gravidez. O período inicial, entre 3 e 6 meses as mulheres até se empolgam em perder peso e voltar ao corpo, porém as mudanças no estilo de vida fazem com que a mulher desista no meio do caminho.

Segundo um estudo, publicado na revista especializada ‘Diabetes Care’, as mães que não conseguem perder o excesso de peso dentro de um ano depois do nascimento do bebê, ou engordam neste período, podem correr sérios riscos de saúde.

Os pesquisadores afirmam que esse grupo pode vir a sofrer problemas como hipertensão e outros fatores que provocariam diabetes e doenças cardíacas no futuro.

Havendo outra gravidez nesse período, ela já inicia com um peso acima da anterior.

O estudo revelou que os fatores de risco mais elevados para a saúde das mulheres – observados um ano depois do parto e naquelas que não emagreceram – não foram verificados três meses após o nascimento do bebê.

A conclusão sugere que o período crítico para as mulheres perderem pelo menos uma parte do peso extra ganho durante a gravidez se estende de três a 12 meses depois do parto.

Pesquisadores canadenses acompanharam o emagrecimento depois do parto de um grupo de cerca de 300 mulheres saudáveis. Eles também monitoraram fatores de risco para diabetes e doenças do coração, como a pressão sanguínea, o LDL (colesterol ruim) e a resistência à insulina (hormônio responsável pela redução da glicemia, a taxa de glicose no sangue).

‘A maioria das mulheres não voltou ao peso de antes da gravidez logo depois do parto, e observou-se que o padrão típico é que mais de 80% não fazem isto durante os três meses’, conforme Ravi Retnakaran – pesquisador em diabetes e clínico do Hospital Mount Sinai, de Toronto, responsável pela pesquisa.

Os autores sugerem que, entre 3 e 12 meses, a mulher já deva estar na trajetória do emagrecimento.

Importante ressaltar que isso não é uma questão estética, mas de saúde futura da mulher.

Neste período, médico e paciente devem prestar atenção ao controle do peso, o que poderá ser muito importante para a saúde metabólica e vascular a longo prazo’, afirmou Retnakaran.

 

Perder peso após a gravidez - by Pós-parto em Forma
Perder peso após a gravidez – by Pós-parto em Forma

Ganho de peso:

Por causa do crescimento do bebê, é normal o aumento de peso durante a gravidez. Em média, ao longo dos nove meses de gestação, mulheres costumam ganhar cerca de 20% ou mais de seu peso total.

Depois do parto, as tentativas de perder peso podem ser prejudicadas pela falta de exercícios, pela falta de sono e pela mudança no estilo de vida o que não permite que a mamãe tenha o mesmo tempo para se cuidar.

‘Com um bebê, sem dúvida, você vai ficar ocupada, então não tente correr para dietas e uma rotina extenuante de exercícios’, diz Talbot.

A pesquisa também mostrou que o peso de uma mulher um ano depois do parto é um forte indício de como será seu peso 15 anos depois.

A hipótese, segundo os médicos do Hospital Monte Sinai, é que o efeito cumulativo do ganho de peso durante cada gravidez contribui para que a mulher tenha um risco maior de desenvolver doenças como diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

“Para voltar ao peso, inclua exercícios de forma equilibrada encaixando atividades como caminhada ou leve o bebê para fazer exercícios”

 

Programa Pós-parto em Forma:

Pós-parto em Forma - treinamento à distância
Pós-parto em Forma – treinamento à distância para fazer em casa ou na academia

Pensando e entendendo todas essas dificuldades, desenvolvi um programa de exercícios para você fazer em casa, usando exercícios especializados e que respeitam o seu corpo e eficientes para voltar ao peso, incluindo sua barriga. O programa é desenvolvido – volta da barriga + volta do corpo.

Inclui teste de diástase e programa que tem os devidos cuidados.

Não perca tempo ! Informe-se agora através do e-mail [email protected]

Atividade Física e Gestação

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Gravidez em Forma

 

Algumas observações e orientações sobre a atividade física na gestação:

Atividade física na gestação - by Gravidez em Forma
Atividade física na gestação – by Gravidez em Forma

• Após 16 semanas de gravidez, evitar a realização dos exercícios na posição decúbito dorsal (deitada de costas). Isto porque um dos seus principais vasos sanguíneos em seu corpo (chamado de veia cava) pode ser pressionado pelo bebê que está crescendo, se você se mantiver nesta posição. Isso pode fazer você se sentir tontura e possivelmente, desmaiar.

• Os especialistas e pesquisadores internacionais também recomendam atividades em que você possa estar mais propensa a perder o equilíbrio e cair, ferindo seu abdômen e colocando em risco seu bebê em desenvolvimento. Tais atividades incluem passeios a cavalo, esqui, hóquei no gelo, ciclismo, etc.

• Com esportes de contato, você também tem a chance de ser atingida no abdômen. Estes esportes incluem squash, judô, boxe, kickboxing, etc. Esses esportes geralmente não são aconselhados durante a gestação.

  • Caminhar é uma atividade física muito boa. A natação para quem já tinha o costume de praticá-la é uma atividade interessante, porém também deve ser ajustada a intensidade e duração. Aulas de e ginástica especificamente destinadas às mulheres grávidas também são importantes para manter a postura e a resistência muscular.
  • Se você está fazendo outros exercícios que não são indicados as mulheres grávidas, podemos te orientar no que é mais adequado para você.
  • O programa Gravidez em Forma foi desenvolvido para que você possa se exercitar de maneira segura e sem o risco de ultrapassar seus limites, basta se cadastrar e acessar o site para aquisição do e-book e programa online.

Diabetes gestacional e bebês grandes

 

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Gravidez em Forma

 

diabetes gestacional é conhecido por aumentar o risco de ter um bebê grande, mas um estudo canadense mostra que as mulheres sem diabetes também tem risco aumentado para esta complicação.

Segundo o resultado, quanto maior o peso da mulher antes da gravidez, e quanto mais peso ganhou durante a gravidez, maior a chance dela dar à luz um a bebê grande. O problema é que isso pode gerar problemas de saúde para o bebê e a mãe. Em geral, os bebês que pesam mais de 4kg são considerados bebês grandes (ou macrossômicos).

Para descobrir o que contribui com o risco dessas mulheres terem bebês grandes, Retnakaran e seus colaboradores analisaram informações de 472 canadenses grávidas, sendo que 368 delas apresentavam níveis normais de glicose, e os outros 104 tinham níveis de glicose ligeiramente elevados.

68 dos bebês nascidos de mulheres no estudo foram considerados bebês grandes. Mulheres que estavam acima do peso antes de engravidar, e quem apresentou excesso no ganho de peso durante a gravidez, tiveram de 12 para 16% mais chances de ter bebês grandes.

Sua Gravidez De Bem com a Balança
Sua Gravidez De Bem com a Balança

Nessa pesquisa os níveis de glicose e de ácidos graxos no sangue, não aumentaram o risco da mulher ter um bebê grande comparado ao outro grupo, segundo os pesquisadores.

Há uma discussão para que os critérios para a classificação de uma mulher ter diabetes gestacional seja alterada. Em 2010, a Associação Internacional de Diabetes na Gravidez propôs reduzir os níveis para o diagnóstico de diabetes gestacional.

No entanto, baixando os critérios significaria que muitas mulheres grávidas iriam receber um diagnóstico de diabetes gestacional. Nos Estados Unidos, o percentual diagnosticado com diabetes gestacional aumentaria para 18%, segundo o Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia, o qual não recomendou a adoção dos novos critérios.

Até que sejam feitas mais pesquisas sobre as causas que levam uma gestante a ter bebês grandes, reduzir o peso antes de engravidar e controlar o ganho de peso em mulheres grávidas são recomendações que auxiliam na saúde da mulher e do bebê.

Sabe-se que esse ganho de peso também contribui para outros fatores de risco na gestação e não somente para o diabetes gestacional.

Também o controle do diabetes gestacional, uma vez apresentado é importante para evitar bebês grandes.

Enquanto a comunidade médica e científica discute, é importante que médicos, educadores e fisioterapeutas que trabalham com a gestante não descartem esses riscos.

Pesquisas demonstram os benefícios preventivos do exercício físico para o ganho de peso excessivo e também para doenças como diabetes e hipertensão gestacional.

*Gravidez em Forma – programa online de exercícios na Gravidez- by Gizele Monteiro

Dieta, saúde e exercícios na gravidez

Por Gizele Monteiro – personal Gestante – Gravidez em Forma

 

Segue um texto muito interessante sobre este tema.

Boa leitura!

 

Personal Gestante by Gizele Monteiro
Personal Gestante by Gizele Monteiro

Dieta e gravidez parece não ser uma combinação interessante, pois o termo dieta vem sendo empregado como estratégia para perda de peso – adaptado de Michael Roizen

Embora certamente existam exceções a qualquer regra, em geral, as mulheres não devem fazer dieta durante a gravidez.

Existem várias razões para isso. Normalmente o termo dieta é empregado em casos em que há a restrição alimentar.

O ganho de peso é uma parte essencial de uma gravidez saudável. Por isso, uma dieta restritiva pode privar o seu bebê em desenvolvimento dos nutrientes de que necessita para sobreviver e crescer – ganhar peso.

 

Ganho de Peso na Gravidez

Durante a gravidez, a maioria das mulheres precisa de ganhar peso. Se você for de uma composição corporal saudável antes de engravidar, seu obstetra provavelmente vai aconselhá-la a ganhar de 12 a 15 quilos ao longo de sua gravidez, explicam os drs. Michael Roizen e Mehmet Oz no seu livro “Você: vai ter um bebê.” Mulheres que estão abaixo do peso antes de engravidar podem precisar ganhar um pouco mais de peso, enquanto aquelas que estavam acima do peso podem precisar ganhar menos – ou até não precisam de ganhar.

 

Qual é o peso?

Programa Online Gravidez em Forma
Programa Online Gravidez em Forma

Pode ser desconcertante ou desesperador para algumas mulheres verem os números na balança aumentarem de forma dramática na gravidez, mas vale lembrar que não todo o peso que você está ganhando é gordura. Existem fases em que você deve ganhar peso e ganhar muito peso em pouco tempo é um sinal de alerta.

Essa distribuição de peso, eu explico muito bem no e-book Gravidez em Forma. Para adquirir o e-book basta se cadastrar no site – www.gravidezemforma.com.br

 

Riscos em fazer dieta na gravidez

Alimentação na gravidez
Alimentação na Gravidez

Normalmente as dietas são elaboradas para perda de peso. Na dieta para perda de peso, você estará fornecendo ao seu corpo menos nutrientes que eles precisam para se sustentar. Isso força o seu corpo a usar das suas reservas de gordura para compensar a diferença de energia. O feto não tem reservas de gordura devido seu desenvolvimento, portanto significa que é muito fácil criar deficiências nutricionais em seu bebê em desenvolvimento, negando-se calorias. Além disso, quando você limitar calorias, você também limitar as vitaminas, que são críticas e essenciais para o desenvolvimento fetal.

 

Diretrizes Gerais de Saúde

Se você estiver preocupada com seu peso durante a gravidez, converse com seu obstetra. Muitos médicos preferem que você faça uma dieta saudável, equilibrada – alimentação saudável – ou adequar a sua alimentação para um valor adequado se você está ganhando peso, evitando ganhar peso de forma excessiva ao invés de tentar perder peso durante a gravidez.

 

Diretrizes Gerais – Exercício

Exercícios são essenciais durante a gravidez para dar equilíbrio entre gasto e consumo. Muitas vezes a mulher ajusta sua alimentação, mas pelo fato de estar menos ativa não gasta o necessário e com isso acaba aumentando o seu peso a mais do que o esperado ou planejado.

Pensando nesse equilíbrio o programa Gravidez em Forma também foi planejado para que você faça exercícios na medida certa, seguros e que coloquem o seu corpo para funcionar sem sobrecarrega-lo. O programa respeita as suas necessidades, mas também a do seu bebê.

Conheça mais o Gravidez em Forma!!!

 

“You: Having A Baby”; Michael Roizen, M.D. and Mehmet Oz, M.D.; 2009.

Exercícios na gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante – Gravidez em Forma

 

Manter uma rotina regular de exercícios na gravidez pode ajudar você a ficar mais saudável.

O exercício na gravidez pode melhorar sua postura e diminuir alguns desconfortos comuns, tais como dores nas costas e fadiga. Há evidências científicas de que o exercício na gravidez pode prevenir o diabetes gestacional, aliviar o stress físico e mental, e desenvolver a resistência necessária para o parto.

 

Exercícios na Gravidez - by Gravidez em Forma
Exercícios na Gravidez – by Gravidez em Forma

 

Orientações básicas para fazer exercícios na gravidez

  • Se você foi fisicamente ativa antes de sua gestação, você deve ser capaz de continuar a sua atividade com intensidade moderada. Antes consulte seu médico!
  • Recomendamos que não tente se exercitar em seu nível de aptidão física anterior, em vez disso, faça o que é mais confortável para você agora.
  • Os exercícios aeróbicos de baixo impacto como a caminhada são os exercícios mais indicados para este momento.
  • Se você nunca se exercitou antes, você pode começar um programa de exercícios na gravidez após a liberação do seu médico. Novamente recomendo a caminhada e exercícios de fortalecimento de intensidade leve e com objetivos posturais, como sendo uma atividade segura para iniciar durante a gravidez.
  • O Colégio Americano de Obstetrícia e Ginecologia recomenda 30 minutos de exercícios moderados por dia todos os dias da semana, porém resultados positivos são verificados num programa gestante bem orientado, mesmo com frequência menor.
  • Para iniciantes e indicação é que seja feito 2 a 3 vezes semanais.

Em caso de algum desconforto ou sintoma indesejado interrompa o exercício.

Dor nas costas e quadril após a gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

A dor nas costas ou quadril após na gravidez é mais comum do que se pensa.

Muitas mulheres não sabem, mas além de a dor nas costas ser comum na gravidez, essa dor pode continuar ou até mesmo aparecer somente após a gravidez.

Dor nas costas após a gravidez
Dor nas costas após a gravidez

Ela é mais comum do que se espera. Mas porque será que ela acontece?

Além da grande mudança ao final da gravidez, tanto em postura, quanto na preparação do corpo para o parto, a postura é muito alterada e ela não volta rapidamente. Além de todas essas alterações há ainda o bebê que exige cuidados.

A mamãe passa a carregá-lo para todos os lados e também há grande exigência postural e muscular para a amamentação. O bebê é uma carga extra que será muito carregada e além disso ela só aumenta.

As alterações hormonais e a frouxidão dos ligamentos, que aconteceu durante a gravidez, ainda existem.

Somando-se todos esses fatores, o corpo não tem uma trégua.

Por isso um dos primeiros pontos quando a mamãe deseja voltar a forma, é avaliar como está a sua postura e o seu tônus abdominal, isto é, a sua barriga. Um programa inicial deve ser desenvolvido nesse sentido, podendo ser adicionadas atividades leves e sem impacto.

 

Coluna após a gravidez - Spinal Column --- Image by © Kulka/Corbis
Coluna após a gravidez – Spinal Column — Image by © Kulka/Corbis

 

  • Programa Pós-parto em Forma:

Desenvolvido considerando-se todas essas necessidade de recuperação do corpo da mamãe, o programa desenvolvido pela personal das mamães – Gizele Monteiro, conta com exercícios para a volta da barriga e da postura, além de enfatizar a volta do corpo de maneira saudável e equilibrada, masss sem esquecer da eficiência.

Tenha mais informações:

e-mail: [email protected]

fone/whats app: 11 9 9651.8909

Pós-parto – exercícios mamãe e bebê. Quais os cuidados?

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante by Gravidez em Forma

 

Pós-parto – exercícios mamãe e bebê. Quais os cuidados que devem ser tomados?

Após a gravidez a vida da mulher muda muito. A logística materna toma conta da vida da mulher e muitas vezes você não tem tempo para cuidar de si. Nessa fase além da adaptação do novo estilo de vida, há também uma fase complicada de aceitação do seu corpo, baixa auto-estima e as vezes até a depressão aparece.

O exercício físico é uma forma excelente de fazer a mulher não só voltar ao seu corpo, mas também dela dedicar um tempo para cuidar de si.

Muitas mulheres, mesmo nesse momento querem estar próximas ao seu bebê e tenho visto um crescimento da procura de exercícios mamãe e bebê.

Mas até que ponto isso é saudável e seguro e será que pode ser realizado?

No programa Pós-parto em Forma by Gizele Monteiro, existem regras e cuidados muito importantes para a prática de exercícios mamãe e bebê.

– Primeiro ponto – cuidados com o bebê – seu bebê não é halter: existem muitos cuidados para envolver o bebê em algum movimento da mãe, mas o primeiro deles é que esse bebê tenha já um controle de cabeça e pescoço – o que acontece a partir de 4-5 meses até 6 dependendo da individualidade do bebê. Bebês antes desse período não devem ser colocados em movimentos.

Nesse caso eles podem estar junto, no ambiente, quietinhos num bebê conforto, carrinho ou outra forma segura.

Tenho visto muitos profissionais que não conhecem essas regras básicas e também tenho visto muitas mães (que claro não tem esse conhecimento) colocarem seus filhos em posturas e posições de risco.

A segurança ao bebê vem sempre em primeiro lugar !!

 

Programa pós-parto by Gizele Monteiro
Programa pós-parto by Gizele Monteiro

 

– Segundo ponto – nunca sacuda o seu bebê ou faça movimentos bruscos e rápidos

O bebê ainda é muito frágil em sua coluna e também no seu tecido cerebral. Jamais faça movimentos sacudindo ou rápidos com seu bebê. Esses movimentos podem provocar o que é chamado de síndrome do bebê sacudido provocando danos e lesão cerebral.

Essa síndrome pode acontecer justamente com esses movimentos rápidos por causa do deslocamento do cérebro do bebê dentro do crânio – o cérebro ainda não ocupa todo o crânio e isso cria um choque nesse espaço que não é preenchido.

 

Síndrome do bebê sacudido
Síndrome do bebê sacudido

– Terceiro ponto – cuidados com a mamãe – seu corpo ainda não está recuperado: o corpo da mulher não volta tão rapidamente após a gravidez. Muitas das alterações permanecem durante um período de 4 a 6 meses e vão retornando aos poucos. Fazer exercícios em que o bebê está envolvido sem pensar na postura, biomecânica, intensidade (pois o bebê pesa), podem levar a mãe a uma sobrecarga e gerar lesões e dores.

A análise minuciosa dos exercícios deve ser feitas por um profissional qualificado, por isso se você deseja praticar esse tipo de programa, busque uma orientação adequada. Jamais copie os exercícios que estão sendo feitos nas redes sociais e por mães ou orientados por profissionais que não tem uma formação como personal gestante.

Exercícios mamãe e bebê
Exercícios mamãe e bebê

 

Quer saber mais sobre o programa Pós-parto em Forma?

O programa foi elaborado para te levar a recuperação da sua barriga e corpo, respeitando sua volta, mas com eficiência e segurança.

Entre em contato:

e-mail : [email protected]

Fone/whats app: 11 9 9651.8909

 

 

Risco de quedas na gravidez

Risco de Quedas na gravidez – Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Postura e pontos de dor na gravidez – riscos de quedas

Muitos não entendem o grande risco de quedas na gravidez que existe, mas ela é real.

As mudanças biomecânicas, posturais e do centro de gravidade que acontecem na gravidez, colocam a gestante em risco de queda!

Além dessas mudanças, há também uma perda do referencial do corpo no espaço.

Você gravidinha pode observar que a medida que sua barriga aumenta, você perde a consciência do espaço para passar nos locais, bate o corpo e também há uma maior dificuldade de ver seus pés.

Além disso, durante a gestação, seu corpo é jogado para trás de forma natural. Isso acontece para segurar a barriga, assim por conta dessa curvatura, ela consegue ter flexibilidade na postura e firmeza.

No entanto, não é pelo fato do corpo se adaptar que a postura não precisa de atenção e cuidados.

Portanto, apesar desse ajuste, a postura e o equilíbrio na gravidez  estão alterados por causa:

  • da barriga que reduz o campo de visão,
  • do corpo estar mais rígido e com menor mobilidade para se mover por causa do volume da barriga,
  • dos sensores do corpo que estão mais lentos em consequência das ações hormonais.

 

Então tenha CUIDADO com as quedas na gravidez!

  • com o uso de sapatos de salto, dê preferência aos de salto mais baixo e mais estável
  • não realize exercícios em terrenos acidentados
  • não realize exercícios que exijam movimentos bruscos
  • exercícios que exijam uma maior movimentação do seu tronco
  • não ande em chão molhado, para evitar escorregões.
  • faça exercícios posturais para manter seus músculos fortes e sua coluna mais alinhada
  • faça exercícios de relaxamento, massagem e alongamento. Esses exercícios ajudam a prevenir dores, juntamente com o fortalecimento. Articulações e músculos sem dor, são mais aptos a perceber movimentos instáveis e que coloquem você em desequilíbrio, além de agirem de forma mais eficiente

     

    Programa de Exercícios para cuidar do seu corpo e sua estabilidade

Sabemos o quanto é importante o controle de peso para sua saúde e do seu bebê.

Mas o controle de peso, também ajuda na segurança do equilíbrio do seu corpo.

Quando você engorda muito, seus movimentos ficam mais difíceis e seu corpo mais lento e assim há mais riscos de queda.

 

O programa Gravidez em Forma poderá ajudá-la nesse controle, da mesma forma que manterá seus músculos fortes e postura mais alinhada.

Assim sua segurança poderá ser aumentada junto com seu amor !

 

Clique no botão abaixo e conheça o programa Gravidez em Forma!

Dilatação e trabalho de parto

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Como inicia o trabalho de parto?

A primeira etapa do trabalho de parto caracteriza-se pela dilatação do colo do útero.

Dilatação - trabalho de parto
Dilatação – trabalho de parto

 

O colo do útero se dilata através de uma contração das paredes do útero. Essas contrações são regulares e intensas e muito mais dolorosas do que as contrações de Braxton Hicks (as contrações de treinamento).

Juntamente com as contrações há o estímulo mecânico da cabeça do bebê que é empurrada contra o colo do útero. A força da gravidade ajuda nesse processo, por isso algumas posições podem ajudar a favorecer – em pé, sentada, de cócoras, de joelho).

Trabalho de parto
Trabalho de parto

 

Como são as contrações do parto?

Uma vez que o processo de dilatação do colo do útero se iniciou, geralmente é normal começar a sentir contrações suaves cada 10 ou 15 minutos, com uma duração média de 20 segundos. Nesse momento, a abertura do útero será de quase dois centímetros. As contrações seguem, e vai se intensificando. Podem obedecer ao seguinte ritmo:

– Contrações a cada 5 minutos, com duração entre 30 e 40 segundos -> Dilatação de quase 5 cm.

– Contrações a cada 3 ou 4 minutos, com duração de 40 a 45 segundos -> Dilatação em torno de 6 cm.

– Contrações a cada dois ou 3 minutos, com duração de 45 a 50 segundos -> Dilatação de 8 cm.

– Contrações a cada 1 ou 2 minutos, com duração de aproximadamente 1 minuto -> Dilatação de quase 10 cm.

Quando chegar essa fase, terá pouco tempo entre uma contração e outra para se recuperar. Pode sentir uma sensação de calor, alongamento e ardor na vagina, acompanhado de suor ao redor da boca.

 

Trabalho de parto
Trabalho de parto

 

 

Mamãe Sarada – voltando após a gravidez

Por Gizele Monteiro – Personal Gestante

 

Quer voltar à forma de maneira, segura, saudável e sem fazer loucuras?

O programa Pós-parto em Forma idealizado pela personal das mamães – Gizele Monteiro – traz justamente esse equilíbrio e volta do corpo, sem comprometer a amamentação e também repeitando seu corpo e o que aconteceu nele.

Veja algumas Dicas da personal

 

Exercícios para mamães by Personal Gestante
Exercícios para mamães by Personal Gestante

Tenho certeza que estas 5 Dicas para a mamãe voltar à forma de maneira saudável no pós-parto vão ajudá-la não somente em melhorar sua aptidão física mas a tão desejada perda de peso.

Dica 1. Buscar um programa e um profissional especializado em exercícios na gestação e pós-parto.

Ao lerem as demais dicas essa ficará mais clara, mas vamos entender um pouco a importância de algo adaptado para o seu período. O seu corpo sofre tantas mudanças no período gestacional que se o profissional que a atender conhecer essa fisiologia poderá oferecer um exercício e intensidade de forma segura e satisfatória para o seu bem-estar e saúde. O programa deverá atender alguns critérios de segurança como controle cardiovascular, movimentos adequados e seguros, intensidade e volumes corretos.

Tenho recebido mamães que iniciaram treinamentos e que tiveram sua barriga piorada por causa da diástase.

Hoje o mercado tem se especializado nessa área e isso fará toda a diferença para o seu retorno à forma de forma segura e saudável.

 

Dica 2. Vá com calma, não é legal voltar ‘com tudo’

Mamãe Sarada - Programa Pós-parto em Forma
Mamãe Sarada – Programa Pós-parto em Forma

A ansiedade de voltar a antiga forma é uma realidade para as mamães, mas durante o período gestacional muitas alterações corporais ocorreram e o retorno ao exercício deve ser mais equilibrado e com exercícios adequados e seguros. Algumas mudanças fisiológicas e posturais podem levar até um ano para voltar ao que era antes da gravidez. A boa notícia é que exercícios adequados podem acelerar essa volta.

As alterações do coração ou das articulações e ligamentos, por exemplo, levam em torno de 6 meses, podendo ser mais rápido ou mais lento conforme a individualidade e histórico de vida e atividade anterior da mulher, por isso quem consegue se planejar e se preparar desde a pré-gravidez, começa em vantagem nesse retorno do pós-parto. Você pode perceber que atletas ou artistas extremamente ativas, rapidamente estão em suas atividades, mas não se engane, você não é uma atleta.

A maioria dos profissionais e academias não estão preparados para receberem a mulher no pós-parto, integrando-a ao seu quadro de aulas (comuns), não havendo nenhum controle desse retorno.

 

Dica 3. Tenha cuidado para não comprometer a amamentação com o exercício.

As mamas durante a gravidez ficam maiores e mais pesadas e se mantém assim no período pós-parto durante toda a fase de amamentação. Principalmente para mulheres muito ativas ou atletas que realizam atividades de impacto, como corrida, certifique-se de que eles estejam bem firmes, talvez seja necessário usar dois tops ou um suporte mais adequado.

Mas será que o exercício pode secar o leite?

QUALQUER EXERCÍCIO “ORIENTADO DE FORMA INCORRETA” NO PÓS-PARTO PODE PREJUDICAR A AMAMENTAÇÃO E O CORPO DA MULHER.

Devido o alto gasto energético para a produção de leite se o “exercício for intenso ou num volume elevado (muito tempo em exercício)” e a mulher tiver uma ingestão inadequada poderá prejudicar a amamentação. Além do exercício e a ingestão alimentar serem adequadas, a mulher deve sempre estar hidratada, pois uma hidratação inadequada também poderá comprometer a amamentação. Uma observação importante feita por algumas pesquisas é que quando o exercício é intenso, a alta produção de lactato pelo exercício poderia modificar o sabor do leite e dessa forma o bebê passaria a não aceitá-lo, sendo então que de forma indireta o exercício estaria interferindo na aceitação do bebê ao leite após o exercício pela mudança no sabor deste. A formação de leite depende do estímulo da sucção do bebê. Mas é importante ressaltar que exercício em intensidades adequadas “não mostraram efeitos negativos” sobre a amamentação.

 

Dica 4. Exercite-se com o seu bebê.

À medida que seu bebê cresce, ele é uma excelente sobrecarga para você exercitar-se. Vários exercícios podem ser realizados com ele, inclusive por que ele adorará a brincadeira. Mas lembre-se a postura deve sempre ser preservada para que não sobrecarregue mais a sua coluna. Existem profissionais que elaboram séries para que você realize os exercícios em sua casa através de consultoria ou personal gestante (atendimento personalizado para o período gestacional e pós-parto) e as academias que trabalham com profissionais especializados oferecem esse programa e atendimento. Outra forma de levar o seu bebê para exercitar-se é uma caminhada com carrinho, programa já realizado em parques com assessorias especializadas no atendimento pós-parto.

Programa de exercícios Mamãe e Bebê by Gizele Monteiro
Programa de exercícios Mamãe e Bebê by Gizele Monteiro

Dica 5. Elimine as dores, elas podem te atrapalhar

Previna as dores lombares realizando exercícios de fortalecimento e alongamento.

A dor lombar é comum durante o período gestacional, podendo atingir até 80% das gestantes. No pós-parto, muitas mulheres continuam com ela ou experimentam seu surgimento. Os exercícios de fortalecimento e alongamento são excelentes para a prevenção e também para amenizá-la quando ela já está ocorrendo.  O retorno dos abdominais é importante pois esses músculos desempenham função de equilíbrio postural, mas CUIDADO! Exercícios abdominais tradicionais não devem ser iniciados precocemente, pois eles estão flácidos e fracos, por isso é necessário adaptar o exercício.

Portanto esses exercícios devem ser realizados com todo o critério de segurança para não provocar uma lesão ou sobrecarga que gere dor.

 

Para saber mais entre em contato !!

– email: [email protected]

– fone/whats – 11 9 9651.8909